quarta-feira, 18/10/2017
Últimas do LeS:
Capa » Resenhas Fora de Série » Resenha: “O futuro de nós dois”, de Jay Asher e Carolyn Mackler

Resenha: “O futuro de nós dois”, de Jay Asher e Carolyn Mackler

Livro: O Futuro de Nós Dois
Autora: Jay Asher e Carolyn Mackler
Editora: Galera Record
Páginas: 381
Resenha por: Cine
Compre: Saraiva

É 1996, e menos da metade dos alunos das escolas de ensino médio nos Estados Unidos já tinham usado a internet. Emma acaba de ganhar o primeiro computador e um CD-ROM da America Online de Josh, seu melhor amigo. E ao instalar o programa, logo no primeiro acesso, descobrem que acabam de entrar no Facebook, dali a quinze anos.
Todos se perguntam como será o futuro. Josh e Emma estão prestes a descobrir…

O Futuro de Nós Dois é um daqueles livros que eu queria devorar desde que foi saiu lá na gringa só pelas capas lindas que foram lançadas. De fato, a capa é uma das minhas favoritas, com uma arte simples, mas bem feitinha, e a diagramação do livro também foi muito bem cuidada.

O livro conta a história de Emma e Josh, dois amigos que acabaram se distanciando um pouco após Josh achar que Emma era afim dele e tentar investir no romance, contudo eles voltam a se aproximar quando Emma ganha de seu pai um computador e Josh lhe dá um CD-ROM da AOL que lhe garante 10 horas grátis de internet e quando ela o instala em seu computador um site azul, chamado Facebook, aparece em sua tela e Emma se depara com uma foto de uma mulher mais velha, mas que se parece muito com ela. A verdade é que Emma estava vendo sua imagem e sua vida dali 15 anos, e quando ela e Josh descobrem o que irá acontecer com suas vidas, começam a fazer tudo o que é possível para terem a vida que sonham, até se darem de conta que as menores decisões que tomam no dia-a-dia podem afetar seus futuros de uma forma catastrófica.

Lendo a sinopse do livro, não há como negar que a história é extremamente promissora, não só porque é algo único e aparentemente sem clichês, como também dá aquela nostalgia só de pensar em ler algo que eu também passei logo que tive meu primeiro computador e aquela internet discada que dava tempo de ir fazendo um cafezinho até resolver conectar e abrir os sites que eu gostava de visitar. E de fato o livro foi como uma viagem aquele passado nostálgico onde a tecnologia que tínhamos nos anos 90 era algo incrivelmente impressionante. Os personagens durante todos os momentos comentam sobre tudo o que há de mais novo em 1996, passando pelos celulares e até mesmo a Bina – “aquele aparelho bizarro que identifica quem está ligando para sua casa” -, que destruiu a diversão de muita adolescente naquela época.

Mas o bacana do livro para por aí, já que a história acabou se tornando algo bem superficial e nada do que eu esperava.

A narrativa é dividida entre o ponto de vista de Emma e Josh, e desde o início Emma é uma adolescente um tanto quanto mesquinha e chata, que se preocupe com coisas fúteis e fica constantemente tentando mudar o futuro que via em sua página no Facebook por simples detalhes, o que tornou algo bem irritante de se ler nos capítulos em que ela narrava. Ok, eu sei que adolescentes na idade de Emma – 16 anos – podem ser birrentos e infantis algumas vezes, mas o que mais me incomodou foi o fato de Josh, um garoto que adora andar de skate, conseguiu ter uma mentalidade muito mais madura do que ela quando precisava enfrentar os problemas que ele tinha durante o presente e com as coisas que ele via acontecendo em eu futuro. Não estou dizendo que deveria ser o oposto, mas como a todo o momento os autores faziam questão de nos remeter a nostalgia de uma adolescência dos anos 90, eu não senti que as características dos personagens condiziam com o que eu vivi na minha época e por isso eu achei as atitudes de Emma, principalmente, extremamente forçadas e as de Josh, um tanto quanto “tranquilas”, dado a tudo o que estava acontecendo em sua vida.
É muito difícil falar dos personagens e porque cada um teve alguma coisa que me irritou e me fez não acha-los tão cativantes, sem dar spoilers, mas basicamente nem Josh nem Emma pareceram convincentes o suficiente para me fazer querer realmente entrar na história e torcer por eles.

A premissa da história em todas as sinopses e até mesmo na carte enviada pela editora é que o livro nos faria pensar um pouco sobre se realmente vale a pena ficar constantemente pensando sobre nosso futuro ou devemos nos focar em nosso presente e o que acontece ao nosso redor, mas em nenhum momento eu senti essa mensagem ser passada no livro. Achei todos os diálogos fraquinhos e bobinhos, clichês e previsíveis. Não há nenhum grande acontecimento na história que te faça parar e pensar, ou então algo que te faça ficar com vontade de seguir lendo o livro para saber como ele vai terminar.

O que mais me deixou desapontada com o livro – além dos personagens – foi a falta de explicação sobre absolutamente tudo. Os autores simplesmente iam jogando alguns acontecimentos na vida de Josh e Emma e era isso, não levava a lugar algum. Fora que a maneira como eles apresentaram o Facebook foi um tanto quanto exagerada. Quer dizer, as postagens que eles visualizavam eram coisas que ninguém com um pouco de noção postaria no Facebook hoje em dia. Que tipo de pessoa sã iria ficar atualizando seu status a cada minuto falando coisas extremamente pessoais, que você só fala para os amigos mais próximos?! Sério, isso destruiu totalmente o “pouco” de realidade que o livro poderia ter.

Em suma, se você está à procura de um livro para simplesmente passar o tempo, deve gostar de O Futuro de Nós Dois, porque é uma leitura mega leve e rápida e se você teve sua adolescência no final dos anos 90, com certeza irá te dar aquela sensação gostosa de nostalgia lembrando-se do seu primeiro contato com o mundo do World Wide Web, mas para mim o livro foi uma bela decepção porque eu tinha expectativas muito altas para a história e esperava algo completamente diferente do que li.

Sobre Cine

Jornalista e professora de inglês, vivendo o sonho de morar em Nova York e ainda tentando descobrir se seria possivel viver dentro de uma da Barnes and Nobles. Viciada em cultura, passa os dias tentando decidir que livros ler enquanto tenta se encontrar na vida.

4 comentários

  1. Vanessa Grandin

    Tenho muita vontade de ler esse livro especialmente pelo clima de nostalgia…..relembrar a adolescência é sempre bom ainda mais quando não tínhamos essa facilidade que a internet nos proporciona hoje…
    É uma pena que tenha se decepcionado com a história…..eu quero lê-lo mesmo assim mas já não estou tão ansiosa!

  2. Não deixe de ler Vanessa, eu esperava muito do livro, mas se você quer alguma coisa levinha para ler no final de semana com certeza vai curtir ;)

  3. Poxa, comprei o livro ontem, super animada!!!! :(

  4. Estou lendo agora e realmente a Emma é chata demais, já o Josh não me irritou, não, tô gostando bastante dele e da Kellan! E a premissa de saber o futuro dessa forma está fazendo maravilhas pelo meu lado ansioso de querer saber tudo!!! hauahuahuahuah

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*