segunda-feira, 27/03/2017
Últimas do LeS:
Capa » Notícias » Resenha: “O resgate do tigre”, de Colleen Houck

Resenha: “O resgate do tigre”, de Colleen Houck

Livro: O resgate do tigre
Série: A maldição do tigre
Autora: Colleen Houck
Paginas: 430
Editora: Arqueiro
Resenhado por: Karol
Comprar: Saraiva Submarino Cultura Folha Americanas

Kelsey Hayes nunca imaginou que seus 18 anos lhe reservassem experiências tão loucas.

Além de lutar contra macacos d’água imortais e se embrenhar pelas selvas indianas, ela se apaixonou por Ren, um príncipe indiano amaldiçoado que já viveu 300 anos.

Agora que as ameaças terríveis obrigam Kelsey a encarar uma nova busca- dessa vez com Kishan, o irmão bad boy de Ren-, a dupla improvável começa a questionar seu destino. A vida de Ren está por um fio, assim como a verdade no coração de Kelsey.

Em O resgate do tigre, a aguardada sequência de A maldição do tigre, os três personagens dão mais um passo para quebrar a antiga profecia que os une. Com o dobro de ação, aventura e romance, este livro oferece a seus leitores uma experiência arrebatadora da primeira à última página.

A épica saga dos tigres já foi lançada em 18 países e ocupou os primeiros lugares na lista dos mais vendidos do The New York Times.

“Colleen nos seduz com seu conto de fadas ágil e original que tem como exótico pano de fundo a cultura e a religião indianas”- MTV.com

Não é segredo para ninguém que eu sou apaixonada por essa série! E acho que quem a lê também é. Conclusão tirada dos comentários da minha resenha do primeiro livro da série e das muitas pessoas que vieram comentar sobre o livro comigo em redes sociais.

Estava muito, mas muito mesmo, ansiosa para ler esse livro. O primeiro acabou de forma tão dramática que eu quase transformei minha gastrite em úlcera. Quando, gentilmente, a Arqueiro me enviou O resgate do tigre, quase tive um treco. Berrei pela casa inteira, verdade isso, e ao começar a ler foi a mesma coisa do outro, ou quase isso.

Como no primeiro livro, no começo já não aguentava mais a Kelsey! Tô sendo sincera. Achei, que a Colleen tava enchendo um pouco de linguiça nos primeiros capítulos e que eu talvez fosse ficar decepcionada com o livro que ansiava tanto para ler. Depois que os tigres, Ren e Kishan, aparecem as coisas animaram e ao terminar o livro percebi a importância daqueles primeiros capítulos. Meu amor pelo livro começou a ganhar força novamente, ao ponto de me fazer comer comida indiana toda semana e comprar um tigre de pelúcia. Pois é, esse livro tem esse poder sobre mim e os restaurantes indianos de São Paulo agradecem, meu namorado nem tanto.

Voltemos ao livro, Kelsey tem que ir atrás da segunda profecia de Durga (da qual falo em especial mais tarde), mas como o grande inimigo dos tigres já sabe da aventura e da tentativa de quebrar a maldição, a coisa fica tensa. Ren é sequestrado e Kelsey tem que continuar sua busca com o tigre negro, Kishan.

Como no primeiro livro, a busca pela conclusão da segunda profecia é mágica. Eles vão ao Tibet, conhecem inúmeras pessoas e passam por terríveis situações. Tudo isso com a mente de Kelsey em seu amado sequestrado, Ren, e a mente de Kishan na namorada do irmão, Kelsey. Além da batalha com seres muito esquisitos, os dois travam uma batalha contra seus sentimentos e o passado.

Depois de conseguirem desvendar a segunda profecia de Durga, ainda rola muita ação no resgate de Ren. Dessa vez, ao invés de ajudar, Durga parece ter metido Kelsey em uma roubada que me fez chorar rios nos últimos dois capítulos do livro. Minha vontade era de pegar essa tal Deusa, e arrancar o pescoço divino dela. Aí, pensando melhor, vemos a representação de Durga como a de força, lutadora, batalhadora, além de carinhosa, amorosa e uma super mãe. Isso faz com que você perceba que Kelsey precisa ser tudo isso; só que o caminho será difícil e doloroso. Ninguém disse que ia ser fácil ser a escolhida de uma das Deusas mais importantes da Índia.

Essa continuação é tão incrível quanto o primeiro livro. A estória é original, romântica e cheia de cultura que deve ter tocado a muitos, assim como me tocou. Hoje sou viciada na cultura hindu e isso me ajudou bastante a entender aspectos do livro, me fazendo ter ainda mais admiração pela criatividade e pesquisa da autora.

Aproveitando meus conhecimentos recém adquiridos, desejo à todos um Feliz Durga Puja, comemoração que acontece entre 16 e 24 de outubro em adoração à Deusa protetora de Kelsey.

Dizem que quando uma pessoa recebe uma foto ou estátua de Durga nessa época, ela se torna mais batalhadora, preparada para os obstáculos e para os que estão começando uma nova etapa na vida, como casamento, mais força e amor. Deixo Durga de presente a todos os leitores e fãs da série. Que vocês tenham força que nem a Kelsey! Ah… e um príncipe indiano – ou dois – de presente não seria mal, né Durguinha?! haha

Sobre Karol

Atriz ruiva tão viciada em Shakespeare que foi até parar lá no palco do Globe Theatre de Londres de tanto que encheu o saco! Sem papas na língua,que sempre dá preferência a livros históricos e com culturas diferentes. Não leu Harry Potter ou Senhor dos Anéis, jogou Crepúsculo longe no meio do segundo livro mas é capaz de devorar qualquer livro que contenha um rei, um indiano ou um espírito no meio. Estranha, usa personagens românticos como referencia quando briga com o namorado, transforma tudo em um drama histórico e deseja silenciosamente transformar todos os livros que lê em filme.

7 comentários

  1. Os primeiros capítulos do livro também me encheram a paciência, mas quando a ação começa ele fica realmente legal! Ah, e aquele final foi muito… argh! Não gosto da Kelsey, mas fiquei com pena dela! Ahaha, acho que preciso ganhar de presente uma estátua de Durga em tamanho natural! ;)

  2. Os meus 2 livros estão lacrados na estante, justamente pra não acontecer comigo essa sensação de descabelamento que vc teve. Estou tentando esperar o 3º, será q aguento?

  3. Eu não curte muito o segundo da saga. Parecia demais com Crepúsculo…. e a kelsey começou a me irritar, ela quer estra indecisa sobre os dois mas cara eu só consigo ver o quanto ela ama o Ren. Gostar do Kishan: sim ela gosta, amar não. Não tem indecisão ela ama o Ren.

  4. Cada hora mais eu tenho vontade de ler esse livro ! E ainda melhor é saber que a continuação é tão bom quanto o 1º, porque nem sempre é isso que acontece, alguns autores não conseguem manter interessante sempre as suas sequências.
    Abraços !
    Melissa – http://decoisasporai.blogspot.com.br/

  5. odyle torres

    não tem jeito, não consigo parar de ler esse livro ( o q n é bom, já q estou na semana de provas na faculdade hehe mas como largar o tigre branco???). comprei tem um tempão o 1º. Primeiro, por que me apaixonei pela capa, e depois pq fui pesquisar por resenhas e taus e vi q ele era bom. devorei em 2 dias, corri na livraria e comprei o resgate e já estou esperando pelo dia 27/11 para comprar o 3°. *–* O Rem é mto amor!!!

  6. o livro é otimo foi um dos primeiros livros que li e amei foi por ele que veio
    crescendo minha paixao pelo livro

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*