sexta-feira, 20/10/2017
Últimas do LeS:
Capa » Resenhas de Série » Resenha: “Os gêmeos”, de Pauline Alphen

Resenha: “Os gêmeos”, de Pauline Alphen

Livro: Os gêmeos (#01)
Série: Crônicas de Salicanda, As
Autor: Pauline Alphen
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 368
Tradutora: Dorothée de Bruchard
Resenha por: Nanda
Compre:
Saraiva Submarino Cultura Folha Travessa Americanas Amazon

Claris e Jad são irmãos gêmeos tão inversos quanto idênticos. Compartilham sentimentos e pensamentos, mas enquanto Jad tem um coração frágil e sofre de enxaquecas terríveis, condições que lhe impedem de passar muito tempo ao ar livre, Claris é uma garota cheia de vida, destemida, que sonha em viver grandes aventuras. Aventuras como as que lê na Torre dos Livros, onde seu melancólico pai vive enfurnado desde o sumiço da mulher; aventuras como aquelas que a mãe lia para ela; aventuras como as que Jad, com seus problemas de saúde, não pode experimentar. Eles vivem em uma aldeia chamada Salicanda, em um castelo cravado num vale isolado por uma cadeia de montanhas e encharcado por uma chuva fina e incessante, com o pai, Eben; um preceptor, Blaise; e a ama, Chandra. A mãe, Sierra, desapareceu em uma noite de temporal, no dia em que os gêmeos completavam três anos, deixando a família despedaçada e muitas perguntas no ar. Claris, que divide o tempo entre os livros, as aulas de esgrima e as cavalgadas na floresta, anda obcecada com a ideia de que as aventuras são sempre protagonizadas por meninos – o que ela acha extremamente irritante. Mas está enganada, pois vai viver uma aventura e tanto ao lado do irmão. À procura de respostas para os mistérios que envolvem o sumiço da mãe, a história de Salicanda e os dons sobrenaturais que parecem ter herdado de Sierra, os gêmeos vão ultrapassar as fronteiras do castelo onde vivem e também do seu mundo: aquele da infância dos dois, o de um passado que eles desconhecem.

Imagine se toda a tecnologia do mundo fosse banida e só restassem os livros? Se em algum momento a tecnologia e poderes sobrenaturais fossem tão utilizados que o mundo estivesse a um passo da destruição? Esse é o mundo de Salicanda.

Nele vivem os irmãos Jad e Claris, que são bem diferentes. Claris é bastante agitada e Jad mais quieto. Depois que a mãe fugiu quando eles eram pequenos, o pai ficou um pouco ausente. Eles vivem em um castelo, com os livros e algumas pessoas que cuidam deles e os ensinam coisas, como arco e flecha, espada, meditação etc.

No entanto, uma série de acontecimentos faz com que as pessoas que cercam os gêmeos fiquem preocupadas: eles parecem ter um grande papel a desempenhar em Salicanda e para isso eles devem aprender sobre o mundo que existia antes. E aos poucos Claris e Jads descobrem muito mais, inclusive sobre o sumiço de sua mãe, sobre acontecimentos estranhos na floresta, sobre a necessidade de proteger o mundo e sobre o despertar de seus poderes psíquicos. O que eu mais gostei foi do jogo de tabuleiro apresentado a Jad e que prova ser bem relevante para a história. É daquele tipo de jogos vivos (tipo Jumanji, mas de um jeito legal) e é a parte mais interessante do livro.

O livro tem aquelas descrições de várias páginas e vocabulário rebuscado que deixam a história bastante cansativa. Tive que fazer diversas pausas. Ainda assim, o livro é cheio de referências ais atuais – principalmente de Star Wars. É uma história de aventura para quem gosta de algo mais clássico (tipo As Crônicas de Nárnia), com um toque de mitologia. Não tem muitas reviravoltas, mas como é o primeiro livro, tem muitas coisas para se introduzir (a melhor definição para esse livro é que é uma grande introdução). Eu acho que não gostei muito do livro por ele ser parado. Bem no final que acontece alguma coisa e ao que tudo indica a ação vai ficar mesmo para o segundo livro.


Aviso Legal: Esse livro foi cedido pela editora responsável pela publicação no Brasil como cortesia para o Livros em Série.

Sobre Nanda

Formada em Relações Internacionais e Economia, tem 25 anos, é hiperativa e adora organizar eventos (principalmente de livros). Também adora filmes, livros (principalmente aventuras infanto-juvenis, como Percy Jackson, Harry Potter e The 39 Clues), música, viagens, Disney, desenhos japoneses, maquiagem e coleções.

2 comentários

  1. Rayane Vitorio

    To doida pra ler!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*