sexta-feira, 13/10/2017
Últimas do LeS:
Capa » Resenhas de Série » Resenha Fora de Série: “Meu Pé de Laranja Lima”, de José Mauro de Vasconcelos

Resenha Fora de Série: “Meu Pé de Laranja Lima”, de José Mauro de Vasconcelos

Livro: Meu Pé de Laranja Lima
Autor: José Mauro de Vasconcelos
Páginas: 192
Editora: Melhoramentos
Resenha por: Bruna
Compre: Saraiva E-book Audiolivro

Meu Pé de Laranja Lima retrata a comovente história do travesso Zezé, um menino de família muito pobre, que conversa com o pé de laranja lima e estabelece uma bonita amizade com o solitário velho português, Manuel Valadares, mais conhecido como “Portuga”.

Trata-se da história de um garotinho que está começando a descobrir o mundo. Ele percebe que a vida pode ser marcada por decepções provocadas até pelas pessoas mais próximas e queridas. Sente de perto a falta de compreensão e a brutalidade do próprio pai. Compreende que viver, em alguns momentos, pode ser sinônimo de imensa dor, como na ocasião da perda de alguém especial. Mas, percebe que, ainda assim, é possível experimentar momentos únicos, de muita alegria – e a conquista de amigos verdadeiros é, sem dúvida, um dos mais marcantes.

Já tinha lido “Meu Pé de Laranja Lima” quando estava na escola, quando o escolhi em uma das minhas mil idas à biblioteca, mas não me lembrava muito da história. Quando surgiu a oportunidade de resenhar esse clássico aqui pro site eu não hesitei, mas agora sinto dificuldade de achar palavras que façam justiça a essa incrível obra.

Meu Pé de Laranja Lima conta a história do menino Zezé, uma criança de 5 anos que tem uma imaginação incrível, uma curiosidade insaciável e um coração do tamanho do mundo. Zezé vem de uma família simples, ele tem muitos irmãos e a família é obrigada a se mudar da casa onde moram no começo do livro pois devem aluguel e o pai de Zezé está desempregado.

Apesar de ter toda essa paixão pelo conhecimento e pela vida, o personagem é muito levado e gostava de pregar peças nas pessoas da rua. Por causa dessas traquinagens Zezé acabava sempre sendo castigado com surras – por muitas vezes cruéis – não somente pelos pais, mas também por seus irmãos mais velhos. Me dava uma enorme dor no coração nas passagens em que Zezé levava as surras pois fica claro que todos acabam descontando os dissabores pessoais da vida no pobre menino. Sabemos que é super normal um garoto entre 5 e 6 anos ser levado, ainda mais quando a figura materna não é tão presente – a mãe de Zezé precisava trabalhar para sustentar a família. De tanto apanhar, Zezé acabou acreditando que era realmente malvado, uma criança que não tinha mais jeito de se acertar.

“O pensamento cresce, cresce e toma conta de toda a nossa cabeça e nosso coração. Vive em nossos olhos e em tudo que é pedaço da vida da gente.” – p. 65

São poucos os personagens que despertam o lado carinhoso do personagem principal, um deles é seu irmão mais novo, Luís, a quem Zezé sempre se refere como “o rei Luís”. Como em toda família pobre e numerosa, os irmãos mais velhos são responsáveis por cuidar dos mais novos, então quem tomava conta de Luís era Zezé. Ele leva o irmão em viagens pela imaginação, mostrando a inocência de ambos: visitas ao zoológico e à Europa, quando na verdade os meninos andavam pelo quintal da casa, imaginando, por exemplo, na velha galinha preta uma majestosa pantera.

Ao mudarem de casa, Zezé encontra em seu novo quintal da sua nova moradia um pequeno pé de laranja lima. A princípio, ele despreza a pequena árvore, mas acaba criando um vínculo enorme com ela, que se torna um grande amigo para dele, um dos poucos com quem Zezé pode conversar abertamente.

Outra amizade que surge na vida de Zezé, a mais importante de sua vida, é o português Manuel Valadares, o Portuga. A amizade dos dois começa de forma estranha, mas aos poucos vai crescendo e Zezé conquista o Portuga com seu jeito simples, sagaz e sincero. Os dois acabam criando um grande vínculo de amizade e cumplicidade, com o mais velho virando a verdadeira figura paterna e amorosa que tanto faz falta na vida de Zezé. É impossível não se emocionar com o jovem garoto e seus pensamentos que são tão simples e verdadeiros.

“Matar não quer dizer a gente pegar o revólver de Buck Jones e fazem bum! Não é isso. A gente mata no coração. Vai deixando de querer bem. E um dia a pessoa morreu.” – p. 144

Uma história simples, porém belíssima, sobre ser criança e crescer, perdendo a inocência no processo. Zezé, infelizmente, tem que deixar de ser criança muito cedo. A história também serve para nos lembrar de que as crianças têm muito a nos ensinar com sua visão descomplicada do mundo. Derramei lágrimas nos capítulos finais e mal posso esperar para ver a mais nova adaptação desse clássico para o cinema. Uma leitura gostosa e obrigatória para quebrar os preconceitos que muita gente, infelizmente, ainda tem com a literatura nacional.

Sobre Bru Fernández

Formada em Letras, trabalha como Revisora e Tradutora em uma agência publicitária e preenche suas horas vagas assistindo a seriados, filmes e partidas de futebol, vôlei, basquete e ice hockey, além de ouvir música, ir a shows e, claro, ler. Não curte chick-lits e prefere os thrillers, policiais, YA e fantasia. Nunca sai de casa sem guarda-chuva e um livro na bolsa, afinal nunca se sabe quando irá chover ou surgir uma fila/trânsito em São Paulo.

23 comentários

  1. esse resumo é bom mas poderia falar mais sobre os personagens

  2. Muito bom o resumo, ta de parabens

  3. Estou louca para ler este livro e depois assistir o filme!! Todo mundo fala muito bem!!!

  4. Esse livro é um pouco bom e muito chato mais eu mim empougei para ler e quero assistir o filme ♥

  5. esse livro é muito bom eu li o livro gostei muito o autor está de parabéns!!!!!!!!!!!

  6. O livro é muito bom, mas o resumo está um pouco incompleto!!!

  7. Bruna Fernández

    Isso não é um resumo Gabriel, é uma resenha. ;)

  8. Nossa! Muito boa a resenha, assim como a obra inteira! Não li o livro mas assisti o filme e me emocionei muito. Lembrei de quando eu era criança.

  9. Coloca as semelhanças e diferenças entre o livro e o filme!

  10. Uau! Confesso que sou uma das que tem um pouco de preconceito com literatura nacional. Mas fiquei curiosíssima para ler este livro, já tinham me recomendado ele antes, mas sua resenha fez toda a diferença. Parabéns :)

  11. otimo resumo me ajudou bastanteee para a atividade avaliativa da escolaa kkkk

  12. Gostei muito da resenha, mas precisava do resumo de cada capitulo
    :(

  13. Gostei muito da resenha e concordo com cada palavra escrita sobre essa linda obra!

  14. Tânia Regina Zavata Catalano

    Parabéns, Bruna. Você fez uma resenha clara e envolvente, que possibilita despertar o interesse e aguça a curiosidade para a leitura da obra. Citarei sua resenha em meu blog e deixarei os créditos de seu site. Obrigada!

  15. Gostaria de voltar a ver o Meu Pú de Laranja Lima na primeira versão 1980…..adorei….muita linda esta serie

  16. Gostei do livro precisava ler pq pediram na escola… Mas acho que ficou incompleto.

  17. Mas eu amei!!!! Bruna vc ta de PARABÉNS…

  18. Bruna Fernández

    Obrigada, Luísa! :)

  19. Parabéns pela resenha.
    Foi o primeiro livro que li, não me recordo com que idade. Tenho uma filha de 7 anos e comprei para ela, mas fiquei com receio. Com sua experiência e educação você o recomendaria para esta faixa etária ? Grato.

  20. Bruna Fernández

    Obrigada Carlos!

    Acho que a sua filha ainda é um pouco novinha pra ler Meu Pé de Laranja Lima. Ela talvez goste mais desses títulos aqui: http://oferta.vc/6xNL ;)

  21. adorei o filme eu presiso do resumo e das falas de zeze se augem souber onde achar deixe seu comentario!!!
    obg!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*