22 de April de 2014
Postado por: Bruna Fernández @ Arquivado em: Lançamentos, Notícias

Fãs de Doctor Who, boas novas: a Rocco disponibilizou hoje mais dois contos de 11 Doutores, 11 Histórias: “A lança do destino”, de Marcus Sedgwick, e “As raízes do mal”, de Philip Reeve. cada e-book custa apenas R$ 5,00. Aproveitem!

A coleção completa será publicada em formato impresso no segundo semestre. Mas os mais apressadinhos já podem adquirir os e-books nas maiores lojas eletrônicas:

#03 A lança do destinoSaraiva Cultura Travessa

#04 As raízes do malCultura Travessa



22 de April de 2014
Postado por: Bruna Fernández @ Arquivado em: Lançamentos, Notícias

A espera está acabando! Em maio a Intrínseca publica Réquiem, o desfecho da trilogia Delírio. Da faísca da revolta que teve início em Pandemônio eclode uma revolução e Lena está no centro de tudo.

 

No desfecho da trilogia em que o amor é considerado uma doença, Lena é um importante membro da resistência contra o governo. Transformada pelas experiências que viveu, está no centro da guerra que logo eclodirá. Depois de resgatar Julian de sua sentença de morte, Lena e seus amigos voltam para a Selva, cada vez mais perigosa. Enquanto isso, Hana, sua melhor amiga de infância, foi curada. Ela leva uma vida segura e sem amor junto ao noivo, o futuro prefeito. Às vésperas do casamento e da eleição – cujo resultado pode dificultar ainda mais a vida dos Inválidos -, Hana se questiona se a intervenção realmente tem efeito. Vivendo em um mundo dividido, Lena e Hana narram suas histórias em capítulos alternados. O que elas não sabem é que, em lados opostos da guerra, suas jornadas estão prestes a se reencontrar.

Alternando entre o ponto de vista de Lena e o de Hana, Lauren Oliver mostra que a revolução é um caminho sem volta, assim como a liberdade.

Delírio é a série distópica que apresenta uma sociedade em que o amor é considerado uma doença, erradicada pela ciência. Para evitar o mais mortal dos males, todos os cidadãos, ao completarem dezoito anos, passam por uma intervenção cirúrgica.



22 de April de 2014
Postado por: Kinina @ Arquivado em: Notícias

Vi que esse feriado a lojinha do LeS bombou de visitas. Então resolvi relembrar os livros que estão lá que a equipe disponibilizou e separei os que eu mais gosto.

top10_500

10. @mor, de Daniel Glattauer
Um dos romances modernos mais fofos que tem. A narrativa é completamente diferente, os personagens conversam entre mensagem <3

(Ler post completo)



21 de April de 2014
Postado por: Bruna Fernández @ Arquivado em: Lançamentos, Notícias

Além de confirmar a vinda do autor de Maze Runner para o Brasil em maio, a V&R Editoras anunciou o lançamento da nova série de James Dashner, A Doutrina da Morte, em terras tupiniquins.

Confiram abaixo a capa e a sinopse de O jogo infinito, primeiro livro dessa nova série.

Michael é um gamer. E como a maioria dos jogadores, ele passa quase mais tempo no VirtNet do que no mundo real. O VirtNet oferece total imersão do corpo e da mente, e é viciante. Graças à tecnologia, qualquer pessoa com dinheiro suficiente pode experimentar mundos de fantasia, arriscar sua vida sem a chance de morte, ou apenas ficar com os virt-amigos. E quanto mais habilidades de hacker você tem, mais divertido. Por que se preocupar seguindo as regras quando a maioria delas são idiotas, afinal? Mas algumas regras foram feitas por uma razão. É muito perigoso brincar com algumas tecnologias. E relatórios recentes afirmam que um jogador vai para além do que qualquer jogador fez antes: ele está segurando jogadores reféns dentro do VirtNet. Os efeitos são terríveis, os reféns foram todos declarados com morte cerebral. No entanto, os motivos do gamer são um mistério. O governo sabe que para pegar um hacker, você precisa de um hacker. E eles foram assistir Michael. Eles querem ele em sua equipe. Mas o risco é enorme. Se ele aceitar o seu desafio, Michael terá que ir fora da grade VirtNet. Há becos e esquinas no sistema que olhos humanos nunca viram e predadores que ele não pode nem mesmo imaginar – e há a possibilidade de que a linha entre jogo e realidade será borrada para sempre.

O lançamento de O jogo do infinito está marcado para o dia 13 de maio, às 16h, na Livraria Cultura do Conjunto Nacional em São Paulo.



21 de April de 2014
Postado por: Bruna Fernández @ Arquivado em: Resenhas

Livro: O alçapão
Série: Infinity Ring
Autora: Lisa McMann
Páginas: 224
Editora: Seguinte
Resenha por: Bruna Fernández
Comprar: Saraiva Submarino Cultura Travessa Fnac

Depois de lutarem ao lado de guerreiros medievais para corrigir mais uma Fratura, Dak, Sera e Riq retornam aos Estados Unidos e logo se envolvem em uma armadilha mortal. O ano é 1850, um pouco antes da Guerra Civil, quando o país está dividido em relação à escravidão. Nesses tempos sombrios, a Ferrovia Subterrânea é a única esperança de muitos escravos, que conseguem escapar por essa rota secreta. Mas a SQ aos poucos está tomando o controle dos trilhos, colocando a vida de muitos fugitivos em perigo e ameaçando apagar aquela ferrovia da história. Riq é forçado a se separar do grupo e encontrará dificuldades que o levarão a enfrentar seu próprio passado. Dak e Sera, por outro lado, tentam descobrir em quem podem confiar e o que precisa ser feito para consertar mais uma Fratura.

ATENÇÃO! Esse livro não é o primeiro de uma série e pode conter spoilers! Confira nossas resenhas anteriores dessa série, clicando na capa desejada:

Mais um volume da série Infinity Ring chegou às estantes brasileiras e confesso que não estava nem um pouco animada com esse volume. Não por conta da história em si, mas pela autora Lisa McMann. Tentei ler Wake, o primeiro livro da série homônima dessa autora e não consegui passar das primeiras 10 páginas, logo, fiquei com um pé atrás quando souber que o terceiro volume tinha sido escrito por ela.

Em “O alcapão” Dak, Sera e Riq voltam aos Estados Unidos, seu país de origem, mas no ano 1850, época em que a sociedade norte-americana está em polvorosa por conta da nova lei que permite “Patrulhadores de escravos”, compostos majoritariamente de brancos pobres, tinham a autoridade de parar, revistar, torturar e até matar escravos que violassem os códigos do escravo americano. Tudo isso, claro, movidos pela possibilidade de ganhar dinheiro.

Por conta do tom de pele de Riq, ele acaba sendo confundido com um escravo e é levado pelos patrulhadores e acaba se separando de Dak e Sera e aprende, da maneira mais dura possível, que essa nova Fratura que eles devem corrigir está intensamente ligada à história de sua própria família, o que acaba tornando o livro intenso e emocionante para o personagem. Esse terceiro volume acaba se voltando muito para o personagem de Riq e isso foi uma agradável surpresa, já que o garoto poliglota designado para acompanhar os amigos pela história sempre ficava em segundo plano.

Além desse destaque de Riq, podemos acompanhar melhor também a dinâmica entre Dak e Sera, que aos poucos vai mudando. Ambos cresceram muito desde que a aventura começou e isso fica bem visível nesse volume, com algumas implicâncias infantis sendo colocadas de lado.

Gostei muito do livro pela mudança de foco dos personagens e por aprendermos mais sobre Riq e sua família, além de acompanhar as cruéis decisões que ele precisa tomar, mas achei que o livro ficou devendo. Alguns alívios cômicos fora de hora me incomodaram, e também senti uma leitura mais truncada, não achei o enredo tão fluído como nos volumes anteriores. Mas claro, isso pode ser uma característica da escrita da Lisa, que não me agrada muito. No geral é uma história interessante, com um ritmo mais lento e sem grandes batalhas acontecendo como em Dividir e Conquistar.


Aviso Legal: Esse livro foi cedido pela editora responsável pela publicação no Brasil como cortesia para o Livros em Série.



Livro: Branca dos Mortos e os Sete Zumbis e outros contos macabros
Autor: Fábio Yabu
Páginas: 200
Editora: Globo
Resenha por: Bruna Fernández
Comprar: Saraiva Submarino Cultura Travessa Fnac

“Você acredita em contos de fadas?” Pergunta Eduardo Spohr no prefácio. E continua, “Alguma coisa me diz que até o final deste livro você passará a acreditar”. Para que o feitiço Yabu dê certo, é necessário que esqueça tudo o que você sabe sobre contos de fadas.

Tive a incrível oportunidade de conhecer esses contos do Yabu quando eles saíram pela primeira vez pela Nerd Books, editora da dupla Jovem Nerd e Azaghal, e fiquei simplesmente fascinada pela forma como o Fábio (ou melhor, seu alter ego perturbado, Abu Fobiya) abordou os contos de fadas clássicos de forma macabra, trazendo as histórias de volta às suas origens sombrias. Fiquei duplamente feliz quando souber que o livro seria relançado pela editora Globo e com um conto a mais, “O livro da dor”. Mas já aviso: qualquer pessoa que pegue esse livro pensando nas belas adaptações dos desenhos “suavizados” pela Disney, vai levar um choque.

Com Branca dos Mortos, Yabu mostra ao mundo a sua versatilidade como autor. Nunca tinha lido nada escrito por ele, mas sabia que ele era um autor infantil (pra quem é um eremita não sabe ele é o criador das Princesas do Mar) então realmente não sabia o que esperar desse livro de terror. Mas logo ao chegar ao final do primeiro conto do livro, o principal, Branca dos Mortos, tive a convicção de que Fábio é altamente talentoso e deveria investir mais em seu lado sombrio. Achei a escrita de Yabu muito visual, o que acabou tornando os contos mais terríveis ainda. A regra básica das histórias é: “miséria pouca é bobagem”, se algo tem a possibilidade de dar errado, dará errado em dobro.

Nos outros contos ouvimos a versão de Yabu para as histórias da Cinderela (que ganha o nome de CindeHELLa), João e Maria – pra mim a mais sombria de todas! -, Pequena Polegar, Vendedora de Fósforos, entre outras. As ilustrações que acompanham o livro dão vida aos personagens da história. Com os traços em preto e branco elas são, ao mesmo tempo, belíssimas e assustadoras. Apesar de ser um livro de terror confesso que em alguns momentos eu me diverti com os contos, afinal quem não tem uma história clássica da qual já está de saco cheio ou até mesmo uma princesa da Disney que você não suporta? Hora da vingança!

Porém não é só de referências aos contos antigos é feito essa antologia: a história de Samarapunzel faz referência à história da Rapunzel, entretanto, de forma mais demoníaca, misturando elementos do filme “O chamado” e sua personagem icônica, Samara. Outra coisa que me fez gostar mais ainda desse livro é a fina linha traçada pelo autor para conectar as histórias, de forma bem sutil. É revigorante saber que os contos não foram simplesmente jogados para formar um livro, mas sim escolhidos com cuidado e carinho, até mesmo a ordem em que eles aparecem.

Uma publicação impecável e indispensável na estante dos amantes do romantismo sombrio e fantástico que remete a alguns dos melhores autores do gênero como Mary Shelley, HP Lovecraft e Edgar Allan Poe.


Aviso Legal: Esse livro foi cedido pela editora responsável pela publicação no Brasil como cortesia para o Livros em Série.

——————————————–
Quer ganhar um exemplar de o “Branca dos Mortos”? O Livros em Série sorteará em parceria com a Globo Livros 1 exemplar para os nossos visitantes e alguns brindes! Para concorrer basta deixar um comentário nesse post respondendo à seguinte pergunta: Que conto de fadas você transformaria em uma história macabra? Escreva uma breve sinopse e o título desse livro imaginário e concorra! A ideia que for mais votada pela nossa equipe será a grande vencedora. Mas corre que a promoção só vale para comentários enviados até a meia-noite do dia 05/05. Não esqueça de deixar seu e-mail de contato também!

Boa sorte!



Sim, sim! É verdade, o LEt’S Talk, está de volta! Em uma ação especial com a Editora Planeta, vamos falar hoje sobre o livro Hyperbole and a Half e lançamos um desafio pessoal a todos vocês. Querem saber mais? Só dar play:

Livro: Hyperbole and a Half – Situações lamentáveis, caos e outras coisas que me aconteceram
Autor (a): Allie Brosh
Páginas: 222
Editora: Planeta
Resenha por: Cine
Comprar: Saraiva Fnac Cultura

Em Hyperbole and a Half situações lamentáveis, caos e outras coisas que me aconteceram, a autora apresenta alguns dos textos mais lidos e comentados em seu blog e também muito material novo, inclusive histórias sobre seus cachorros, um deles aparentemente com leves problemas mentais, sua luta para lidar com a depressão e ansiedade que insistem em dominá-la, além de anedotas hilárias sobre sua tumultuada infância. Sim, Allie foi uma criança difícil, Talvez a mais difícil de todas. Por exemplo, uma vez ela comeu um bolo inteiro só de burra porque sua mãe a proibira. E ela também atazanou a vida da família quando ganhou um papagaio de brinquedo que repetia tudo – tudo – que ela queria. Inteligente, irônico e absurdamente engraçada o livro traz o estio inimitável de Allie nos textos e nas ilustrações, além de alguns de suas típicas reflexões que conquistaram o coração de inúmeros leitores.

Hyperbole and a Half é um dos blogs mais famosos atualmente, e já ganhou vários prêmios e é parada obrigatória para todo mundo que gosta de ler histórias engraçadas e sarcásticas. Mesmo quem não conhece o blog já viu alguma vez na vida, no Facebook ou Tumblr, a personagem de Allie circulando por ai com memes de absolutamente qualquer coisa.

O livro, intitulado de “Situações lamentáveis, caos e outras coisas que me aconteceram” traz algumas das histórias mais lidas e comentadas do blog, além de também algumas coisas inéditas e que te fazem rir do início ao fim.

Para começar, preciso comentar da edição linda que a Planeta fez para o livro, e a excelente tradução. Algumas vezes editoras mudam os conteúdos das piadas ou tentam adaptar alguma expressão americana para o português, e falham totalmente. Isso não aconteceu nessa edição. A diagramação do livro ficou a altura das histórias, onde cada uma é retratada com uma cor diferente de páginas, e além das ilustrações já famosas para acompanhar essas histórias, eu achei genial a ideia do livro ter cheiro! Sim gente, o livro tem um cheirinho de giz de cera, massinha de modelar… sei lá, mas super brilhante a ideia de colocar esse aroma para acompanhar os desenhos (que parecem ser feitos com giz mesmo).

As histórias de Hyperbole and a Half são divididas entre situações engraçadas que aconteceram com Allie ou reflexões sobre o modo com ela age ou pensa, e que definitivamente eu me relacionei demais. Muitas das situações que ela escrevia me faziam rir e pensar “Meu Deus, achei que fosse só eu!” É bom saber que existe muito mais gente louca no mundo.

Esse livro não é recomendado somente para fãs de Allie – aliás, se você é fã, é um must read total -, mas para QUALQUER pessoa de qualquer idade. É presente para dar de aniversário, páscoa, o que for, porque com certeza todo mundo precisa de uma dose de humor e sarcasmo que só a Allie tem, em sua vida.

Brosh domina a arte de fazer desenhos “toscos” e engraçados, combinados com suas histórias com uma linda maestria e que me fizeram ler o livro em apenas uma tarde.


Aviso Legal: Esse livro foi cedido pela editora responsável pela publicação no Brasil como cortesia para o Livros em Série.



10 de April de 2014
Postado por: Bruna Fernández @ Arquivado em: Notícias

Hoje a Novo Conceito revelou a capa, título e mês de lançamento do último livro da trilogia Estilhaça-me, da autora Tahereh Mafi. O terceiro livro ganhou o nome de Incendeia-me e chega em todas as livrarias do Brasil no mês de junho. Confiram abaixo, a capa:

Finalmente, uma capa belíssima, não é?