terça-feira, 17/10/2017
Últimas do LeS:
Capa » Resenhas de Série » Resenha: “Feita de fumaça e osso”, de Laini Taylor

Resenha: “Feita de fumaça e osso”, de Laini Taylor

Livro: Feita de fumaça e osso
Série: Feita de fumaça e osso
Autor: Laini Taylor
Editora: Intrínseca
Páginas: 377
Resenhado por: Karol
Compre: Saraiva Cultura Submarino E-book

Não só o cabelo azul e as várias tatuagens que fazem de Karou uma garota diferente. Ela não se lembra dos pais e, criada no covil de um demônio, não entende por que uma criança humana foi acolhida ali. Muito menos sabe o verdadeiro motivo por trás das estranhas missões que desempenha para seu protetor, recolhendo dentes ao redor do mundo. Em um instante ela pode estar fazendo rascunhos no Liceu de Arte em Praga e, minutos depois, estar no metrô de Paris, carregando presas de elefante, ou em Marrakech, negociando com um mendigo. Não é exatamente normal, mas em um universo em que os anjos são seres temidos e o preço da magia é a dor, essa é a única vida que ela conhece. Pelo menos por enquanto.

Ai, que difícil começar essa resenha! Sério… pois, ao menos tempo que quero falar ‘não leiam isso’ eu penso duas vezes e acho que pode ser interessante esse livro. Não, não estou louca e vou explicar melhor.

Karou me encantou logo no começo do livro. Primeiro que ela tem um nome quase igual ao meu, estuda numa escola de artes, tem cabelo colorido e tatuagens. Tudo bem parecido comigo, tirando o fato de que ela foi criada por monstros desde que se lembra. Ok, até aí super interessante!

Ajudando na parte positiva do livro, Karou é uma moça independente, faz o que tem vontade, não precisa de ninguém, não mente para os outros para esconder seus segredos sombrios e não é um daqueles personagens puritanos chatos que ficam ‘Ai, será que eu amo ele? Será que amo meu melhor amigo? Devo beijar?’ e já deixa logo bem claro no começo do livro que se arrepende de ter perdido a virgindade com um cara que, apesar de lindo, e completamente nu na sua frente, não passa de um babaca. Ou seja, novidade, não temos a mocinha virgem que precisa ser amparada e se depara com um ser mágico que desperta seus desejos. Quer dizer… essa última parte bem acontece mas, evitando spoliers, só mais pra frente do livro.

Fora Karou, nenhum personagem me fez ter qualquer tipo de sentimento por ele, nem mesmo o galã anjo Akiva. Não que sejam personagens chatos, mas simplesmente não rolou comigo! E agora começa a parte que eu achei chata no livro…

A ideia da Laini Taylor é ótima, super diferente mas, ela peca na hora de escrever. A estória me pareceu um pouco arrastada, sem muita emoção na maioria das partes. Algumas vezes ficava super interessante, eu devorava o livro mas ai a emoção passava e qualquer programa da Discovery sobre algum caso bizarro me parecia mais interessante, e então, o livro ia para a cabeceira e ficava lá por uns dois dias, até eu não ter mais o que fazer e ir ler. Não era um sacrifício que me matava ter que mergulhar nessa estória, mas também não era algo que eu me via ansiosa para fazer.

Acho, na minha humilde opinião, que apesar do livro já ser relativamente pequeno, poderia ser menor e cortar um pouco da narração meio sem importância que ele tem.

Para vocês não ficarem me achando uma chata pois, sei que tem muita gente por ai fanática pelo livro, minha opinião resumida é que a autora é muito criativa e saí daquele clichê que a gente vê por ai, mas, talvez ela se sairia melhor como uma roteirista de seriado, por exemplo, onde tudo tem que acontecer mais rápido e assim mesmo prender a sua atenção. Deu pra entender?!

Sobre Karol

Atriz ruiva tão viciada em Shakespeare que foi até parar lá no palco do Globe Theatre de Londres de tanto que encheu o saco! Sem papas na língua,que sempre dá preferência a livros históricos e com culturas diferentes. Não leu Harry Potter ou Senhor dos Anéis, jogou Crepúsculo longe no meio do segundo livro mas é capaz de devorar qualquer livro que contenha um rei, um indiano ou um espírito no meio. Estranha, usa personagens românticos como referencia quando briga com o namorado, transforma tudo em um drama histórico e deseja silenciosamente transformar todos os livros que lê em filme.

5 comentários

  1. Anna Furtado

    Concordo totalmente, em tudo. Não gostei muito do livro :/

  2. Eu gostei do livro. Mais concordo comk o fato de ser uma história arrastada, com muitas partes desnecessária.

  3. Gostei bastante do livro. Não achei que a narrativa fosse tediosa de forma alguma. Estou esperando ansiosa a continuação.

  4. Daniela Mercês

    Oi Karol :D
    Menina, concordo em tudo que disse sobre o livro. Também achei a mesma coisa.. Quer dizer, não cheguei a terminar de ler o livro e estou pensando realmente em abandonar a leitura. Incrível que fiz algumas pesquisas e encontrei muitas pessoas que me indicaram a leitura, e que estão amando tbm a sequencia…
    Acho incrível o mundo literário, por esse tipo de troca, porque são tantas opiniões diferentes… Eu gosto disso! E essa é a minha humilde opinião e respeito os que amaram o livro.

  5. Eu estava um pouco curiosa para ler, e admito que fiquei um pouco desanimada, por que ao que parece, é um livro que você ama ou odeia, e eu costumo tender pro lado de quem odeia… :c

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*