sexta-feira, 13/10/2017
Últimas do LeS:
Capa » Notícias » Resenha: “A estrada fantasma”, de Tony Abbott

Resenha: “A estrada fantasma”, de Tony Abbott

Livro: A Estrada Fantasma
Saga: Os fantasmas de Derek Stone
Autor: Tony Abbott
Paginas: 96
Editora: Fundamento
Resenhado por: Nanda
Comprar: Saraiva Cultura

Você não vai acreditar. Vai dizer que é loucura, que é impossível ou qualquer outra coisa… Mas é a mais pura verdade. Os mortos estão voltando.

A descoberta de um terrível segredo sobre o próprio passado mexeu com Derek. Ele está confuso, sem saber se acredita ou não em sua mãe. Afinal, a história que ela contou explica muitas coisas que têm acontecido/aconteceram com ele, mas é dolorosa demais para ser digerida.

Só que Derek está sem tempo para se lamentar. Ele tem menos de 24 horas para fechar a Ferida, que separa os vivos dos mortos, antes que a Legião consiga trazer de volta seu exército de almas condenadas. Mas para isso precisa decifrar os enigmas escondidos no poema A Estrada Fantasma, escrito por um ilustre “antepassado”, Ulysses Longtemps.

Mesmo com os inimigos em seu encalço, Derek, Ronny e Abby seguem em uma jornada frenética para salvar a humanidade. O que eles não sabem, porém, é que A Estrada Fantasma é nada mais, nada menos, que uma rota de colisão com O Primeiro, o verdadeiro líder da Legião, que está disposto a fazer de tudo para concretizar seus terríveis planos.

O destino do mundo está nas mãos de Derek Stone. Ele não pediu isso. Mas, agora, vai até o fim.

A vida de Derek Stone é realmente muito confusa. Além de ver o irmão morto voltar, além de ter que descobrir como impedir um exército de mortos vivos, além de correr risco de vida a cada segundo do seu dia, ele descobre que quando tinha 4 anos ele foi transferido.

Ou seja, agora Derek sabe que divide seu corpo com outra pessoa: Ulysses Longtemps – um antepassado que conseguiu fechar a feria pela primeira vez e retornou no corpo de Derek para fechá-la novamente. Ao que parece, todas as respostas estão em um poema escrito pelo capitão Ulysses. E Derek nem é tão fã de poemas para tentar lê-lo e desvendá-lo.

Com a aproximação do confronto com os mortos vivos, em um cenário bem propício – o local da Guerra de Secessão dos EUA, onde haverá uma encenação da guerra com atores -, o tempo de Derek para desvendar todos os enigmas que rondam sua vida, para assim fechar a fenda que separa o mundo dos vivos e dos mortos, está cada vez mais curto.

A reprise da Guerra de Secessão faz com que o livro se torne um pouco mais violento do que os anteriores – mas como já mencionei, a série Os Fantasmas de Derek Stone beira o terror, mas pode ser facilmente lida por crianças que não se impressionam com facilidade. É um cenário triste e cheio de sofrimento para encerrar o livro… mas eu achei a escolha até interessante, porque a volta dos mortos a terra também remete a tristeza e sofrimento. O impacto da guerra nos leva a crer que realmente só há duas alternativas: ou Derek fecha a fenda que permite aos mortos voltar a vida ou os mortos dominarão o mundo dos vivos.

E talvez Derek não seja o personagem mais interessante e capaz para alguns, não seja um Harry Potter ou Percy Jackson – que são heróis desde o berço -, mas de uma certa maneira eu me apeguei ao gordinho/nerd cheio de problemas que vão além do mundo dos vivos ao longo da série. O mundo (dos mortos, inclusive) caiu sobre os ombros dele de repente, e acho que por isso, queremos que ele tenha sucesso – pelo menos foi esse meu sentimento ao longo de todo o livro!

Após acompanhar toda a série de Derek Stone, posso dizer que Tony Abbott não foi tão previsível. O livro é um livro infantil, sim, mas em momento algum ele abriu mão de detalhes que fossem mais sombrios ou tristes. A Estrada Fantasma mantém a identidade do autor: livros curtinhos, fáceis de ler, esforço do autor de manter a leitura leve através do sarcasmo do Derek…

Queria que tivessem mais aventuras do Derek. No entanto, segundo o próprio autor, a história terminou de um jeito que o agradou e provavelmente não haverá continuação. Hora de dizer adeus a Derek Stone… sentirei saudades!

Sobre Nanda

Formada em Relações Internacionais e Economia, tem 25 anos, é hiperativa e adora organizar eventos (principalmente de livros). Também adora filmes, livros (principalmente aventuras infanto-juvenis, como Percy Jackson, Harry Potter e The 39 Clues), música, viagens, Disney, desenhos japoneses, maquiagem e coleções.

3 comentários

  1. Eu queria. Amei a capa!

  2. Derek é sarcástico, é nerd e não nasceu herói, mas precisou tornar-se um. Só por estes elemento já amei a história e fiquei super interessada em ler. Eu tô super empolgada com a minha entrada nesse mundo dos blogs de literatura e séries pq a quantidade de coisas novas é imensa!

    Seu link já está na minha lista de leituras diárias. Se quiser me visitar tb, será bem vinda: http://www.dignidadenaocabeaqui.blogspot.com

    Um beijo!

  3. Ammmeeeeeeeeeiiiiiiiiiiiii Quero ele pra mim,rsrs.Amei seu post.
    Tenho um blog ta no inico mais adoraria que me fisesse uma visita.http://amandanovidadesliterariasecinema.blogspot.com/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*