segunda-feira, 23/10/2017
Últimas do LeS:
Capa » Notícias » Resenha: “Sob a luz da lua”, de Andrea Cremer

Resenha: “Sob a luz da lua”, de Andrea Cremer

Livro: Sob a Luz da Lua
Série: Nightshade
Autor (a): Andrea Cremer
Páginas: 462
Editora: Galera Record
Resenha por: Nina
Compre: Saraiva Fnac Cultura

Best seller do New York Times, Sob a luz da lua, é o primeiro livro da série Nightshade, de Andrea Cremer. A protagonista Calla Thor não é uma menina normal, e sempre soube que seu destino seria se unir a Ren Laroche, sendo sua fiel companheira até o último dia de suas vidas. Só que Calla, assim como Ren, é tão humana quanto loba. Alfa dos Nightshades, ela é responsável pelo bem estar e segurança dos outros integrantes de seu grupo e deve obediência aos Defensores, feiticeiros que vigiam os humanos desde tempos imemoriais. Tudo estaria a salvo se não fosse Shay Doran, um misterioso humano que faz Calla transgredir as severas leis que regem seu mundo e colocar em risco não só a sua vida, mas a de todos aqueles que ama. O segundo volume da série acaba de ser lançado nos Estados Unidos e também já está na lista de mais vendidos do New York Times. No site da autora www.andreacremer.com a seção Sound Scripts cria uma trilha sonora para acompanhar a leitura do livro, capítulo a capítulo.

Um livro grande e pesado chegou na minha porta, prometendo ser mais uma grande série sobre seres sobrenaturais. Logo na capa, já tive uma dica de que eu possivelmente amaria ler: um comentário da Becca Fitzpatrick, autora de Hush Hush. História de lobisomens, aí vou eu!

Logo no primeiro capítulo de Sob a Luz da Lua, a autora já nos confronta com o grande clímax do livro – a mocinha encontra o mocinho, a mágica acontece, mas eles não podem ficar juntos. Ok. Me impressionou essa coisa de não se criar um monte de histórias antes de acontecer aquilo que deve ser o movimento da história, mas essa é realmente a grande sacada: Cremer joga a isca, te mostrando qual é a do livro, e depois só cria a história por trás. É o principal fator que nos prende à história.

Em Vail, Colorado, algo misterioso paira no ar: a cidade é monitorada por lobisomens, que protegem a área e seus pontos sagrados. Esses lobos são os Guardiões, os protetores dos Defensores. Dentro dessa cidade há dois bandos, os Bane e os Nightshades. Em 31 de outubro, no Samhain, um terceiro bando será formado unindo o alfa herdeiro dos Bane, Ren, e a alfa herdeira dos Nightshade, Calla.

Confesso ter um pouco de antipatia de heroínas, porque muitas vezes elas agem exatamente ao contrário do que se espera delas, mas Calla é diferente. Muito embora ela realmente faça um bocado de coisas estúpidas no decorrer da narrativa, ela sabe o que é o certo e muitas vezes não parece só conformada com o seu destino (que foi traçado logo que ela nasceu), mas parece feliz com o que a espera. Mas como toda heroína, tem AQUELE cara que faz as coisas parecerem diferentes, que faz com que você queira mudar tudo, só para ficar perto dele. O cara em questão é Shay Doran.

Shay também é o típico mocinho: jovem, lindo e gostosão. Mas ele também tem o lado nerd, que gosta de ficar lendo e adora histórias em quadrinho. É ou não de se apaixonar? Ele é aquele diabinho pentelho no ombro de Calla, que a faz se questionar de todas as coisas que já estavam destinadas a ela, e a faz até mesmo duvidar de sua própria história, sobre o que é bom ou mau – e é esse lado que faz as coisas ficarem ainda mais legais.

Sobre os outros personagens, posso falar especialmente de Ren (que é o cara que inicialmente parece mau, e que é lindo, gostosão e pegador), que é de longe o meu personagem favorito, por seu temperamento explosivo, seu jeito muito safado e galanteador. Ansel, o irmão de Calla, é o tipo do irmão que todo mundo gostaria de ter (e algumas pessoas não tem), aquele que está sempre do seu lado e te apoia em tudo e jamais discute – se bem que não dá pra discutir muito quando sua irmã mais velha é quem lidera a alcatéia… Alguns personagens são apenas citados e pouco se fala sobre eles, como por exemplo Dax, Sabine e Cosette (dos Bane) e Fey (Dos Nightshade). Eu espero que nos próximos volumes eles tenham mais participação e consiga se saber mais sobre eles.

Uma coisa que me deu um pouco de antipatia sobre os personagens é que no início do livro eles são uma coisa, e chegando no final, eles são outra. Ficou parecendo que do jeito que a autora estava conduzindo a história, os personagens não estavam mais se encaixando, e daí, foi necessário fazer com que eles mudassem um pouco para adaptá-los. Achei estranho.
Para finalizar, acho que a mitologia por trás da história é bastante complexa e ficou pouco clara durante a narrativa. É óbvio que a autora passou os detalhes cruciais, aqueles dos quais o entendimento dos fatos dependia, mas muita coisa foi apenas jogada no decorrer da história, e esse foi o único ponto que me deixou decepcionada.

E, é claro, como boa autora, Andrea Cremer encerrou seu primeiro volume no momento em que eu mais tinha perguntas em mente, tanto sobre os acontecimentos, quanto sobre a história que desencadeou as perseguições e planos e tramoias. Nos Estados Unidos, a série já conta com o terceiro volume e um “prequel”.

Sobre Nina Lima

Poderia ser qualquer outra coisa, mas resolveu ser turismóloga e apaixonada pela Inglaterra e pelo McFLY. Leu a trilogia Jogos Vorazes em três dias e amou; considera Harry Potter a melhor série do mundo, adora a escrita da Meg Cabot e topa qualquer YA Book.

9 comentários

  1. Ai.. mais uma série que eu quero rsrs… Assim não dá, haja dinheiro rsrs… A história parece ser bem interessante.. adorei a capa também!

  2. Uau Nina!!! Estou com ele na estante, e não vou negar que o comprei pela capa. rsrsrsrsrs
    Não imaginei que o livro estivesse num nível tão bom. Na verdade achei que seria mais um, sabe.
    Adorei a resenha e com certeza vou me agarrar nele o quanto antes.

    Bjoks!!!

  3. Espero gostar tanto do livro quanto eu gosto da capa. Parece ser legal… e é uma série, mas OK, ahahahah

    Beijos!

  4. Mas a Becca Fitzpatrick não autora da série Hush Hush? Calafrio é a Maggie Stiefvater.
    Quanto ao livro, parece ser bom.

  5. Luiza de Souza

    Nossa, me apaixonei pela capa! É muito linda!

  6. Li o livro em um dia e meio xD Muito bom, está entre meus preferidos já!! Alguém sabe a previsão para o lançamento do segundo livro?

  7. Verdade, Valentina! Que bom que você observou, vou consertar agora! Obrigada! Beijos!

  8. eu ja li 5 veze e adorei quero o segundo londo bjs

  9. muitos dizem que quanto a capa e bonita o livro e bom acho isso muito certo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*