quinta-feira, 25/05/2017
Últimas do LeS:
Capa » Notícias » Resenha: “Uma nota errada”, de Gordon Korman

Resenha: “Uma nota errada”, de Gordon Korman

Uma nota erradaLivro: Uma Nota Errada (#02)
Série: The 39 Clues
Autor (a): Gordon Korman
Editora: Ática
Páginas: 192
Tradução: Renato Alarcao
Resenha por: Bruna
Comprar: Saraiva Submarino Cultura Amazon + ofertas

Depois de quase morrerem em Paris, Amy e Dan finalmente conseguem a primeira das 39 pistas – e uma preciosa dica para chegar à segunda. Mas que mensagem secreta pode estar escondida em uma partitura de Mozart? Só indo a Viena, cidade onde viveu o músico, para descobrir. Pena que seus traiçoeiros parentes tiveram a mesma ideia… Na disputa pelo maior tesouro de todos os tempos, os irmãos Cahill vão passar também pela romântica Veneza. Mas não espere por cenas de amor nos canais da cidade: só a adrenalina faz os corações baterem mais forte nesta aventura, em que grandes segredos – como a base secreta de um dos clãs da família – estão para ser revelados.

ATENÇÃO! Esse livro não é o primeiro da série e a resenha pode conter spoilers! Confira nossas resenhas anteriores dessa série, clicando na capa desejada:

O labirinto dos ossos

Uma Nota Errada é o segundo livro da série The 39 Clues, e nele, acompanhamos os irmãos Amy e Dan, na contínua e enlouquecedora caça às 39 Pistas e, dessa vez, o cenário principal são as ruas de Viena e Salzburgo na Aústria, e os canais de Veneza na Itália. Os jovens irmãos órfaos que perderam a avó, Grace, no promeiro livro e minutos depois acabaram por descobrir que faziam parte de uma família repleta de gênios e celebridades e que poderiam escolher entre herdar um milhão de dólares (cada!) ou a primeira pista para entrar em uma aventura sem precedentes. Para saber mais sobre o começo dessa história, leia a resenha do livro um: O Labirinto dos Ossos.

The 39 Clues é uma série bem diferente do que temos por aí no mercado, começando pelo fato de não ser escrita por somente um autor – a quase cada volume temos um autor diferente. De cara, isso me passou uma certa desconfiança, afinal, cada autor possui um jeito de escrever, e achei que isso poderia interferir negativamente na série. Erro meu. O canadense Gordon Korman, o autor de Uma Nota Errada, continua a história previamente iniciada com excelência por Rick Riordan sem grandes oscilações, mantendo o ritmo da narrativa do princípio ao fim e a coerência dos fatos.

A personagem histórica, e parente dos Cahill, da vez é o compositor austríaco Wolfgang Amadeus Mozart, por isso, a busca da nova pista começa na Aústria. Sem ao menos percebermos, nós leitores vamos aprendendo muito sobre história e personalidades ao acompanharmos os raciocínios de Amy e Dan. Ler 39 Clues é praticamente ter uma aula de História, mas sem ficar com aquela vontade de debruçar na cadeira pra poder dormir. Vou confessar, quando vi que a personalidade explorada seria Mozart, achei que o enredo e a perseguição da nova pista seria um pouco chato, pois não me interesso muito por música clássica. Mas o autor soube delinear muito bem os fatos e me vi, de repente, interessadíssima na vida do compositor. O enredo é bem construído e não possui falhas, na minha opinião.

Como são muitos os personagens secundários da família Cahill, que também estão atrás das pistas, acho que até aqui os autores dividem bem a aparição de todos eles ao longo da narrativa. O que não deve ser nada fácil, pela quantidade numerosa de times: são 7 no total, e eu sempre acabo confundo as famílias. Porém, confesso que senti falta de uma presença maior de Irina Spasky nesse volume da série, pois ela é a minha rival favorita dos irmãos Cahill, com aquele ar de ex-agente da KGB e o estilo que me lembra muito da Carmen Sandiego, minha vilã preferida de todos os tempos! Creio que um dos rivais que mais é destacado nesse volume é o mundialmente famoso, mimado e irritante Jonah Wizard – e seu pai engravatado que está sempre ao seu lado com um Blackberry na mão. O personagem de Jonah é tão bem escrito que é praticamente impossível pro leitor ao menos tentar simpatizar com o garoto.

Um grande destaque nesse livro, pra mim, foi a maior participação da fiel au pair Nellie, que segue na busca junto com Amy e Dan apesar de não ter nada a ver com a insana família Cahill, e a presença do arisco gato Saladin, que era o bichinho da querida Grace. Gostei muito de poder observar também o crescimento dos personagens de Amy e Dan. A maior profundidade e as mudanças que são feitas em cada um dos dois é visível. Ambos estão amadurecendo e deixando de lado a inocência que tinham no começo da busca, e começam a realmente desconfiar de tudo e de todos e até – vejam só – a trapacear assim como seus parentes, mesmo sendo “só de leve”. Os irmãos Cahill são muito carismáticos, talvez principalmente pelo fato – clichê, infelizmente – de serem duas crianças sozinhas no mundo, em busca da verdade sobre sua família, com milhões de obstáculos a serem superados a cada instante.

Apesar do livro ser para o público jovem, é uma leitura agradável para todas as idades, que te leva, literalmente, em uma viagem pelo mundo. Minha vontade ao ler o livro era parar no meio e ir buscar na internet imagens de todos os locais – principalmente os museus – e objetos mencionados no livro para ter uma visão mais real do caminho que Amy e Dan estão trilhando em busca do grande tesouro dos Cahill. Para não interromper a leitura, fui anotando algumas palavras-chaves em um papelzinho para pesquisar depois na internet e matar um pouquinho da curiosidade.

E atenção professores de plantão! A série The 39 Clues possui ótimos livros para serem trabalhados nas escolas, inclusive em projetos multidisciplinares que podem incluir as matérias de História, Geografia, Português e Literatura.

Sobre Bru Fernández

Formada em Letras, trabalha como Revisora e Tradutora em uma agência publicitária e preenche suas horas vagas assistindo a seriados, filmes e partidas de futebol, vôlei, basquete e ice hockey, além de ouvir música, ir a shows e, claro, ler. Não curte chick-lits e prefere os thrillers, policiais, YA e fantasia. Nunca sai de casa sem guarda-chuva e um livro na bolsa, afinal nunca se sabe quando irá chover ou surgir uma fila/trânsito em São Paulo.

5 comentários

  1. tweets_by_gabi

    resenha perfeita, livro maravilhoso(parece pelo menos)

  2. Nossa esse livro é otimo ele dis de muitas coisas de aventura por exemplo, entre outras coisas que existe nesse livro otimo msm!!

  3. eu tenho o livro,é muito bom mesmo.teno ele é o primeiro…
    muito bom espero que vcs tbm gostem.
    bjs…

  4. Guthemberg Bernardes

    O segundo livro da série é simplesmente espetacular.E mais ou menos um Código da Vinci mas tendo como protagonistas dois jovens…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*