sexta-feira, 20/10/2017
Últimas do LeS:
Capa » Resenhas de Série » Resenha: “Especiais”, de Scott Westerfeld

Resenha: “Especiais”, de Scott Westerfeld

EspeciaisLivro: Especiais (#03)
Série: Feios
Autor: Scott Westerfeld
Editora: Galera Record
Páginas: 351
Tradução: André Gordirro
Resenha por: Cine
Comprar: Saraiva Cultura Submarino

Tally agora é uma Especial. Mais do que isso, é uma Cortadora. Agora ela tem uma beleza cruel e um corpo cem por cento letal. Com seus sentidos aguçados e mente sagaz, nada pode impedi-la de cumprir sua missão, principalmente se envolve acabar com a Nova Fumaça. Ou melhor, quase nada.

O reencontro com lembranças da sua antiga vida traz à tona sentimentos fortes, que balançam as certezas de sua mente especial. Agora resta a Tally decidir quem vai ganhar essa disputa: seus instintos treinados de Especial ou sua verdadeira consciência.

ATENÇÃO! Esse livro não é o primeiro da série e a resenha pode conter spoilers! Confira nossas resenhas anteriores dessa série, clicando na capa desejada:

Feios Perfeitos

Como começar a resenha de uma série que se tornou uma de minhas favoritas? Quando eu finalmente recebi Especiais fiquei extremamente ansiosa para lê-lo, exatamente pelo o final que Scott Westerfeld tinha dado a Perfeitos, mas por mais que eu tenha devorado o terceiro e último livro da série Feios, ele deixou um pouco a desejar.

Como já é sugerido no título e ao final de Perfeitos, a história envolve toda a aventura de Tally como uma Especial cortadora. Quem leu Perfeitos sabe que Shay formou uma turma de “cortadores” onde todos tinham que se cortar para permanecerem borbulhantes e essa turma acabou se tornando um novo grupo de Especiais, muito mais sagazes e temidos e que podem viver fora das regras impostas pela Nova Perfeição.

O livro já começa em um ritmo frenético, onde os cortadores estão tentando a todo custo desvendar onde a Nova Fumaça está escondida e como é que eles estão espalhando a cura para a cirurgia de Perfeitos. É interessante, assim como nos outros livros, descobrir um pouco mais sobre essa nova sociedade que os personagens estão inseridos e saber cada detalhe de como é ser um especial, afinal eles são os que sempre foram apresentados como frios e calculistas, então sempre ficou a dúvida do porque serem desse jeito e se até mesmo personagens rebeldes como Shay e Tally seriam capazes de ficarem tão temíveis como Dr. Cable.

A resposta é que sim, Tally e Shay não só podem ficar frias e calculistas como pode ser um pouco difícil de engolir essa nova personalidade das personagens no início. Seus pensamentos superiores irritam um pouco, mas eu acho que essa inquietação é fundamental, já que se eu conseguisse ainda simpatizar com Tally como uma Especial, não consideraria este um bom livro.

Assim como nos outros volumes da série, a narrativa da história segue uma característica que eu particularmente não curto muito, que é divisão da história em três partes. A vida de Tally é sempre uma constante fuga onde ela precisa salvar algo ou a si mesma, e a metade dos livros é sempre a descrição infinita de Tally na floresta seguindo uma jornada que a levará para o desconhecido e são exatamente nessas horas que os pensamentos da personagem me tiram do sério um pouco. Suas divagações muitas vezes são tão desnecessárias e infantis e não vejo como elas podem acrescentar à história.

O final do livro é bastante surpreendente, coisas que eu nunca imaginaria acontecer, aconteceram. Coisas boas que me deixaram extremamente feliz e coisas ruins, que me deixaram bem insatisfeita e frustrada por saber que esse é o último livro da série e certos personagens não tiveram o desfecho que os fãs gostariam que tivessem.

O mundo que Scott criou me deixou fascinada e no final de cada capítulo eu sempre ficava me perguntando “e se isso fosse realmente verdade?”. Adorei a forma como o autor conseguiu abordar essa nova sociedade, mas sem esquecer-se de fazer uma conexão com o que estamos vivendo agora. Especiais me fez pensar que realmente não importa o quanto o ser humano tenta aperfeiçoar as coisas, tenta salvar o mundo com suas novas tecnologias e etc, uma pequena agulha em um palheiro sempre pode causar uma guerra besta em busca de um poder que tem muito mais a ver com o status e o domínio que uma nação tem sob outra, do que realmente pela vontade de viver em um mundo muito melhor.

No geral Especiais só não se tornou meu favorito da série porque Feios conseguiu me introduzir tão bem nessa sociedade criada pelo autor, que é impossível não ter uma preferência por ele. Ainda sim, o terceiro volume de Feios está a altura das histórias fascinantes que Scott Westerfeld consegue criar e a única coisa que me deixou insatisfeita foi o final do livro que me deixou com um ponto de interrogação bem grande e ansiosa por uma continuação das jornadas de Tally, o que vai ser difícil acontecer, já que Especiais termina a série Feios, mas ainda existe o livro Extras, que também é ambientado na sociedade de Nova Perfeição, mas com personagens principais diferentes e uma nova temática.

Eu já li a sinopse de Extras e fiquei super ansiosa pela sua história, apesar de ter certeza que sentirei falta de Tally, David, Zane e até mesmo Shay.


Aviso Legal: Esse livro foi adquirido pela própria resenhista.

Sobre Cine

Jornalista e professora de inglês, vivendo o sonho de morar em Nova York e ainda tentando descobrir se seria possivel viver dentro de uma da Barnes and Nobles. Viciada em cultura, passa os dias tentando decidir que livros ler enquanto tenta se encontrar na vida.

6 comentários

  1. Meu amigo me fala tanto dessa série!
    Estou curiosa para ler…
    Beijos, Mila ♥

    @Camilla_Leitte
    http://sonhosentrepontinhos.wordpress.com

  2. Eu só espero que a Tally fique com o Zane!!!

  3. Bárbara Messa

    OMG eu achava que extras fazia parte da séria e que ia ter um outro fim para Tally e David… Tô chocada.. mas enfim não muda minha opinião a respeito da série que eu considero inteligentíssima. Adorei a forma como Scott escreve e mas ainda a inteligencia que ele teve para ambientar os leitores. Extraordinário sem dúvida é uma das minhas séries preferidas, pois faz o leitor parar para pensar aonde estamos indo com nossos ideias.
    Boa resenha!

  4. Tbm fiquei com um ponto de interrogação na cabeça em relação ao final.

  5. Big fail na resenha, como assim as divagações internas da protagonista são desnecessárias à trama, filha D:

    Elas são justamente o que marca o crescimento pessoal da personagem, sem elas a Tally de repente mudaria de personalidade e nós não saberíamos direito porque, ficaria uma transformação estranha e sem razão. Elas servem inclusive de preparação para cada volume seguinte, que a cada vez aumentava a densidade da atmosfera em que a trama é narrada.

    Sem falar que é justamente nessas conversas internas que as maiores críticas à sociedade atual são feitas, é onde ficam nas entrelinhas os questionamentos a nossa própria realidade (a “ditadura” da beleza, as relações de poder, a organização sócio-política dos países etc). São a parte principal do enredo, é o mote de sustentação do argumento de enredo ‘-‘

  6. Li a trilogia e gostei bastante, porém tem alguns personagens que realmente não gostei do final deles como o de Zane por exemplo. A série feios nos faz pensar o quanto o mundo está errado que chegou a um ponto onde tiveram que fazer lesões na cabeça dos ”perfeitos” para não haver guerra … enfim especiais é um ótimo livro que me surpreendeu do começo ao fim tinhas uns momentos que eu ficava nervosa a respeito do que tally era capaz de fazer para resolver uma situação.
    Portanto pra quem gosta de ação, adrenalina e coragem Especiais é um livro que eu totalmente recomendo =DDD

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*