terça-feira, 17/10/2017
Últimas do LeS:
Capa » Notícias » Resenha: “Quando ela se foi”, de Harlan Coben

Resenha: “Quando ela se foi”, de Harlan Coben

Livro: Quando ela se foi
Série: Myron Bolitar
Autor (a): Harlan Coben
Páginas: 256
Editora: Arqueiro
Resenha por: Bruna
Comprar: Saraiva Cultura Fnac Folha Travessa

Dez anos atrás, Myron Bolitar e Terese Collins fugiram juntos para uma ilha. Durante três semanas, eles se entregaram um ao outro sem pensar no amanhã. Depois disso, eles se reencontraram apenas uma vez, quando Terese ajudou Myron a salvar seu filho. E ela foi embora, sem deixar vestígios. Agora, no meio da madrugada, ela telefona: “Venha para Paris.” Terese pede a ajuda de Myron para localizar o ex-marido, Rick Collins, que telefonara depois de anos implorando que ela o encontrasse em Paris. Eles logo descobrem que Rick foi assassinado e que Terese é a principal suspeita do crime. Mas algo ainda mais atordoante é revelado: perto do corpo havia longos fios de cabelo louros e uma mancha de sangue que o exame de DNA revelou pertencer à filha do casal. Só que sua única filha morrera em um acidente de carro muitos anos antes. Logo Myron se vê perseguido nas ruas de Paris e de Londres. As agências de segurança de quatro países parecem querer as mesmas informações de que ele precisa para desvendar a morte de Rick e o destino da filha que Terese pensava ter perdido para sempre. Em uma busca desesperada, Harlan Coben cria um mundo de armadilhas imprevisíveis em que conflitos religiosos, política internacional e pesquisas genéticas se mesclam a amizade, perdão e a chance de um novo começo.

Resumindo essa leitura em duas palavras: ritmo acelerado. A capa e o título do livro não me chamaram nem um pouco a atenção, situação completamente diferente da maioria dos livros que eu pego pra ler. Achei o nome romântico demais e custei a acreditar que esse era um livro policial. Pra ser sincera, nem a sinopse me convenceu muito, mas como o livro era fininho, passei ele na frente na pilha de leitura.

O livro começou me agradando bastante: uma conversa um tanto quanto misteriosa entre dois grandes amigos. Um deles é Myron Bolitar – personagem principal do livro e da saga – que conta a Win, seu colega inseparável desde o tempo de faculdade, que Terese Collins, um caso que ele teve há muito tempo atrás. Ela ligou para Myron e pede que ele a encontre em Paris, sem explicar nada. Até então tudo certo, fora o fato de que Terese sumiu completamente do mapa, sem deixar nenhum vestígio, há anos e Myron nunca conseguiu localizá-la. Então acaba acreditando que se ela o chamou é porque precisa de sua ajuda. E ele não está errado.

Ao chegar em Paris, Myron se vê em meio a uma enorme conspiração. O ex-marido de Terese está morto e ela é a principal suspeita. Como se isso não bastasse foi encontrado sangue de uma outra pessoa na cena do crime – o sangue da filha do casal, que faleceu há anos em um acidente de carro. A partir daí, Myron passa a ser perseguido e tudo leva o leitor a acreditar que o personagem não tem ideia do tamanho do problema em que ele está se metendo – fato que vários personagens reassaltam para Myron ao longo da narrativa. O autor faz um enorme mix de questões religiosas, genéticas, política e terrorismo de maneira clara e simples.

Achei muito interessante como Harlan Coben conseguiu transformar um simples caso de assassinato em uma ameaça global com proporções absurdas. A motivação do personagem principal, o tempo todo, é pessoal. Ele não é o tipo de herói que está ali para salvar o mundo, mas não desiste de sua busca por causa disso o que torna a história diferente e intrigante. Só achei que em alguns momentos o livro ficou um pouco surreal demais, com escapadas impossíveis e recursos ilimitados. Mas acredito que isso veio em mente pois, em contra partida, ap olhando para a história como um todo, existem elementos que podem muito bem ser uma matéria de capa de um jornal de amanhã, o que é assustador.

De longe meu persoagem favorito é o central: Myron Bolitar. Dialogando o tempo todo com o leitor, Myron revela um humor ácido e tem muitas tiradas inteligentes. Extremamente alto e bonito, ele foi a estrela do basquete enquanto estava na faculdade, mas não virou profissional pois machucou o seu joelho. Decidiu então estudar Direito em Harvard e se tornou agente esportivo com a incrível habilidade de tirar seus clientes de grandes enrrascadas. Porém podemos ver que apesar de Bolitar não correr de uma briga, ele tem um enorme coração. É comparado à uma “garotinha” com frequencia ao longo do livro por seu melhor amigo Win – outra grande adição ao “elenco” da obra. Mais conhecido como Windsor Horne Lockwood III, é rico, loiro, alto – ui! – e está sempre três passos à frente quando se trata de defender Myron.

Os dois amigos dão uma carga cômica à história, balanceando perfeitamente com a tensão que sentimos ao longo das páginas. Me peguei rindo sozinha várias vezes. Porém o mais incrível de tudo é o desfecho. Não as últimas páginas de resolução, mas sim os últimos parágrafos. Quando você acha que tudo está resolvido e tudo que poderia ser revelado já foi dito… bam! Harlan joga uma bomba no colo dos leitores, antes do último ponto final. Nem preciso dizer que estou pilhada para ler a continuação né?! Ótimo thriller/policial. Quem gosta do estilo não pode deixar de ler. E quem não gosta, é uma ótima chance pra conhecer ou se deixar levar.

Sobre Bru Fernández

Formada em Letras, trabalha como Revisora e Tradutora em uma agência publicitária e preenche suas horas vagas assistindo a seriados, filmes e partidas de futebol, vôlei, basquete e ice hockey, além de ouvir música, ir a shows e, claro, ler. Não curte chick-lits e prefere os thrillers, policiais, YA e fantasia. Nunca sai de casa sem guarda-chuva e um livro na bolsa, afinal nunca se sabe quando irá chover ou surgir uma fila/trânsito em São Paulo.

13 comentários

  1. Preciso DEMAIS desse livro! Cada resenha que leio sobre o Harlan me dá mais e mais vontade de ler qualquer coisa dele, só pra ver se eu realmente vou gostar e se posso ler todos os livros dele. Parece ser bom demais e todo esse suspense me deixa mais ansiosa ainda para o dia que eu terei esse livro em minhas mãos!
    Se a Duda gostou, é bom haha :) Adorei a resenha, me deu mais vontade ainda (se é que é possível) de ler. Preciso saber logo sobre a filha desses dois e o que o Myron tem a ver com tudo isso.

    Beijo ;*

  2. Hahahahahha Juh, leia! Eu estava que nem você louca para ler algum livro do Harlan porque todas as resenhas e sinopses me chamavam a atenção, e não em arrependi, o livro é bom MESMO! E o mais legal nesse livro é que ele tem um escape de humor, coisa que não se costuma ver em outros livros de suspense/mistério. Quando ler, me fala o que vc achou!

    Bjs!

  3. Já li varios livros do Harlan e o ultimo foi Cilada que realmente tem elementos que já sairam e vão continuar saindo nos jornais. Louco para ler Quando ela se foi.
    Ótima a resenha Bruna =)

  4. Olá, já li varias resenhas daqui que me ajudaram muito então gostaria de pedir se possível a resenha de uns livros que estou interessada, porque detesto comprar livros e me arrepender por não gostar deles!!
    Eu adoro vários tipos de livros, mesmo que não tenha romance, se tiver alguma promessa no ar ja fico satisfeita, por exemplo Harry Potter (Provavelmente meu livro favorito, não tem muito romance, mais tem alguma coisinha que estimula o romance) Mas sendo sincera prefiro romances mesmo, por isso quero algumas resenhas para saber se quero realmente comprar ou não.

    *Eon – Vol. 1 – o Décimo Segundo Dragão
    *Nêmesis – o Retorno de Astarot
    *O Estranho Mundo de Zofia e Outras Histórias

  5. Oi Bárbara,

    Obrigada pela confiança. Assim vc nos deixa até encabuladas.
    Olha, desses livros que vc citou, já temos conosco o Eon e em breve a resenha irá ao ar.

    Os outros dois, precisamos ver se a editora pode nos mandar ou se alguemd a equipe comprou. São de série?

    Abs

  6. Obrigada Alair! E gente, tem como dar um like no comment da Bárbara? Que fofa! <3

  7. Sou fã da Harlan e até me acostumei a ficar de queixo caído com as revelações dos livros dele.Apesar de tudo parecer meio surreal nada do que ele escreve não poderia acontecer,ele faz com que pareça simples e ao alcance de todos.Uma palavra para seus livros: eletrizantes.

  8. É o que sempre digo, Harlan Coben, É O CARA ♥
    Ele desenvolve histórias mirabolantes, que você pensa “calma, como assim?” e consegue dar um final feliz para os leitores.
    Eu sou fã desse cara.

  9. Já li NÃO CONTE A NINGUÉM e adorei, é um livro que te deixa meio sem fôlego em diversas partes, e pelas resenhas que li sobre os livros de Harlan Coben é marca registrada do autor muitas tramas, grandes escapadas, muita tensão…
    E por falar em resenhas agradeço muitíssimo a vocês por uma resenha que li há um pouco mais de um ano sobre a Irmandade da Adaga Negra, me empolguei bastante com a dica de vocês e comprei os dois primeiros livros e não me arrependi, amo amo amo demais a série, sou fã assumida (já fui até no Clube de leitura que ocorreu em Sampa), por isso, muito Obrigada….

  10. Estou lendo os livros de Harlan Coben, gostaria de saber quantos livros foram publicados aqui no Brasil com o personagem “Myron Bolitar”??

    Eu tenho:
    Quebra de Confiança
    A Promessa
    Quando ela se Foi
    Alta tensão

    Poderia me ajudar.
    Desde já agradeço

    Atenciosamente
    Nina

  11. Nina, pelo que eu pesquisei por aí, parece que foram só esses os lançados mesmo ;)

  12. Thaís Araújo

    Olha queria saber se este livro terá uma continuação, quando chegamos ao fim do livro pensamos que terá um ponto final,mas, não foi o que aconteceu.

  13. Bruna Fernández

    Thaís, esse livro faz parte de uma série: Myron Bolitar e o livro seguinte a esse é o Alta Tensão. :)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*