quinta-feira, 25/05/2017
Últimas do LeS:
Capa » Notícias » Resenha: “O último desafio” (The 39 clues), de Margaret Peterson Haddix

Resenha: “O último desafio” (The 39 clues), de Margaret Peterson Haddix

O último desafioLivro: O último desafio (#10)
Série: The 39 Clues
Autor (a): Margareth Peterson Haddix
Editora: Ática
Páginas: 340
Tradução: Rafael Mantovani
Resenha por: Bruna
Comprar: Saraiva Submarino Cultura Amazon + ofertas

Cinco continentes, quinze países.
Foi longa a jornada de Amy e Dan em busca das 39 pistas que levam ao grande poder dos Cahill. Durante as poucas semanas em que percorreram o mundo, eles fizeram descobertas que mudaram suas vidas: sobre a família, sobre os pais e sobre si mesmos. Agora na Inglaterra, os irmãos, na companhia da au pair Nellie, vão enfrentar seu último desafio. Guiados pela vida e obra de William Shakespeare, terão de fazer as escolhas certas para atingir seus objetivos, muito diferentes daqueles do início da corrida — e bem mais difíceis.

ATENÇÃO! Esse livro não é o primeiro da série e a resenha pode conter spoilers! Confira nossas resenhas anteriores dessa série, clicando na capa desejada:

O labirinto dos ossos Uma nota errada O ladrão de espadas #04 - Além do túmulo #05 - O círculo negro #06 - Nas profundezas Ninho de cobras
O Código do Imperador Alerta de Tempestade

Finalmente chegou! Para a alegria – e talvez tristeza, por que não? – de todos foi lançado O último desafio, o volume “final” da série The 39 Clues. Depois de passar por vários países, arriscarem suas vidas, serem ameaçados, serem salvos e até mesmo salvarem seus parentes de intenções duvidosas de situações de vida ou morte, Amy, Dan e Nellie chegam ao final da caça às 39 pistas. Mas será esse mesmo o final?

O último desafio começa em Londres com nossos protagonistas preferidos, esgotados e confusos depois de “escalar” o Everest em busca de mais uma das pistas. Eles se questionam se deveriam continuar na caça e se a “missão” que foi dada a eles realmente é algo que eles conseguirão alcançar. Porém, como sempre, a última pista que eles possuem acaba sendo roubada. Entretanto, antes de ser roubada, Nellie havia lido o enigma em voz alta e Amy já sabia que a pista se tratava de William Shakespeare. Eles então vão para uma apresentação da peça Romeu e Julieta no Globe Theatre. Mas acontece que a família Cahill toda está no teatro e lá estão também os Starlings, lembram-se deles? Eles são trigêmeos que foram parar no hospital depois de uma explosão no primeiro livro da série, O Labirinto dos Ossos. Essa foi uma surpresa, não esperava a volta desses personagens em momento nenhum depois do 3º livro.

No último volume, Alerta de Tempestade, descobrimos para que servem os ingredientes que os irmãos coletaram até agora e continuam a buscá-los. Gideon Cahill, um ancestral, estava tentando achar a cura para a Peste, mas o que ele não sabia era que essa cura, que era um soro, alterava o DNA do seu usuário, dando a ele/ela habilidades melhores em todas as áreas das atividades humanas. Gideon então deu a cada um de seus quatro filhos uma parte do soro principal e logo depois ele morreu em um incêncio. Os filhos começaram a culpar uns aos outros e se separam, criando então seus clãs: Lucians, Ekaterina, Tomas e Janus. Entretando o que ninguém jamais soube foi que a esposa de Gideon, Olivia, estava grávida quando ele morreu e a família se separou. Grávida de Madeleine Cahill, a fundadora dos Madrigals, Olivia criou Madeleine fazendo-a acreditar que nada no mundo é mais importante que a família. E esse é o objetivo dos Madrigals: reunir a família Cahill toda.

Creio que esse volume tenha sido o mais extenso de todos, ou pelo menos é a impressão que ele passou. Eu pelo menos sentia que o final não chegava nunca, mas parte disso, com certeza, se deve a minha enorme curiosidade de chegar ao final e saber o desfecho dessa ótima história! Em momento nenhum há enrolação no enredo e a minha ansiedade que me fez devorar as páginas em apenas dois dias. Acho que todo mundo que lê a série vai concordar comigo quando eu disser que ao terminar um volume nossa vontade é pegar logo o próximo e continuar lendo, um atrás do outro, sem parar. Ficava imaginando o que teria acontecido com a família Cahill e confesso que a história do soro me convenceu. Estava esperando uma teoria mais fraca, porém achei a história muito verossímil.

É engraçado como acompanhamos o amadurecimento de Amy, Dan e até mesmo de Nellie nos últimos nove livros e quando chegamos nesse último, a história muda de foco. Vemos nessa narrativa o amadurecimento dos outros personagens: Jonah Wizard (que por incrível que pareça ficou mais tolerável, e perdeu o título de “mais chato” depois desse volume!), Ian e Natalie Kabra, Hamilton Holt, todos estão diferentes do que eram no começo dessa caçada às pistas. Diferentes talvez não seja a palavra exata, mas eles estão mais independentes também. Apesar de ainda prezarem pelas individualidades de seus clãs, podemos ver os personagens criando a sua própria identidade e vê-los agir pelos próprios conceitos e princípios e não o que foi estabelecido por seus pais e ancestrais. Muitíssimo interessante de se ver como foi tudo muito bem estruturado pelos escritores.

O enredo do livro balanceia bem entre a ação e a emoção, como todos os outros autores da série fizeram tão bem. Todos os escritores envolvidos estão mais do que de parabéns pelo resultado da série por conseguirem manter uma linha padrão em seus enredos com apenas pequenas oscilações entre eles. Além de trazer uma aventura sem precedentes para os leitores, os autores proporcionam momentos de lazer e ao mesmo tempo um vasto aprendizado sobre personalidades histórias e sobre a cultura de outros países com um enredo envolvente que agrada a todas as idades e gêneros.

E se você já está sentindo falta das peripércias dos irmãos Cahill e Nellie, pode ficar tranquilo: Rick Riordan, alguns autores de 39 Clues e alguns novos autores já estão trabalhando na continuação da série: Vespers x Cahill. Só nos resta saber se a Editora Ática vai lançar essa coleção por aqui também. Já estou na torcida, e vocês?!

Confira as resenhas dos livros anteriores: O Labirinto dos Ossos, Uma Nota Errada, O Ladrão de Espadas, Além do Túmulo, O Círculo Negro, Nas Profundezas, O Ninho de Cobras, O Código do Imperador e Alerta de Tempestade.

Sobre Bru Fernández

Formada em Letras, trabalha como Revisora e Tradutora em uma agência publicitária e preenche suas horas vagas assistindo a seriados, filmes e partidas de futebol, vôlei, basquete e ice hockey, além de ouvir música, ir a shows e, claro, ler. Não curte chick-lits e prefere os thrillers, policiais, YA e fantasia. Nunca sai de casa sem guarda-chuva e um livro na bolsa, afinal nunca se sabe quando irá chover ou surgir uma fila/trânsito em São Paulo.

2 comentários

  1. Esse livro é muito bom… Eu já li e sou muito fã da série toda…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*