sexta-feira, 15/12/2017
Últimas do LeS:
Capa » Notícias » Resenha: “Insaciável”, de Meg Cabot

Resenha: “Insaciável”, de Meg Cabot

Livro: Insaciável
Série: Insaciável
Autor(a): Meg Cabot
Páginas: 504
Editora: Galera Record
Resenha por: Nina
Comprar: Saraiva Submarino E-book

Cansado de ouvir falar de vampiros? Meena Harper também. Mas seus patrões estão fazendo ela escrever sobre eles de qualquer maneira, mesmo que Meena não acredite neles. Não que Meena não esteja familiarizada com o sobrenatural. Veja, Meena Harper sabe como vamos morrer. (Não que você vá acreditar nela. Ninguém nunca acredita). Mas nem mesmo o dom da premonição de Meena pode prepará-la para o que vai acontecer quando ela conhece – e comete o erro de se apaixonar – Lucien-Antonescu, um príncipe moderno com um lado sombrio. É um lado negro que muitas pessoas, como uma antiga sociedade de caçadores de vampiros, preferiria vê-lo morto. O problema é que Lucien já está morto. Talvez por isso ele é o primeiro cara que Meena já conheceu com quem ela poderia ter um futuro. Entenda, enquanto Meena sempre foi capaz de ver o futuro de todo mundo, ela nunca foi capaz olhar para o dela própria. E quando Lucien é o que Meena jamais sonhou como namorado, de repente ele pode vir a ser tornar o seu pesadelo. Agora pode ser uma boa hora para Meena começar a aprender a prever seu próprio futuro… Se ela ainda tiver um.

Escrever para uma novela que é sucesso na tv não deve ser fácil. Ainda mais quando essa novela já está no ar há 30 anos! O sonho de Meena Harper sempre foi ser a redatora-chefe do grande sucesso da TV, Insaciável. Mas depois de tantos anos no ar, fica difícil colocar coisas novas no enredo da novela. Mas o que Meena não podia esperar é que seus chefes, além de não promovê-la ao cargo que ela tanto fez por merecer, ainda querem que ela coloque VAMPIROS no enredo da novela – tudo isso para fazer frente à concorrente, a novela Luxúria.

Meg Cabot é sempre uma caixinha de surpresas. Se antes era difícil imaginar a autora escrevendo sobre vampiros, hoje é possível imaginar milhares de desdobramentos para a série. De um jeito bem sutil, ela consegue “tirar uma” com a cara de quem adora os vampiros da ficção de uma forma cega e ainda deixar a criatura vampiro muito adorável. Como sempre, há aquele embate entre BEM e MAL. Nesse livro especificamente, a linha que separa o bem e o mal é muito tênue, e muitas vezes o mesmo personagem pode estar de ambos os lados.

Meena Harper é uma personagem nada além do comum: nada de beleza estonteante, inteligência ou esperteza, tanto pelo contrário, ela é uma mulher comum (que apesar de ser um tanto mais velha, tem aquele toque de adolescente muito típico da autora) com uma imaginação fértil, e um grande poder: o de prever como as pessoas vão morrer.

Lucien Antonesco, o “herói” em questão, é do tipo misterioso, intenso. E é um clichê dos grandes. Não é um personagem cativante e não me agradou nem um pouco – e até acredito que a intenção da autora foi um pouco essa.

Algumas pessoas que leram o livro acharam que esse foi o investimento mais fracassado em termos de Meg Cabot, e muito pelo contrário, eu achei que esse foi o livro menos CLICHEZÃO da Meg, porque ela sempre usa das mesmas fórmulas e em Insaciável, ela sai um pouco da mesmice e faz algo diferente e inusitado. É certo que falar de vampiros não é nenhuma novidade assim, e não há nada de novo (eles bebem sangue, queimam no sol, viram morcegos, etc), mas o modo de inserí-los na história é o que faz desse livro um barato.

Para os fãs do estilo Meg de escrever, o livro é, em partes, uma grande decepção. Meg Cabot embarca em outro universo, mas o jeito dela está impresso até na forma de agir dos personagens. Se o livro viesse sem nome do autor, acho que muito conseguiriam identificar os traços da Meg na história.

Sem querer ser repetitiva, mas já sendo, é um livro diferente, mas vale a pena conhecer um outro lado da Meg, menos clichê e mais comédia.

Sobre Nina Lima

Poderia ser qualquer outra coisa, mas resolveu ser turismóloga e apaixonada pela Inglaterra e pelo McFLY. Leu a trilogia Jogos Vorazes em três dias e amou; considera Harry Potter a melhor série do mundo, adora a escrita da Meg Cabot e topa qualquer YA Book.

10 comentários

  1. Adorei a resenha Nina. Estou terminando de ler o livro e estou gostando muito. É muito divertido e com uma leitura agradável, sem enrrolação!
    Só queria saber se já se sabe quanos livros terá a série?

    Bjoks!

  2. Eu estou lendo Insatiable agora (em inglês mesmo. Comprei antes lançar aqui, mas é uma longa história…) e eu estou FASCINADO. Nunca tinha visto a Meg escrever em 3ª pessoa, e – por mim – ela está se saindo muito bem (sem falar das piadinhas internas com as outras séries de vampiros… Rsrsrsr).

    Nem chegeui na metade, e já tô querendo ler Overbite.

    Henri B. Neto
    ”Na Minha Estante”

  3. Quero muito ler este livro, por que afinal quero ler algum livro da Meg Cabot, e esta capa é maravilhosa, então acho que ele é bem diferente, mas comédia, meio que fazendo sátira com alguns vampiros, queria saber se esse é o livro ideal para começar á ler os livros da Meg. Adorei sua resenha!
    Beijos, Patricia :)

  4. O que eu mais gostei da sua resenha é que você não ficou puxando o saco da Meg e tecendo mil elogios pra um livro que nem é lá essas coisas. Eu adoro os livros da Meg, sou super fã desde os 11 anos, mas depois que li esse livro fiquei com a maior cara de bunda. Digo, o livro é hilário, e Dona Meg conseguiu escrever uma história legal sobre vampiros, com alguns personagens cativantes (Jon, Mary Lou, Jack Bauer), outros nem tanto (Meena é meio otária, Lucien me encheu o saco).

    Mas eu esperava mais. Porque é a Meg,gente! Eu, com meu feminismo gritante, esperava que a Meena fosse um pouquinho mais lutadora e inteligente, tipo a Suze de A Mediadora.

    Agora, acho que a Meg quis mesmo foi tirar onda, então tudo bem! Espero que o próximo seja tão engraçado quanto, porque pelas resenhas que tenho lido…nem comento!

  5. Amei a resenha sobre o livro .Essa história com certeza será um sucesso, acho a narrativa muito interessante e mexe com a nossa imaginação.

  6. Eu amei o livro é saboroso do começo ao fim… Quantos livros serão esta serie?

  7. Letícia Maria

    Sou muito fã da Meg desde quado posso me lembrar. Portanto foi com grande surpresa que comecei a ler Insaciável, pois é mesmo diferente do que eu já tinha lido dela. Mas a surpresa se revelou bastante agradável e me apaixonei perdidamente pela série, só para variar. Mas diferente de Nina, adorei Lucien, porque ele é um Vampiro completo: passional, perigoso… e não hesita em morder Meena, algo que ela por sinal acaba gostando muito. Interessante a presença de John, o irmão mal-sucedido da Meena, mas melhor mesmo é Alaric, o caçador, entre Meena e Lucien. Original e imperdível, contando os dias para o lançamento de Mordida!

  8. eu particularmente amei o primeiro e o segundo livro… me apaixonei pela historia logo quando comecei a ler…adoraria que tivesse continuação …

  9. feliz em ver que alguem concorda comigo. Eu fiquei simplesmente apaixonada pelo livro e via muita gente dizendo que a Meg Cabot errou a mão e eu não entendi em que. Meena é uma pessoa comum, entretanto não é uma personagem clichê, agora vendo sua resenha eu entendo a aversão por esse livro das leitoras da Meg , antes de insaciavel eu só tinha lido a serie mediadora da autora, então não sabia da existencia de um padrão tipico para os personagens. A Meena é uma pessoa madura então ela não fica perdendo tempo com draminhas e crises existenciais o tempo todo, ela é decidida e convicta dos proprios principios, para ela seres imortais com pacto com força das trevas não é uma coisa legal, e não é por causa de um cara que ela vai mudar seus conceitos, principalmente quando ele prova o quanto o vampirismo é perigoso. ela não dá uma de mocinha que pensa exclusivamente no relacionamento com o vampiro e não se importa em vender a alma para viver com o amado , ela é uma pessoa madura que entende a importancia de amar a si mesmo primeiramente, ela gosta da vida, gosta da ideia de ser uma pessoa normal, de ter um cachoro casar ,envelhecer e morrer junto aos seus amigos. Acho que o publico acostumado aos relacionamentos mais idealizados da ficção infantojuvenil não entende que na vida real se você abdica de quem você é em prol do relacionamento aquilo não vai dar certo. acho que esperavam mais uma garota que só pensa no amor romantico e esquece de todo o resto, essa para mim sempre foi a ideia principal do livro ser um vampiro não é certo. Eu amei (SPOILER) como ela descobriu como salvar a alma dele e amei como ela ficou com o Alaric e foram viver uma vida normal, Meena é uma pessoa que entende o quão precioso é viver uma vida normal ( provavelmente pelo contato que ela tem com a morte), é o tipo de coisa que as pessoas demoram a descobrir, provavelmente foi por isso que o livro não agradou a todos, nem todo mundo descobriu que as coisas que importam na vida são as coisas mais basicas e simples.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*