terça-feira, 16/08/2022
Últimas do LeS:
Capa » Especial Bienal » Saiba tudo que rolou na passagem de Hilary Duff pela Bienal (e a desorganização da organização do evento)

Saiba tudo que rolou na passagem de Hilary Duff pela Bienal (e a desorganização da organização do evento)

Desorganização foi a palavra do dia para os fãs de literatura teen na Bienal: foi hoje a participação de Hilary Duff, autora e cantora que agora também virou escritora. Ela é a autora da série “Elixir” e foi até a feira fazer uma sessão de autógrafos para 300 fãs além de um bate-papo com eles.

A feira abria oficialmente às 10h e quando nossa equipe chegou lá, às 9h, para tentar pegar senhas para a sessão de autógrafos, a fila já estava gigantesca. Não havia nenhum segurança organizando as pessoas, muito menos dando informações. Foi cada um por si na hora em que os portões foram abertos. O empurra-empurra foi perigosíssimo e a falta de educação das pessoas, enorme. Tinha gente caindo e o pessoal passava por cima sem dó. Foi triste de ver. Depois de entrar, todo mundo saiu correndo em direção ao estande da Editora iD para tentar uma senha. Havia pouquíssimos seguranças no local, o público furava fila e se empurrava para tentar ser um dos 300 primeiros sortudos a pegar o papel que permitiria a entrada para conhecer Hilary Duff. Nossa equipe, graças a Deus, conseguiu. A fila para pegar senha para o “Conexão Jovem” (sim, mais uma senha) também estava gigante. Tinha tanta gente que resolveram fazer mais uma sessão de perguntas às 14h, além da que já teria originalmente às 12h.

Entramos no auditório para assistir ao “Conexão” das 12h. Após instruções de seguranças e organização para que todos ficassem sentados, a cantora entrou na sala sob aplausos e gritos histéricos dos fãs chorosos. Ela é impressionantemente linda! Simpaticíssima, respondeu a todas as perguntas que pôde com um sorriso no rosto e agradeceu a cada fã que dizia que a amava. Inclusive, um ponto negativo (MUITO negativo) dessa parte da Bienal foi esse: muitos fãs fazendo perguntas altamente desinteressantes. E gritos e choros, muitos gritos e choros. Mas maus-humores à parte, houve algumas perguntas pertinentes. Hilary falou sobre a escolha do Rio de Janeiro como parte do cenário de seu livro e em como ela quis que fizessem parte da história lugares que ela adora. Disse que a experiência de escrever é muito diferente de tudo que ela já tinha feito e que havia ficado extremamente ansiosa logo no início da escrita do livro, mas que as idéias foram fluindo e que conseguiu colocar no papel tudo aquilo que queria. Ela confessou, no entanto, que prefere cantar a escrever. A atriz revelou que todas as perguntas que ficaram sem resposta no primeiro livro da trilogia, “Elixir”, são respondidas no segundo, “Devoted”, que será lançado no ano que vem nos Estados Unidos. Neste volume haverá inclusive, uma grande virada na história, mas ela, obviamente, não revelou o que é.

Além de perguntas sobre seu livro, surgiram inúmeras perguntas sobre sua carreira de cantora e atriz, é claro. Hilary revelou que pretende sim voltar a fazer turnê e a gravar novos CDs, mas que está focada em sua gravidez e em seu casamento agora (ela está com quatro meses! Mas ainda não sabe se é menino ou menina). A artista disse até que vai fazer enquete no Twitter para o pessoal escolher o nome do bebê! Mas era brincadeirinha, é claro…

Com o fim do “Conexão” é que começou a verdadeira desorganização. Inicialmente, tanto a editora quanto a organização da Bienal disseram que os autógrafos seriam dados no próprio estande da iD. Faltando cerca de 10 minutos para as 16h, horário em que estava marcado para a sessão começar, eles foram avisar a todos os fãs que estavam na fila que o evento havia mudado de lugar. A debandada foi geral e foi uma bagunça e correria para pegar lugar na frente. A fila mudou toda e quem estava na frente ficou lá atrás. E ah, como sempre, pela falta de seguranças, tinha muuuita gente furando.

Na sessão de autógrafos, nos pediram para tentar ter o mínimo de contato possível com a moça (ela está grávida, gente! Isso é lógico e muito sensato da parte deles de se pedir.), mas mesmo assim ela abraçava quem pedisse por um abraço e tirava fotos individuais com todos. *

O acontecimento de hoje e o frisson causado por Hilary Duff mostraram o despreparo da organização (e também uma certa inocência) para receber uma artista do porte dela. Acostumados com celebridades que são apenas autores, não se prepararam para receber uma artista que tem a carreira literária como a última coisa na sua lista. Hilary é, antes de tudo, uma super star pop, a maior artista da Disney do fim da década de 90 e início dos anos 2000. A segurança devia ser absurdamente maior e preparada para lidar com 1000 adolescentes histéricas.

Apesar de tudo isso, Hilary mostrou ser um amor. Dedicadíssima com seus fãs, fez o que estava a seu alcance para agradá-los. Demonstrou ser extremamente preparada para lidar com esse tipo de coisa e que sabe contornar qualquer tipo de situação. Também, pudera, ela trabalha com o show biz desde que era uma criança. Ela é uma fofa!

Esperamos, no entanto, que na Quarta-Feira, dia 7, seja diferente. A Bienal receberá, então, a visita de Anne Rice, cuja sessão de autógrafos será feita sem senhas! Segurem-se e preparem-se para enfrentar fila. Muuuuuita fila!

Clique nas miniaturas abaixo para ver algumas fotos exclusivas do “Conexão Jovem” que a querida da Paloma Fontes tirou exclusivamente para o LES

Image and video hosting by TinyPic Image and video hosting by TinyPic Image and video hosting by TinyPic

*Se você tirou foto com Hilary Duff, vá até o site www.editoraid.com.br/HilaryNaBienal ainda esta semana para fazer o download.

PS.: Ainda essa semana, postaremos alguns vídeos legendados que gravamos da Hilary Duff e da Alyson Noel no “Conexão Jovem”. Aguardem!

Sobre Mary

8 comentários

  1. Hilary diva! Queria mto ter a visto!

  2. Nossa, que tenso isso tudo, eles não entendem quem é Hilary Duff ah por favor né ‘-‘
    Queria eu ter visto de perto aquela princesa linda e perfeitaaaaaa *-*

  3. Ai, queria muito ter ido, apesar da desorganização xD
    Mas vi ao vivo pela transmissão do site da Bienal, na hora que ela estava respondendo às perguntas dos fãs *—*
    Espero conseguir um autógrafo dia 7 da Anne Rice, é um dos motivos pelo qual irei nesse dia *-* tomara que só tenha fila, sem nada de empurra-empurra (tenho medo disso o.O)

  4. que bom que vcs comseguiram ver a hillary, queria muito ter ido e q chato da parte da bienal essa desorganizacao espero q na proxima melhore!

  5. falta de organização foi pouco. Cheguei lá 7h30, tinham 82 pessoas na minha frente, mas quando liberaram a entrada foi uma tortura, e enquanto isso os seguranças ficavam lá em cima só olhando pra gente e rindo. Lá dentro muita gente furou fila e não consegui a senha por umas 10 pessoas na minha frente, triste. Pelo menos a vi na Sala dos Autores, ela estava chocada com a quantidade de pessoas, mas continuou simpática, mandando bjos pra todos. Eles não entenderam que antes dela ser escritora, ela era cantora/atriz e muita gente ali só queria uma foto com ela :/

  6. O “engraçado” é que quase sempre que tem algo envolvendo celebridades, tipo shows, sessão de autógrafos, etc, acontece algum tipo de bagunça devido à falta de organização. Isso que aconteceu era muito bem passível de ser previsto. Tirando essa parte da segurança (ou a falta dela), acho meio vergonhoso esse comportamento dos fãs, que ficam tão histéricos a ponto de esquecerem a educação, o respeito ao próximo. O que adianta ficar numa fila já sabendo que vai ter gente furando e pisoteando as pessoas? Não pude ir à Bienal, e sim, teria muita vontade de ver a Hilary de perto, mas sério, isso tudo me causa vergonha alheia.

    Bjs,
    escrevendoloucamente.blogspot.com

  7. Bárbara Barreiros

    A desorganização está presente para todos os eventos. Esse problema também ocorreu com a Alyson Noel. Muitas pessoas furando fila, o que gerou um desgaste enorme dela e de quem estava aguardando, pois foram quase 6h de espera para um autografo.
    Além disso o site, o twitter e a organização no local parecem não se falar pq divulgaram , por exemplo o inicio do evento no fim de semana como 9:00h e na verdade só abriram os portões as 10:00h. Muitas pessoas chegaram cedo e ficaram aguardando horas (meu caso) sem uma informação…
    Este ano os descontos, lançamentos e autores estão ótimos, mas a organização e a parte de comida está péssima!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Livros em Série