quinta-feira, 19/10/2017
Últimas do LeS:
Capa » Notícias » Resenha: “Anaid e o Clã da Loba”, de Maitê Carranza

Resenha: “Anaid e o Clã da Loba”, de Maitê Carranza

Livro: Anaíd e o Clã da Loba
Série: A Guerra das Bruxas
Autor: Maite Carranza
Paginas: 352
Editora: Mundo Editorial
Resenhado por: Nanda
Comprar: Saraiva Cultura Submarino

Desde tempos remotos, os clãs das bruxas Omar viveram escondendo-se das sanguinárias bruxas Odish e esperando a chegada eleita pela profecia.Agora, os astros confirmam que o tempo está próximo.
Anaíd que viveu durante os seus catorze anos afastada em um povoado na região dos Pirineus, ignora os segredos que afetam as mulheres de sua família… Até que o misterioso desaparecimento de sua mãe, Selene, a ruiva, a põe frente a frente com uma verdade tão apavorante como incrível e a obriga a percorrer um longo caminho coalhado de perigos e descobrimentos.

Anaíd é uma garota de 14 anos, com aparência de 11 que é discriminada na escola por não ter se desenvolvido como as outras garotas e por ser mega inteligente. Mesmo com a perda da avó, um ano antes, a menina ainda tem todo o apoio e carinho da mãe, Selene.

No entanto, logo no começo do livro, a menina descobre que sua mãe desapareceu misteriosamente (com a desculpa de ter fugido com um suposto namorado). O objetivo da desculpa é que tudo isso faria com que Anaíd sofresse muito, mas ainda assim a garota seguiria com sua vida. Claro que isso só seria possível se a garota não tivesse descoberto que ela faz parte de um grupo muito peculiar: ela é uma bruxa.

Em meio a descoberta de poderes (incluindo transformações corporais), lições de magias, e a busca por sua mãe perdida, Anaíd aprende sobre a guerra entre as bruxas Omar (buscam garantir o bem-estar de outras pessoas) e Odish (buscam poder e juventude). Anaíd também conhece os diversos clãs de bruxas Omar, com quem ela pode aprender muitas coisas sobre o novo mundo a qual pertence e sobre sua própria mãe. Nessa jornada ela descobre a profecia da Eleita, que indica que uma pessoa pode por o fim das guerras entre os dois grupos de bruxa.

Ao que tudo indica, sua mãe – Selene – é a Eleita, mas se aliou às Odish (o que dificulta um pouco as coisas). Para resgatá-la, Anaíd deve sempre acreditar no seu amor pela mãe e deve também aprimorar seus poderes para lutar contra as Odish – a garota demonstra uma capacidade fenomenal de lidar com os próprios poderes.

Anaíd pode nos lembrar – em alguns aspectos – personagens infanto-juvenis famosos, pois é corajosa, descobre ter grandes poderes (e também grandes deveres), tem que aprender muita coisa ao mesmo tempo em que demonstra grande habilidade para lidar com tudo o que acontece a sua volta… bem familiar, certo? Tirando um detalhe: ela é uma menina! Estamos bastante acostumados em ver meninos como personagens principais de livros assim – enquanto as meninas são apenas secundárias e ficam como melhores amigas, namoradas etc. Esse não é o caso em Anaíd, que é uma história que dá grande ênfase ao poder feminino e na qual as mulheres são o foco principal (na maioria das vezes são o único foco). Ao parar para pensar nisso, percebi que faltam mesmo aventuras fantásticas na literatura infanto-juvenil atual como A Guerra das Bruxas, que tenham como personagem em destaque uma mulher. Afinal as únicas outras séries de aventura que tem uma protagonista mulher que me vem a cabeça no momento são Fronteiras do Universo e A Terra de Elyon! Acho que existe uma insegurança por parte dos autores de colocar uma protagonista feminina nesse tipo de livro, com medo de deixar tudo muito mais próximo de romance que de aventura – normalmente as protagonistas em aventuras infanto-juvenis andam lado a lado a um irmão ou a amigos, como acontece em Desventuras em Série, As Crônicas dos Kane, The 39 Clues etc.

Outro detalhe do livro que não pode escapar é o local onde se passa a história: Espanha. A Espanha é um cenário de muitos romances, principalmente romances antigos – como Don Quixote. Acho que nunca havia pensado na Espanha como ambiente interessante para uma história infanto-juvenil antes de ler esse livro. E acho que deu certo… fugir um pouco dos EUA ou do Reino Unido faz bem!

Além disso, o livro Anaíd e o Clã das lobas tratam de problemas comuns a adolescência: problemas de crescimento, necessidade de ter amigos, necessidade de se adaptar. A história me conquistou! E mal posso esperar para ler o segundo livro: Anaíd e o Deserto de Gelo…

Sobre Nanda

Formada em Relações Internacionais e Economia, tem 25 anos, é hiperativa e adora organizar eventos (principalmente de livros). Também adora filmes, livros (principalmente aventuras infanto-juvenis, como Percy Jackson, Harry Potter e The 39 Clues), música, viagens, Disney, desenhos japoneses, maquiagem e coleções.

Um comentário

  1. As Guerras do Mundo Emerso tbm tem como protagonista uma menina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*