sexta-feira, 20/10/2017
Últimas do LeS:
Capa » Resenhas Fora de Série » Resenha: “Guerra mundial Z”, de Max Brooks

Resenha: “Guerra mundial Z”, de Max Brooks


Livro: Guerra Mundial Z – Uma História Oral da Guerra dos Zumbis
Autor: Max Brooks
Páginas: 368
Editora: Rocco
Resenha por: Guilherme
Compre: Saraiva Fnac Submarino Americanas

A guerra Mundial Z quase extinguiu a humanidade. Ignoradas para uso em relatório oficial, as entrevistas aqui reunidas trazem os testemunhos valiosos dos sobreviventes. Dos veteranos de batalhas em terras americanas às tropas europeias escondidos em castelos, passando por refugiados instalados em ambientes completamente inóspitos, os depoimentos eletrizantes deste livro documentam e captam, de forma assustadora, o terrível custo humano do surto que espalhou zumbis por todo o planeta. E como alguns lucraram com isso.

Se você assistiu ao filme baseado no livro Guerra Mundial Z, provavelmente saiu do cinema pensando: “Foi impagável ver milhões de zumbis devorando a humanidade. A história é bem fraquinha, mas a ação é sensacional.” Pois bem, quando você fechar o livro, depois de ler a última linha, vai dizer: “Foi impagável ler sobre milhões de zumbis levando a raça humana à extinção. A história, então, é uma das melhores já escritas”.

O autor Max Brooks (que também escreveu o indispensável Guia de Sobrevivência a Zumbis) entrega a você tudo o que uma pessoa pode querer de um apocalipse zumbi. Brooks acerta em cheio ao usar um tom de entrevista para narrar a quase extinção da raça humana. O livro apresenta a você o relato de vários personagens, entrevistados por um funcionário da ONU. Cada personagem – que são de todo o tipo possível: militares, civis, políticos, médicos – tem sua própria história de sobrevivência num mundo dominado por zumbis. Desde o Paciente Zero até a retomada do mundo pelo homem, Brooks envolve o leitor com uma história que parece realmente ter acontecido, tão rica em detalhes ela é.

É exatamente aí que Brooks faz da leitura de Guerra Mundial Z algo único. A quantidade de detalhes na história é surpreendente. O autor não deixa passar nada. Brooks não mostra a você apenas as batalhas (tão gigantescas que são dignas de uma Terceira Guerra Mundial) que o homem enfrenta ao lutar contra uma infestação zumbi em proporções mundiais. Vai muito além disso. O livro mostra impecavelmente o psicológico mundial diante da extinção: como o homem luta com unhas e dentes para sobreviver à extinção e como a humanidade tropeça em seu caminho para fora da lama, tentando se restabelecer como a espécie dominante do planeta.

Brooks pensou em tudo o que poderia acontecer durante um apocalipse zumbi. Desde como o exército responderia à ameaça de um interminável exército de mortos vivos, até como os cachorros (sim, ele pensou no papel dos cachorros) seriam essenciais para a raça humana. São mostradas com maestria as diversas formas que os governos dos países responderiam, quais seriam as táticas de batalha, como a sociedade se modificaria durante e após a Guerra. Embora seja difícil formar um elo emocional concreto com os diversos personagens – uma vez que você é apresentado a um personagem diferente a cada capítulo – isso acaba não afetando o incrível resultado final. O personagem principal de Guerra Mundial Z é a raça humana: e, levando por este aspecto, você se identifica com o ser humano a cada página.

Guerra Mundial Z é um dos livros mais geniais e intensos que você vai ler. A quantidade de detalhes é imensa e, no final, você acaba pensando que os relatos são reais, tão bem elaborados e escritos eles são. É uma obra rica, acompanhada de uma das leituras mais prazerosas e bem estruturada que você vai ter o prazer de ler.

Sobre Guilherme

Nasceu no Condado de Roseira e foi se perder na cidade grande de São Paulo, onde cursa o terceiro ano de Publicidade e Propaganda na Faculdade de Comunicação Cásper Líbero. Viciado em séries, música e livros, prefere passar uma noite de sábado lendo "Sob a Redoma" do que sair para balada. Escreveu um livro que - se tudo sair como deve - será publicado ainda esse ano, talvez em agosto. Vai que dá certo e ele vira um escritor famoso, né.

4 comentários

  1. Li esse livro, e achei sensacional. Valeu a pena eu ter procurado esse livro por mais de 1 ano.

  2. Muito boa a análise.

  3. É interessante essa abordagem jornalística do livro, mas o problema está no ponto que você levantou: os personagens não têm o mínimo de importância. Esperava pelo menos um cruzamento das histórias, mas não vi nada disso. Acho que minha falta de interesse em contos me barrou de gostar mais do livro. Assim, gostei porque sou fã de histórias de zumbis e foi legal ver o que o autor imaginou para o que aconteceria em vários frontes, mas a estrutura em contos…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*