segunda-feira, 23/10/2017
Últimas do LeS:
Capa » Notícias » Resenha: “Sapatólatras Anônimas”, de Beth Harbison

Resenha: “Sapatólatras Anônimas”, de Beth Harbison

Livro: Sapatólatras Anônimas
Série: Sapatólatras Anônimas
Autor (a): Beth Harbison
Páginas: 367
Editora: Record
Resenha por: Cine
Comprar: Saraiva Submarino Cultura Fnac Folha Americanas

Sinopse: Um romance que vai fisgar as leitoras… pelos pés. Quatro mulheres diferentes. Um número de sapato comum e um desejo enlouquecedor por sapatos fabulosos. Neste romance, a mulher de um político controlador, uma viciada em compras, uma atendente de disque-sexo com fobia de lugares abertos e uma babá de uma família infernal que não liga para sapatos, mas faz qualquer coisa para sair de casa!) se encontram nas noites de terça-feira para trocar sapatos, e, no decorrer, construir amizades que as ajudarão a superar seus mais variados problemas.

Imagine quatro mulheres totalmente diferentes passando por situações um tanto quanto hilárias e preocupantes por causa de um único vício: sapatos.

Imaginou?

Então isso é só parte do que você irá ler em ‘Sapatólatras Anônimas’. O livro, lançado em 2008 pela Record, conta a história de Lorna, Sandra, Helena e Joss, que viram amigas e confidentes em um clube restrito para amantes de sapatos.

Lorna Rafferty é uma garçonete formada em inglês que luta todos os dias para conseguir pagar suas dívidas nos cartões de créditos. Mesmo tendo contas até o último fio de cabelo, ela não consegue se livrar do incrível vício de comprar sapatos. Sempre, TODA hora. Para tentar controlar um pouco esse maldito impulso ela tem a idéia de colocar o seguinte anuncio na internet: “você é como eu? Adora sapatos mas não pode continuar comprando? Se você calça 38 e está interessada em trocar seus Manolos por Maglis, etc, nas noites de terça-feira em Bethesda, mande um e-mail para sapatolatra2205@aol.com ou telefone para 301-555-58-01. Talvez possamos nos ajudar.”

A primeira a responder é Helena Zaharis, uma mulher casada com um político prepotente, que não da a mínima para ela e acaba cortando todos os seus cartões de créditos como uma única maneira de controlá-la. A segunda é Sandra Vanderslice. Uma gordinha que tem agorafobia e agradece todos os dias pela internet existir e poupar seu medo e esforço de sair para fazer compras. E como ela se sustenta seu vício por sapatos? Sendo uma operadora de disque-sexo.
E por fim, Jocelyn Bowen, mais conhecida com Joss. Uma jovem do interior que mudou-se para cidade grande a fim de seguir seus sonhos e acaba se tornando uma babá de dois pestinhas em uma casa de família rica onde sua patroa é diabólica. Ah sim, ela mal sabe o que é um salto alto, mas fará de tudo para sair daquela casa em seus dias de folga.

Beth Harbison conseguiu fazer com que cada uma das personagens se torne especial e cativante de um jeito que é impossível não sentir pena ou alegria pelas suas histórias que são contadas ao longo das mais de 300 páginas. Até mesmo eu, que não gostei de Helena no início, acabei torcendo por ela no final. Joss é aquele doce de menina que tem o sonho da cidade grande, de crescer na vida. Aqueles sonhos que todas as meninas e mulheres têm um dia.

E claro, Lorna e Sandra, as que eu mais me identifiquei e tenho certeza que qualquer menina entenderá. Uma simplesmente não consegue controlar seus vícios, tenta fazer de tudo para conseguir comprar aquele sapatinho em promoção e vive implorando por um empréstimo no banco. Ela é basicamente aquele lado de consumidora compulsiva que todas nós, mulheres, temos. Já Sandra se sente rejeitada pelo bullying que sofreu quando era menor por causa de seu sobrepeso, e também por sempre ter que ser comparada àquela irmã mais velha e perfeita, que seus pais sempre mimaram.

Os encontros dessas quatro mulheres nos levam a uma leitura leve e simples que acaba te prendendo desde as primeiras páginas. Se você é fã de chick lits como eu, acredite, irá amar essa história cheia de confusões, confissões de amores e intrigas e muita, muita conversa sobre sapatos!

A narrativa do livro é excelente, clara e objetiva e consegue te prender demais. Contudo, há vários erros de digitação e gramática que eu não consegui ignorar ao longo da leitura. Errinhos bobos, mas que fazem a diferença quando você está lendo um livro, porque muitos deles podem dar um sentido estranho para algumas frases. Mas de resto, Sapatólotras Anônimas consegue ser uma ótima leitura para meninas/mulheres de qualquer idade.

E pra quem curtir a leitura tanto quanto eu, comemore! O livro será adaptado para o cinema em 2011 e já conta com a presença da ganhadora do Oscar, Halle Berry, no elenco!

Sobre Patoka

Fotógrafa especializada em shows, já captou com suas lentes momentos dos shows várias bandas. Essa paixão por música e fotografia a levou a abrir o CFOS. Quase infartou quando suas fotos apareceram na página oficial do Black Label Society e foram descritas como “killer shots”! Já fez produção de palco em festivais musicais e eventos, mas atualmente prefere deixar isso para os profissonais.

3 comentários

  1. nossa, eu nunca leria um livros com esse nome se nao fosse essa resenha :)

  2. OMG, eu li esse livro assim que lançou e agora tô vendo todos os blogs falando dele. Acho muito engraçado, hahaha.

    Adorei sua resneha, Cine, passa bem que é o livro. *-*
    Aliás, tô doida para ter tempo de relê-lo :X

    Beijocas!
    Juh Oliveto
    Livros & Bolinhos ~

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*