sexta-feira, 13/10/2017
Últimas do LeS:
Capa » Resenhas de Série » Resenha: “O Restaurante no Fim do Universo”, de Douglas Adams

Resenha: “O Restaurante no Fim do Universo”, de Douglas Adams

Livro: O Restaurante no Fim do Universo
Série: O Guia do Mochileiro das Galáxias
Autor (a): Douglas Adams
Páginas: 240
Editora: Sextate
Resenha por: Bárbara
Comprar: Saraiva Cultura Submarino

O que você pretende fazer quando chegar ao Restaurante do Fim do Universo? Devorar o suculento bife de um boi que se oferece como jantar ou apenas se embriagar com a poderosa Dinamite Pangaláctica, assistindo de camarote ao momento em que tudo se acaba numa explosão falta?

A continuação das incríveis aventuras de Arthur Dent e seus quatro amigos através da Galáxia começa a bordo da nave Coração de Ouro, rumo ao restaurante mais próximo. Mal sabem eles que farão uma viagem no tempo, cujo desfecho será simplesmente incrível.
O segundo livro da série de Douglas Adams, que começou com o surpreendente O guia do mochileiro das galáxias, mostra os cinco amigos vivendo as mais inesperadas confusões numa história cheia de sátira, ironia e bom humor.

Com seu estilo inteligente e sagaz, Douglas Adams prende o leitor a cada página numa maravilhosa aventura de ficção científica combinada ao mais fino humor britânico, que conquistou fãs no mundo inteiro. Uma verdadeira viagem, em qualquer um dos mais improváveis sentidos.

“Há uma teoria que diz que se um dia alguém descobrir exatamente qual é o propósito do Universo e por que ele está aqui, ele desaparecerá instantaneamente e será substituído por algo ainda mais bizarro e inexplicável. Há uma outra teoria que diz que isso já aconteceu.”

É assim que Douglas Adams começa o livro ‘O Restaurante no Fim do Universo’, segundo volume da série “o Guia do Mochileiro das Galáxias”.

Conhece aquela máxima que “livros do meio costumam ser os mais chatos de uma trilogia”? Pois então, isso não acontece com o Restaurante. Tudo bem que o livro não é tão recheado de novidades como o primeiro e nem apresenta a resolução do quinto, mas o Restaurante é um dos meus favoritos da série.

Eu explico. Nessa parte da história os tripulantes da nave Coração de Ouro estão sendo atacados por uma nave Vogon (sem deixar de mencionar que isso tudo tem início com desejo de Arthur Dent de tomar uma xícara de chá) e, história vai, história vem, eles acabam no Restaurante no Fim do Universo.

Não dá pra negar que viagens no tempo, construções de paradoxos complexos e um robô depressivo (que é a personificação de um grande amigo meu) são um prato cheio pra deixar você maluco pra devorar o livro. Mas, a crítica social que Adams faz (lembra lá no primeiro livro?) chega aqui ao ponto mais alto.

O Restaurante localizado no fim do Universo é o protagonista perfeito para esmiuçar os “defeitos” de uma sociedade como a nossa. Sem perder o bom humor ácido, que lhe é característico, Douglas Adams leva o leitor a pensar sobre o “A vida, o Universo e tudo mais” (que será o nome do terceiro livro da série).

Buscar o homem que rege o universo, conhecer a resposta sobre a questão da vida, do universo e tudo mais, fazer uma refeição no fim do universo e se enlouquecer com a incapacidade de um gerador de probabilidade infinita de fazer uma xícara de chá comum são apenas algumas das coisas que o leitor deverá encarar nessa fase.

E se ainda você não está convencido de que esse “livro do meio” vale a pena ser lido até o fim, a narração de um dos melhores espetáculos do universo, localizada no final da aventura, tem tudo pra te fazer mudar de idéia!

Sobre Bal

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*