quinta-feira, 19/10/2017
Últimas do LeS:
Capa » Notícias » Resenha: “A prova de fogo”, de James Dashner

Resenha: “A prova de fogo”, de James Dashner

A prova de fogoLivro: A prova de fogo
Série: Maze Runner
Autor (a): James Dashner
Páginas: 400
Editora: V&R
Resenha por: Bruna
Comprar: Saraiva Submarino Cultura Americanas Travessa

Atenção, essa resenha/sinopse pode conter spoilers para quem ainda não leu o primeiro livro da série!

O Labirinto foi só o começo… o pior está por vir. Depois de superarem os perigos mortais do Labirinto, Thomas e seus amigos acreditam que estão a salvo em uma nova realidade. Mas a aparente tranquilidade é interrompida quando são acordados no meio da noite por gritos lancinantes de criaturas disformes – os Cranks – que ameaçam devorá-los vivos. Atordoados, os Clareanos descobrem que a salvação aparente na verdade pode ser outra armadilha, ainda pior que a Clareira e o Labirinto. E que as coisas não são o que aparentam. Para sobreviver nesse mundo hostil, eles terão de fazer uma travessia repleta de provas cruéis em um meio ambiente devastado, sem água, comida ou abrigo. Calor causticante durante o dia, rajadas de vento gélido à noite, desolação e um ar irrespirável – no Deserto do novo mundo até mesmo a chuva é a promessa de uma morte agonizante. Eles, porém, não estão sozinhos – cada passo é espreitado por criaturas famintas e violentas, que atacam sem avisar. Manipulação, mentiras e traições cercam o caminho dos Clareanos, mas para Thomas a pior prova será ter de escolher em quem acreditar.

Nas páginas finais do primeiro livro dava até pra imaginar um final feliz e ficar encucada pensando em como o autor ia conseguir desenrolar a história em mais dois livros. Eis que tivemos uma uma reviravolta final inesperada em Correr ou Morrer que é de deixar qualquer um morrendo de curiosidade para saber o que vai acontecer com Thomas e os Clareanos. Depois de conseguirem escapar do Laririnto mortal com algumas grandes casualidades, o leitor acredita – e os pobres personagens também – que algumas respostas finalmente serão dadas; mas não é isso que acontece. Quando escreveram que a série evocava os mistérios de Lost (o seriado), não estavam brincando. A prova de fogo dá pouquíssimas respostas e multiplica as dúvidas já existentes. Parece até que o autor tenta dialogar com o leitor através dos personagens e pede paciência, pois as respostas vão chegar. Só que no final.

“- Vocês podem pensar, ou pode parecer, que estejamos meramente testando a sua capacidade de sobreviver. Superficialmente, o Experimento Labirinto poderia ser erroneamente classificado dessa maneira. Mas eu lhes asseguro… não se trata apenas de sobrevivência e da vontade de viver. Essa é só uma parte deste experimento. O quadro maior é algo que vocês só entenderão no final.” – pág 67

O novo desafios dos – poucos – sobreviventes é atravessar um deserto escaldante, com quase nada de comida e água e enfrentar os perigos que aparecerem pela frente, ou ficar para trás e morrer. Um dos maiores perigos que eles enfrentam dessa vez são os Cranks, que pela descrição, me pareceram muito com zumbis. São seres humanos que contraíram a “Fúria”, uma doença que está varrendo a humanidade da Terra. Tenho que voltar a reforçar nessa resenha que eu adoro a forma como o autor se apropria de conceitos já existentes, como os zumbis, mas dá uma repaginada e um novo nome a eles. Isso faz o leitor a imergir no mundo criado, assim como o vocabulário super diferente dos Clareanos.

Nessa continuação temos um vislumbre um pouco maior do que no primeiro da CRUEL – uma espécie de empresa que está liderando os experimentos com os garotos. Continuamos sem saber suas motivações, seus objetivos e muito menos de que lado eles realmente estão. Uma coisa que eu gostei bastante é de ver que Thomas, o personagem principal, cresceu muito e se tornou um líder nato. Apesar de Minho ainda ser o líder da turma dos Clareanos, dá pra perceber que ele leva a opinião de Thomas em consideração e que ele o respeita muito. Esses garotos são praticamente uma família, de tanto tempo que passaram juntos e por tantos perrengues e armadilhas mortais que conseguiram sobreviver. O espírito de amizade e de time é percebido em cada atitude ou fala dos personagens.

“E nesse momento, sentado na escuridão, a cabeça apoiada contra a porta do caminhão, os pensamentos sobre o que tinha feito tumultuavam sua mente.
– Matei aquele cara – sussurou ele.” – pág 224

Com um ritmo tão frenético quanto o do primeiro volume, A prova de fogo não deixa nada a desejar se comparado com Correr ou morrer. Temos muita ação, traição, reviravoltas e até uma pitadinha de romance pra dar aquela descontraída de tanta desgraça. A qualidade do livro também continua impecável com uma bela capa e seguindo o mesmo padrão editorial, sem estragar a coleção como infelizmente já aconteceu com inúmeras séries aqui no Brasil. O único defeito desse livro: quando a gente termina, estamos mais perdidos do que quando começamos. A sorte é que o desfecho da série, A cura mortal, já foi lançado no Brasil, então não precisamos esperar pra saber o desfecho da história de Thomas, dos Clareanos e da CRUEL.

“Eram perguntas demais. Malditas perguntas de mértila, todas sem resposta.” – pág 344.

Sobre Bru Fernández

Formada em Letras, trabalha como Revisora e Tradutora em uma agência publicitária e preenche suas horas vagas assistindo a seriados, filmes e partidas de futebol, vôlei, basquete e ice hockey, além de ouvir música, ir a shows e, claro, ler. Não curte chick-lits e prefere os thrillers, policiais, YA e fantasia. Nunca sai de casa sem guarda-chuva e um livro na bolsa, afinal nunca se sabe quando irá chover ou surgir uma fila/trânsito em São Paulo.

3 comentários

  1. Cara, esse livro superou minha expectativas. Eu estava esperando respostas, mas fiquei com mais dúvidas do que já estava. Muito louco. Fiquei muito revoltado ao mesmo tempo, porque sabia que demoraria para comprar o próximo livro (lol). Mas, se Deus quiser, ele chega na sexta! *_____________*
    Ótima resenha, por sinal!

    blog-exlibris.blogspot.com.br

  2. e qual é o primeiro livro?

  3. O primeiro livro dessa série se chama Correr ou Morrer, Juliana. Temos resenha dele aqui: http://livrosemserie.com.br/2011/07/08/resenha-maze-runner-correr-ou-morrer-de-james-dashner/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*