quinta-feira, 12/10/2017
Últimas do LeS:
Capa » Notícias » Resenha: “Asas”, de Aprilynne Pike

Resenha: “Asas”, de Aprilynne Pike

Livro: Asas
Série: Fadas
Autor (a): Aprilynne Pike
Páginas: 290
Editora: Bertrand Brasil
Resenha por: Karol
Compre aqui: Saraiva Cultura Submarino

Por um momento, Laurel ficou hipnotizada, olhando com olhos arregalados para aquelas coisas pálidas. Eram assustadoramente belas- quase belas demais para serem descritas. Laurel virou-se novamente de frente para o espelho, os olhos fixos nas pétalas flutuantes que pairavam ao lado de sua cabeça. Quase se pareciam a asas.

Esse livro é estranho. Na verdade não gostei dele apesar da estória ser boa. Faz sentido?! Vou explicar mais detalhadamente:

A ideia do livro é interessante, Laurel, uma garota de 15 anos, se muda para uma nova cidade e começa a frequentar uma escola, coisa que nunca fez pois era educada em casa. Além das dificuldades normais de uma garota de quinze anos que acaba de entrar numa escola, que ao meu ver foram poucas, ela percebe imediatamente que é bem diferente dos outros. Ela se isola por querer, apesar de um garoto super bonitinho querer ser seu amigo, e ele precisa praticamente implorar para tomar lanche com ela. Já acho isso um tanto estranho, mas continuando, além dessa mudança na vida de Laurel, ela de repente, se depara com um caroço nas suas costas, que vai evoluindo cada vez mais e vira uma enorme flor.

O tal garoto bonitinho, David, se torna seu melhor amigo e é o único que ela acha que pode a ajudar. Isso até conhecer um ser mágico, e extremamente atraente, chamado Tamani. Além da forte atração que ela sente pelo garoto mágico, ele também é o único que pode dar algumas respostas sobre quem ela é realmente. Começa ai a já conhecida ladainha de ‘quem eu amo?’, ‘quem sou eu?’ e ‘o que fazer?’.

E é isso!!!! Um livro inteiro para isso, sem muita mais emoção. O que você normalmente vê nos primeiros capítulos desses clichês que todos nós amamos em 290 páginas. Como eu disse, a ideia da asa, e a explicação para elas são até legais e originais, mas o desenvolvimento da estória deixa ela chata de se ler pois, nada acontece com agilidade. E, com toda a sinceridade que me é dada, pra ficar lendo uma estória de uma garota entre dois amores completamente diferentes e se descobrindo, eu vou ler qualquer outro livro que tenha mais emoção na narração.

Talvez na sequencia do livro, Encantos, que já foi lançado, a coisa comece a pegar mais fogo, mas por enquanto a autora pecou um pouco na arte do entreter. Em contraposição a mim mesma, vi na internet algumas resenhas onde as pessoas diziam que tinham amado o livro, que era o favorito de todos os tempos. Cheguei a achar que eu estava me tornando uma velha rabugenta, mas depois encontrei opiniões parecidas com a minha. Acho que a grande sacada é, se você se interessou pela ideia, comprar o livro e ver em qual das duas turmas você entra.

Conclusão básica: O livro é legalzinho mas faltou agilidade na narrativa. Demorei quase 2 meses para ler 290 páginas, shame on me. Ou shame on Aprilynne!

Sobre Karol

Atriz ruiva tão viciada em Shakespeare que foi até parar lá no palco do Globe Theatre de Londres de tanto que encheu o saco! Sem papas na língua,que sempre dá preferência a livros históricos e com culturas diferentes. Não leu Harry Potter ou Senhor dos Anéis, jogou Crepúsculo longe no meio do segundo livro mas é capaz de devorar qualquer livro que contenha um rei, um indiano ou um espírito no meio. Estranha, usa personagens românticos como referencia quando briga com o namorado, transforma tudo em um drama histórico e deseja silenciosamente transformar todos os livros que lê em filme.

2 comentários

  1. Eu conheci esse livro na bienal de 2011 e realmente, a história é legal, amo clichês, mas achei que a história tinha uma pequena dose de ação! E no segundo livro, não acho que mudou muito, quase nada, só que ela vai para Avalon passar o verão lá. Mas o terceiro livro, Ilusões, estou lendo, e com certeza, o melhor até agora, tem um suspense em cima de uma ‘inter cambista’ e tem muito mais Tamani, e espero que Pike não desaponte com esse livro, mas sei que vou ler de qualquer jeito, me apaixonei pelo Tamani <3

  2. Eu gosto bastante desse livro. Ele é mais melosinho, claro. Mas eu gosto dos conflitos que tem, pq não é um livro de ação, mas um livro de descoberta e ela trabalha bem isso. O segundo livro tbm é um livro de descobertas, mas é mais enjoadinho. Ainda não li Ilusões e estou louca pra ler. Mas odeio o Tamani, odeio, odeio, odeio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*