domingo, 20/05/2018
Últimas do LeS:
Capa » Top 10 de Terça » Top 10 Terça (#04) – Livros que te fazem viajar

Top 10 Terça (#04) – Livros que te fazem viajar

O legal dos livros é o simples fato de eles nos fazerem viajar, sair da nossa realidade e embarcar em uma estória diferente. Mais legal ainda, é quando nessa sua viagem você acaba conhecendo outros lugares e culturas, mesmo que eles não exitam, e esse é o Top 10 dessa semana, livros com viagens.

top10_500

10. Comer, rezar e amar, de Elizabeth Gilbert
Sei que o livro não é uma série, por isso isso ele está em décimo lugar, mas não consigo pensar em livros com viagens interessantes e não pensar no livro que na realidade só tem enredo por causa de uma viagem. São três países diferentes – Itália, Índia e Bali – e em cada um deles você consegue sentir aquele toque especial que mudou a vida da autora.

9. Prelúdio de Sangue, de Jean Plaidy.
Ele é o primeiro da Saga dos Platagenetas e apesar de ser histórico te coloca em ambientes bem diferentes. Quando eu paro para pensar no livro, as primeira imagens que me vêem a cabeça não são dos personagens ou da estória em sí, mas das diversas localidades. Me vem na mente a Aquitânia de Eleanor, um lugar amoroso entre França e Espanha, mas com uma cara de sul da Ítalia. A Inglaterra chuvosa e cinzenta, a França toda rebuscada e até o clima sedo e bege do Mediterrâneo. É um ótimo livro que não foca em regiões mas que me trouxeram muitas imagens diferenciadas e bonitas pela diversidade de locais.

8. Quatro amigas e um jeans viajante, de Anne Brashares.
O nome mesmo já deixa bem claro que existe uma viagem na estória e que ela é uma parte importante. Não tem como não gostar de um livro que tem a Grécia e o México ao mesmo tempo, culturas tão diferentes e únicas.

7. Glimmerglass, de Jenna Black.
Sei que muitos livros falam sobre Avalon, mas do jeito que esse fala, tenho certeza que não. Dana, a personagem principal do livro, vai atrás de seu misterioso pai em Avalon, na Inglaterra e que todos sabem que é um lugar onde seres mágicos e mortais convivem juntos.

6. O rei do Ferro, de Julie Kagawa.
Começa como um YA qualquer, e não deixa de ser. O interessante desse livro, e o que o trouxe a sexta posição de lista, foi o mundo fantástico que a autora conseguiu criar. Apesar de não existir, ele é incrivelmente cheio de detalhes, e torna a viagem da personagem principal ainda mais incrível. São poucos livros do gênero que conseguem criar lugares tão fantásticos, e acho que por causa disso eu gostei tanto.

5. Radiante, de Alyson Noël.
O que gostei nesse livro, foi a viagem de Riley entre dois mundos, os dos mortos e o dos vivos. Até aí, isso já é uma super viagem, mas conforme Riley vai conhecendo esse mundo novo do qual agora ela faz parte, você vai viajando em um mundo que algumas, vezes pra mim, pareceram saidos do filme ‘Amor além da vida’, e outras vezes com o filme brasileiro ‘Nosso Lar’. Agora, na minha cabeça, uma imagem nítida e que tenho muita certeza de que inúmeros leitores gostariam de fazer, é a que Riley faz no final, voando.

4. O caso da criada desaparecida, de Tarquin Hall.
Apesar da minha paixão a parte pela Índia, acho que posso dizer que para muitos, mesmo os menos interesados, ela é um lugar fascinante. Uma cultura completamente diferente em todos os sentidos, e em O caso da criada, a gente conhece uma Índia bem real. Não é um livro YA, não tem nada sobrenatural; é uma estória de suspense engraçada, escrita por uma pessoa que morou na Índia e a discreve com propriedade.

3. Belezas perigosas, de Libba Bray.
Foi um livro que eu gostei bastante! Misturou Índia, Inglaterra e um mundo totalmente mágico. Você começa na Índia, que como disse no livro anterior, é um país fascinante, e então você vai para Londres, em um colégio interno só de garotas. Alguma coisa nesse livro me remeteu aos livros de Frances Hodgson Burnett, como ‘A Pricesinha’, por exemplo. Além disso, o livro conta com esse mundo mágico, que mistura com um toque de terror e ciganos.

2. Feita de fumaça e osso, de Laini Taylor.
Apesar de não ter gostado tanto do livro, uma coisa que não posso negar é que a autora saiu desse padrão YA onde as garotas esquisitas moram em cidadizinhas frias, chuvosas e cercada por florestas em algum lugar dos Estados Unidos. A personagem principal vive em Praga, o que já é muito bacana e, pelo menos eu, nunca tinha lido um livro que se passasse lá. Além disso, a personagem também passa por diversos outros lugares que não aparecem muitos em outros livros, e é claro, também rola um mundo mágico. E tudo isso visitado, simplismente, atravessando uma porta! Quem não gostaria de viajar assim?!

1. A maldição do tigre, de Colleen Houck.
Tá, sou previsível! Mas não é a toa que esse é um dos meus livros favoritos, e com certeza a minha série favorita. Começa sim, como um YA normalzinho, na verdade, a base dele é bem um YA normalzinho, mas quando Kelsey viaja para a Índia as coisas ficam bem diferentes. Tá, Índia de novo! Mas o que posso fazer?! Eles existem a milhares de anos e são únicos em cultura e tradição. O legal da viagem da Kelsey, é que não tem só a viagem para Índia, e sim dentro da Índia e nos lugares mágicos que a autora criou. Além disso, apesar de ser um top livros e não séries, coloquei ‘A maldição do tigre’ como o representante geral da série, que inclui diversas outras viagens e lugares legais pelo mundo oriental e mágico.

Outras listas de Livros que te fazem viajar:

O Top 10 de Terça é um meme criado no blog Broke and Bookish que terá seu formato replicado com listas aleatórias aqui no LeS. Sinta-se à vontade de criar o seu próprio Top 10 de Terça e postar no seu blog. Envie seu link para contato @ livrosemserie.com.br com o assunto LINK TOP 10, que nós adicionaremos o link da sua lista aqui. ;)

Sobre Karol

Atriz ruiva tão viciada em Shakespeare que foi até parar lá no palco do Globe Theatre de Londres de tanto que encheu o saco! Sem papas na língua,que sempre dá preferência a livros históricos e com culturas diferentes. Não leu Harry Potter ou Senhor dos Anéis, jogou Crepúsculo longe no meio do segundo livro mas é capaz de devorar qualquer livro que contenha um rei, um indiano ou um espírito no meio. Estranha, usa personagens românticos como referencia quando briga com o namorado, transforma tudo em um drama histórico e deseja silenciosamente transformar todos os livros que lê em filme.

2 comentários

  1. Antes de ler A Maldição do Tigre, o meu interesse pela Índia era meio vago, eu a achava um país curioso, entretanto, depois do estardalhaço que a Colleen causou em minhas emoções, eu me senti quase obrigada a conhecer esse país, ele é mais fascinante do que eu imaginava, as pessoas não entendem quando eu digo que eu sonho em conhecer aquele país, o estereótipo que criaram do país é extremamente equivocado, o que o prejudica, pois ali há mais beleza, cultura e tradição do que eu seria capaz de descrever, é como você disse, a série é riquíssima em viagens, e as ruínas de Hampi são incríveis, as fotos de lá deixam qualquer um que leu os livros encantado, a Colleen sabe como criar mundos mágicos e inseri-los em nosso mundo!
    Beijos

  2. É mesmo Larissa, as pessoas que não conhecem muito bem, acabam achando que é um país sujo, de gente grossa… Meu namorado mesmo fala isso e depois que conheceu a comunidade indiana aqui em SP meio que ‘forçado’ por mim, ele começou a mudar de opinião!
    bjos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*