segunda-feira, 18/12/2017
Últimas do LeS:
Capa » Notícias » Resenha: “Profundezas”, de Roderick Gordon & Brian Williams

Resenha: “Profundezas”, de Roderick Gordon & Brian Williams

Livro: Profundezas
Série: Túneis
Autor (a): Roderick Gordon e Brian Williams
Páginas: 696
Editora: Rocco
Resenha por: Bruna
Compre: Saraiva Submarino Cultura Fnac Folha Travessa

Em Profundezas, essa descoberta se torna ainda mais surpreendente e ameaçadora. Na busca por seu pai, Will é levado a lugares cada vez mais profundos nos subterrâneos da Terra e obrigado a enfrentar situações que podem desviá-lo de seu objetivo. Seguindo os rastros do Dr. Burrows, o jovem protagonista, seu amigo Chester e o recém-descoberto irmão Cal deixam a Cidade Eterna, como é chamada a colônia subterrânea, rumo à Grande Planície, onde a escuridão é cada vez maior e o perigo, também. Em sua busca, o trio acaba descobrindo um plano dos Styx que pode ter consequências terríveis para toda a vida na Crosta. Para sua surpresa, Will é perseguido ainda pela sombra de uma irmã perversa que vai complicar ainda mais as coisas.

“Quando ele saiu de Highfield naquele dia longínquo, empurrando as prateleiras de seu porão para começar a descer o túnel que cavara como se fosse um personagem de história infantil exagerada, não tinha absolutamente nenhuma ideia do que o destino lhe reservara.” – pág 561

Estava desanimada com essa série. Não pelo enredo, mas pela falta de novos lançamentos dela por aqui. Lá fora a série já está no seu quinto volume, enquanto o Brasil publicou apenas dois livros, sendo que o último foi em 2009. Mas eis que surge uma luz do fim do túnel (desculpem o trocadilho!): a Rocco anunciou o lançamento de Vertigens, o terceiro livro da série para esse mês! \o/ Não pensei duas vezes, corri pra tirar Profundezas da minha estante e começar a minha leitura!

Profundezas teve um início surpreendente, pelo menos para mim. Nada de extraordinário, mas esperava me deparar exatamente onde deixamos Will, seu grande amigo Chester e seu pequeno irmão Cal, no trem, rumo às Profundezas. Porém esse volume começa de forma intrigante: acompanhamos uma mulher chamada Sarah Jerome, que está na Crosta e por seus movimentos furtivos, logo percebemos que ela não pertence a esse cenário – é na verdade uma refugiada da Colônia. Logo depois que conhecemos um pouco (mas bem pouco mesmo) da história de Sarah, voltamos a seguir os três garotos em sua corrida para encontrar o Dr. Burrows, pai adotivo de Will, nas Profundezas. Os garotos conseguem despistar os Styx na estação de trem e saem perambulando em busca de pistas. Essa parte da estação temos uma breve referência ao mundo de Harry Potter quando Chester diz que a estação não é nenhuma “plataforma 9 1/2”. Fofo.

Os conflitos começam a surgir quando Cal aparenta liderar os meninos e isso acaba irritando Chester, pois o jovem garoto acaba sendo imprudente e coloca os meninos em situações de perigo por algumas vezes. É aqui, logo no começo do livro que vemos a amizade – inabalável no primeiro livro – de Will e Chester começar a ter grandes atritos. Enquanto Will estava em “casa” durante o primeiro livro, Chester estava na prisão Styx, sendo maltratado e torturado, por isso podemos perceber que o personagem se arrepende de ter decidido apoiar o amigo na busca do pai adotivo por diversas vezes ao longo da narrativa.

Além de acompanhar os meninos e Sarah Jerome em sua fuga constante na Crosta os autores apresentam mais duas histórias paralelas: a vida de Dr. Burrows nas Profundezas e a Sra. Burrows, que foi parar em uma clínica/asilo. Nunca imaginei que os autores usariam a mãe adotiva de Will como um personagem importante, e muito menos, que a história dela poderia ser realmente interessante. Me impressionou.

Somos introduzidos a dois novos personagens que, na minha opinião, foram ótimas adições ao elenco: Elliot e Drake, dois renegados que vivem nas Profundezas, o tempo todo se esquivando dos Styx. Temos também a aparição da irritante irmã de Will, a qual descobrimos ao final do primeiro livro, está do lado dos vilões (Styx). São tantas histórias acontecendo ao mesmo tempo que parece ser difícil de acompanhar, mas não é. Apesar do livro ter quase 700 páginas a minha leitura fluiu muito bem e acabei lendo o livro em uma semana. Com capítulos mais curtos do que muitos livros e muito ação, fica difícil querer soltar o livro. Podia estar morrendo de sono que pensava: Só mais um capítulo, são poucas páginas…

Com um enredo bem mais pesado que o seu antecessor, Profundezas é recheado de grandes acontecimentos, grandes confrontos, e claro, grandes perdas. Se prepare para emoções do começo ao fim e junte-se a Will na busca por Dr. Burrows no “subsolo” da Terra.

Sobre Patoka

Fotógrafa especializada em shows, já captou com suas lentes momentos dos shows várias bandas. Essa paixão por música e fotografia a levou a abrir o CFOS. Quase infartou quando suas fotos apareceram na página oficial do Black Label Society e foram descritas como “killer shots”! Já fez produção de palco em festivais musicais e eventos, mas atualmente prefere deixar isso para os profissonais.

4 comentários

  1. Arthur Numeriano

    Deeper é infinitamente melhor do que o primeiro livro! É longo, mas não é tão arrastado quanto Tunnels! E até que enfim a Rocco lançou o terceiro livro, já peguei o meu e mal posso esperar para começar a ler!

  2. Bom dia!! A série já está no quinto volume, mas vocês sabem quantos livros são no total? Obrigada

  3. Arthur Numeriano

    Serão seis livros, Carolina.

  4. Olá! Ainda estou no começo de Profundezas, e acho que a série é reamente muito boa. Porém, os personagens são um pouco bobos e não percebem coisas que podem salvar suas vidas. Na minha opnião, há vácuo, de um personagem cérebro, alguma lideranca. espero que os novos personagens facam isso, ou Will tome uma atitude.
    Ótima resenha!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*