terça-feira, 16/08/2022
Últimas do LeS:
Capa » Resenhas de Série » “Imortal”, de vários autores

“Imortal”, de vários autores

Livro: Imortal: histórias de amor eterno
Autoras: Cynthia Leitich Smith, , Kristin Cast, Rachel Caine, Tanith Lee, Richelle Mead, Nancy Holder, Rachel Vincent e Claudia Gray
Organização: P. C. Cast
Páginas: 253
Editora: Planeta
Tradução: Carolina Caires Coelho
Resenha por: Patoka
Comprar: Saraiva Submarino Cultura Americanas Amazon

Nessa tão esperada coletânea, P.C. Cast , autora da famosa série House of Nights, reuniu alguns dos principais conhecedores do mundo das criaturas sobrenaturais e selecionou os textos mais fascinantes destes escritores.

O amor impossível entre um rapaz simples e uma menina rica que se torna vampira em busca de liberdade; uma paixão do passado que reaparece em forma de fantasma para salvar seu vampiro e uma fada que tenta livrar de grandes encrencas sua melhor amiga são apenas algumas das histórias narradas por autores como Claudia Gray, Rachel Caine ou Kristin Cast. Afinal, quando se é Imortal, o amor é para sempre.

Muitos não dão valor aos livros de contos. Acham que escrever uma história em poucas página sé muito mais fácil que escrever um livro inteiro. Mas é justamente ao contrário! Apresentar a história, desenvolver personagens, manter a continuidade e o ritmo em 20 páginas é muito difícil. Alguns fazem isso com maestria (Stephen King e seu filho, Joe Hill são absolutos mestres), e outros simplesmente deixam a desejar! E é isso que vemos neste livro. Alguns contos muito bons, outros nem tanto e uns que deram vergonha alheia de ler.

Amor Assombrado – Cynthia Leitich Smith
Quando li a sinopse, logo lembrei da série “Being Human”. Um triângulo amoroso entre um vampiro, um humano e um fantasma (no caso da série, é só substituir o humano pelo lobisomen que tá tudo em casa). Cynthia conta a história de Cody, proprietário de um velho cinema em uma cidade pequena, que contrata a faladeira Ginny para cuidar da recepção. Um fantasma nada educado assombra o lugar e Ginny, surpreendentemente, não sai correndo assim que descobre isso.O conto é bem escrito e a autora desenvolve bem os personagens. O ritmo e as reviravoltas prendem sua atenção até o final. A única coisa bizarra nesse conto é a maneira como Cody se tornou um vampiro.

Névoa Amarela – Kristin Cast
Se você tinha alguma dúvida sobre qual das autoras faz aquela bagunça na série House Of Night, com este conto sua dúvida desaparece. Kristin Cast não só faz uma mistura total com mitologia grega e vampiros, como se embola na continuidade da história. Pra começar, o vampiro é filho das 3 fúrias (não me perguntem como 3 mulheres possam dar a luz ao mesmo tempo e do mesmo filho, mesmo sendo mitologicamente falando). Ele pode alterar o tempo e recebe a missão de suas mães (estranho demais falar isso no plural) de salvar uma adolescente de um acidente de carro. Só que Kristin simplesmente não explica porquê ele a salva e nem de onde raios surgiu esse vampiro-grego-from-hell. Só sabemos que eles se apaixonam (claro). E para piorar o que já estava um caos, existem muitos erros de continuidade. A autora troca os personagens de cena sem explicar como eles foram parar ali.

Perseguição de um homem morto – Rachel Caine
Leia a resenha desse conto como imparcial. Nunca li The Morganville Vampires, mas as exatas 15 páginas dessa história me fizeram morrer de vontade de ter a série nas mãos .Shane é um humano que vive em Morganville, uma cidade tomada por vampiros. Seu melhor amigo é vampiro e seu pai é o líder de uma rebelião para tirar os dentuços do poder. Só que o pai tenta convencer o filho a tomar partido dessa guerra da pior maneira possível: sequestrando-o e torturando seu amigo. Óbvio que Shane não irá ceder a isso. Mesmo usando a atmosfera e personagens de sua saga, Rachel consegue situar quem não a leu. A história é amarradinha, bem escrita e você vira a última página esperando ver ali um “capítulo 2”. Brochante saber que o conto termina ali. Queria mais.

Bons modos à mesa – Tanith Lee
O conto é meio morto (entendeu? hein? morto? hmm). Conta a história de Lelystra (WTF?), uma menina rica que tem um pai influente e vai passar alguns dias em uma mansão e participar daqueles bailes chatérrimos da sociedade. Claro que nesse baile ela reconhece um vampiro e tenta se aproximar dele. O vampiro, chamado Anghel (oi?) está em crise existencial. Apesar da coisa meio lenta, esse conto acaba ficando bem legal da metade pra frente. Tanith entra numa vibe “vampirismo-é-tudo-piscológico” e desenvolve umas teorias bem interessantes. Mas … não é o suficiente para você ficar com vontade de ler mais.

Lua Azul – Richelle Mead
Richelle conta a história de Lucy, uma vampira adolescente que resolve fugir e topa com um humano espertinho no meio do caminho. Desconfianças dos dois lados, o humano (Nathan) topa ajudar a mocinha dos caninos avantajados a atravessar a fronteira e chegar á um lugar seguro. Detalhe que ela está fugindo da própria família. Tudo isso por causa de uma profecia. Por mais clichê que isso possa parecer, a história acaba virando bem original e o ritmo que a autora impõe faz com que você devore as páginas sem perceber. Acho sinceramente que ela deveria investir na continuidade desse conto.

Transformação – Nancy Holder
Finalmente um conto onde os vampiros não são bonzinhos nem romantizados. A história se passa em uma Nova York invadida e tomada pelos sanguessugas. Jilly é uma menina de 16 anos (recém-completados), apaixonada por Eli, seu melhor amigo gay. Sean, namorado de Eli, a detesta. Ela teve problemas com drogas e seus pais foram mortos pelos vampiros. Ou seja, ela está na merda! Ela sai em uma busca insana para encontrar Eli e Sean em meio a corpos, braços decepados e muito sangue. E quando encontra, uma reviravolta muito louca acontece. Tirando o fato de Eli ser um chato e Sean um reclamão, o conto se sustenta apenas com o desenrolar da personagem de Jilly.

Farra – Rachel Vincent
Quando li a sinopse, achei totalmente sem noção. Afinal, o conto é baseado em duas personagens: uma fada e uma sirena (quase uma sereia). Mas quando você começa a ler, você não consegue mais largar. É um pouco difícil no começo entender como a cosia funciona, mas depois que você pega o ritmo, tudo flui!
Andi é uma sirena, que precisa cantar para um grande público algumas vezes por ano, para satisfazer a sua fome de energia. Mallory, sua melhor amiga, é uma fada, que também suga energia para sobreviver, mas com menos frequência. As duas precisam sair juntas para se alimentar, já que só elas conseguem controlar uma à outra, para que não cometam excessos e acabem matando alguém sugando toda sua energia. Rachel descreve a “farra” das duas em um ritmo tão frenético que a impressão que você tem é que a sua energia também está sendo sugada. A história é envolvente, os personagens secundários bem desenvolvidos e o desfecho é insano. Foi uma ótima surpresa. Confesso que não esperava muito dele. Leiam e depois me digam o que acharam. Esse vale muito a pena.

Livre – Claudia Gray
Ainda não li Noite Eterna, portanto, esse também será uma resenha bastante imparcial. A autora conta a história de Patricia (adorei o nome!), uma futura cortesã negra, que vive livre. Essa liberdade foi conseguida por sua mãe, em troca de favores sexuais. E Patrícia sabe que seu destino é fazer o mesmo acordo com algum filho de nobre para que continue sendo “livre” e não uma escrava com outras da sua raça. E lógico que ela é apaixonada por um ferreiro negro e não pode deixar esse amor vir à público. Só que para variar, ela conhece um vampiro branco que está louco para sugar seu sangue. E ele é bem fdp, do tipo “quero-seu-sangue-e-vou-conseguir-você-deixando-ou-não”. Apesar de bastante previsível, o modo como Claudia chega até o final é bastante agradável de ler.

Sobre Patoka

Fotógrafa especializada em shows, já captou com suas lentes momentos dos shows várias bandas. Essa paixão por música e fotografia a levou a abrir o CFOS. Quase infartou quando suas fotos apareceram na página oficial do Black Label Society e foram descritas como “killer shots”! Já fez produção de palco em festivais musicais e eventos, mas atualmente prefere deixar isso para os profissonais.

5 comentários

  1. Paty adorei o post. Nossa adorei quando você falou de Being Human! eu adoro sabia ? kkkk
    Amei muiito o Livre. e o Lua Azul.
    P.s: amei sua resenha ^^

  2. aaai, quero muito ler “perseguição de um homem morto” agora! já li todos que saíram até agora da série Morganville Vampires e é incrível, devorei todos os livros!
    adorei sua resenha :]

  3. Para ser sincera Paty, eu li THE MORGANVILLE VAMPIRES, e se você ainda não leu mesmo, te indico que leia, é excelente e pra variar nada clichê, tem vampiros, mas eles são traiçoeiros e misteriosos não é muito seguro confiar neles. E também a fofura do livro fica com o amor entre Claire e Shane. é muito bom.

  4. Ai! Eu comprei esse livro logo quando vocês postaram aqui pela primeira vez! É muito legal! Amei a história de Kristin Cast! Todas são muito boas! Não tem nenhuma que eu tenha gostado mais-ou-menos!

  5. Denise Spósito

    Li esse livro ,é lindo o que me deixou mais interessada foi Transformação .Cativante.!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Livros em Série