segunda-feira, 23/10/2017
Últimas do LeS:
Capa » Notícias » Resenha: “Aprisionada”, de Lauren DeStefano

Resenha: “Aprisionada”, de Lauren DeStefano

Livro: Aprisionada
Série: Trilogia do jardim químico
Autor: Lauren DeStefano
Editora: Underworld
Páginas: 287
Resenhado por: Karol
Comprar: Saraiva Submarino Americanas

E se você soubesse exatamente quando iria morrer? Graças à ciência moderna, cada recém-nascido se tornou uma bomba-relógio genética – homens só vivem até vinte e cinco anos, e mulheres até vinte. Nesse cenário desolado, garotas são sequestradas e forçadas a casamentos polígamos para evitar que a população acabe. Quando a jovem Rhine Ellery, de dezesseis anos, é apanhada pelos Coletores para se tornar uma noiva, ela entra em um mundo de riqueza e privilégios. Apesar do verdadeiro amor de seu marido Linden por ela, e de uma confiança tênue entre suas esposas-irmãs, Rhine só tem um objetivo em mente: fugir –encontrar seu irmão gêmeo e voltar para casa. Mas Rhine tem outras preocupações além da perda de sua liberdade. O excêntrico pai de Linden está concentrado em encontrar um antídoto para o vírus genético que está a cada dia mais próximo de matar seu filho, mesmo que isso signifique colecionar cadáveres para testar suas experiências. Com a ajuda de Gabriel, um serviçal pelo qual está se sentindo perigosamente atraída, Rhine tenta se libertar, no pouco tempo que lhe resta.

Aprisionada é um livro com um enredo bem interessante. A humanidade em busca da cura do câncer acabou criando outro problema: assim que a primeira geração de pessoas geneticamente modificadas, e livres do câncer, começam a se reproduzir, percebe-se que seus filhos não conseguem passar dos 25 anos de idade e a humanidade se vê obrigada à procurar a cura para esse novo problema.

Com essa mudança radical, a mundo passa a ter muitos órfãos e o medo de serem extintos começa a tomar conta de alguns. Homens ricos, normalmente filhos da primeira geração, passam a se casar com diversas garotas ao mesmo tempo e muitas delas contra vontade própria. Essas mulheres passam a ser posse de seus maridos, vigiadas constantemente pelos seus empregados- algumas crianças que foram vendidas por orfanatos.

Esse mundo caótico que a autora inventou com tantos detalhes chega até a me dar medo. Pensar que o mundo pode, por causa de uma experiência genética, retroceder anos de evolução fazendo com que os humanos voltem a tratar com desrespeito o próximo, chega a ser assustador. E ver no meio disso tudo uma garota de 16 anos, junto com suas esposas-irmãs de 13 e 18, lutando pelo que querem é bem interessante.

Lauren criou um mundo completamente diferente do que eu já vi e que, por mais absurdo que seja, pode vir a ser real- uma possibilidade remota e assustadora mas, que pode acontecer. Fora esse mundo, o livro não tem tanta graça. A personagem principal é a típica garota de dezesseis anos, que se apaixona pelo típico cara fofo e que tem um nada típico problema com seu nada típico marido. A narrativa me cansou, e achei sem muita emoção até um pouco mais da metade do livro, depois disso a coisa começou a correr melhor e tudo se tornou mais emocionante. Com isso eu chego a concluir que daí pra frente, principalmente no segundo livro, as coisas vão melhorar- não para Rhine que provavelmente terá um grande problema pela frente- mas para nós leitores, que vamos poder ler uma estória mais emocionante.

Não poderia deixar de comentar duas coisas que me deparei no livro que me incomodaram. A primeira foi o fato de que nesse mundo maluco só a América do Norte existe, até aí tudo bem, nada demais, mas a explicação pra isso me irritou e eu me vi pensando ‘aiii, essa autora é aquelas americanas patriotas malucas que não tem noção do que se passa no resto do mundo!’. E a segunda é sobre a tradução e a revisão do livro. Algumas vezes eu percebo algum errinho em livros que estão na primeira edição e passo reto, mas nesse encontrei uns quatro ou cinco erros bobos como trocar o A pelo O mudando o gênero da palavra completamente, e algumas palavras ou expressões que parecem estranhas em português mas, que se você pensar em inglês, faz sentido.

Vale pena ler o livro por causa desse mundo fantasticamente assustador e na esperança da coisa ficar mais empolgante pra frente.

Sobre Karol

Atriz ruiva tão viciada em Shakespeare que foi até parar lá no palco do Globe Theatre de Londres de tanto que encheu o saco! Sem papas na língua,que sempre dá preferência a livros históricos e com culturas diferentes. Não leu Harry Potter ou Senhor dos Anéis, jogou Crepúsculo longe no meio do segundo livro mas é capaz de devorar qualquer livro que contenha um rei, um indiano ou um espírito no meio. Estranha, usa personagens românticos como referencia quando briga com o namorado, transforma tudo em um drama histórico e deseja silenciosamente transformar todos os livros que lê em filme.

10 comentários

  1. Eu gostei muito da resenha, prendeu a minha atenção! Já está na minha lista de livros desejados! Pior que pode vir a ser real mesmo. A medicina só avança! Enfim… muito bacana a resenha! Um beijo!

  2. Eu tinha achado a estoria desse livro absurda, mas apos ler o primeiro capitulo eu gostei e resolvi dar uma chande. Apaixonei totalmente pois ao mesmo tempo que é ficção pode se tornal real! e é assustador pensar que esse mundo da Rhine se torne verdade.
    Esperando ansiosamente o Fever que é o segundo livro.

  3. Heeee Karol, mais uma resenha fantástica!!!
    Vou te contar, não tenho tesão neste livro. NADA!!!
    Vc conseguiu me deixar balançada, com o seu “mundo fantasticamente assustador”. rsrsrsrsrs
    Numa oportunidade eu me agarro neste livro!!

    Bjoks!!

  4. A capa pelo menos é linda. E isso tudo me lembrou um pouco o filme Suckerpunch, sei que não tem muito a ver, mas uma menina querendo fugir de alguém que a quer mantê-la presa é bem típico mesmo.

    Beijos

  5. Concordo com a resenha, estou na metade do livro e só estou continuando a leitura exatamente por causa de “mundo fantasticamente assustador”. É incrivel que conforme o mundo se vê numa situação crítica as pessoas regridem de comportamento…

  6. Eu queria tanto ler esse livro! Pela capa e pelo título da série “Trilogia do Jardim Químico” *morre* porque a sinopse não me deixou tão entusiasmada pra ler não. Mas depois de ler a resenha eu me interessei pela história. Agora só falta eu encontrar o livro que é uma missão quase ipossível já que eu nunca achei o livro em nenhuma livraria! *TEMSO*

  7. A resenha ficou ótima, como sempre. A sinopse do livro parece ser bem interessante. E pelo o que li, infelizmente é necessário bastante concentração para a narrativa. Mas, quem sabe nos próximos volumes, vale a pena né? Não gostei da capa. Não gosto quando colocam pessoas (modelos) para capa de livro. Esse modelo acaba virando a personagem principal, sendo que era pra ficar por nossa imaginação, imaginar o personagem de acordo com as características dada pela autora.

  8. Obrigada pelos elogios, minha genteeee! :D

    Mas é verdade, acho que a melhor parte desse livro é esse mundo que a autora criou que parece tão absurdo e antiquado mas que se vc pára para pensar, não chega a ser tão impossível!! MEDO! hahahahaha

    Lah, no facebook a Underwold vende todosos livros! Vê lá :D

    Luana, tbm não gosto mto de modelos em capa! E essa ai me deixou com a Selena Gomes na cabeça enquanto lia o livro! hahahahahhaha Achei a modelo mto parecida com ela :x

    bjoooos

  9. eu quero ler *-*

  10. Achei bem interessante a história do livro… A resenha dele me prendeu… Só não gostei do fato citado na resenha sobre a autora, não acho legal esses autores que acham que só o país deles existem… Mas mesmo assim quero ler o livro!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*