segunda-feira, 23/10/2017
Últimas do LeS:
Capa » Resenhas de Série » Resenha: “Pandemônio”, de Lauren Oliver

Resenha: “Pandemônio”, de Lauren Oliver

Livro: Pandemônio
Série: Delírio
Autor: Lauren Oliver
Editora: Intrínseca
Páginas: 301
Resenhado por: Karol
Comprar: Saraiva Submarino Cultura Folha Travessa

Duas realidades, duas Lenas, diferentes ameaças. Antes e agora. Dividida entre o passado – Alex, a luta pela sobrevivência na Selva – e o presente, no qual crescem as sementes de uma violenta revolução, Lena terá que lutar contra um sistema cada vez mais repressor, sem, porém, se transformar em um zumbi: modo como os Inválidos se referem aos curados. Não importa o quanto o governo tema as emoções: pouco a pouco a sociedade se incendeia pelas faíscas da revolta, vindas de todos os lugares… inclusive de dentro. Achavam que amar era algo sublime. Mas isso foi antes de encontrarem a cura. .

Depois que terminei de ler Delírio, o primeiro livro da série, entrei em desespero. Eu chorava feito um bebê e fiquei desesperada para saber o que acontecia depois. Tanto que, para quem leu a resenha, percebeu quanto emotiva eu estava.

Assim que saiu Pandemônio, entrei em crise para conseguir ler o livro logo, e infelizmente, logo no começo já fiquei decepcionada. Aquela emoção toda que Lauren Oliver deixou no primeiro livro não seguiu para o começo do segundo. Parece que a personagem virou outra e que a autora não sabia muito bem como expressar aquele novo começo de Lena.

Foi triste ver todo aquele amor ser tão bem colocado no primeiro livro e sumir em uma parte tão importante da história, a parte que o amor é perdido.

Já aviso pra quem não leu o primeiro livro parar aqui, pois agora vem um spoiler! E pra quem leu, minha indignação dividida com vocês: Como Lena sentiu tanto amor e quando Alex fica para trás, ensanguentado, praticamente morto, cercado por reguladores e ela sozinha, a emoção desse amor perdido não aparece?!

Será que me fiz clara? O maior pecado no começo desse livro é a autora não ter se aprofundado na emoção de perder o amor da sua vida da mesma maneira linda que ela se aprofundou na emoção de encontrar o amor da sua vida. Difícil de entender? Lendo o livro talvez fique claro!

Além disso, achei esse começo arrastado. E, literalmente, até o meio do livro ele fica assim, chatinho. Levei semanas para chegar até a página 150. Porém, de modo brilhante e quase despercebido, depois da página 150 o livro toma uma forma completamente diferente. Praticamente outro livro!

A segunda metade do livro li em dois dias! Isso já mostra a diferença do começo da história para o final dela. A Lena parece voltar, a autora reencontra a personagem e aquela paixão que senti no primeiro livro. Não conseguia largar aquelas páginas de maneira nenhuma. E, quando já atrasada para um compromisso, me desesperei para saber o que ia acontecer nas últimas 20 páginas, como num impulso involuntário e auto destrutivo, fui para a última página, ler a última frase. Nem preciso dizer que foi um grande erro, né?!

Passei contando os minutos para voltar pra casa e ver o que acontecia nessas páginas e como aquela última frase, aquela última palavra podia ser possível.

O impulso que tive no começo do livro de jogar o coitadinho contra a parede se aplica agora na minha cabeça. Cadê o resto da história? Como posso passar os dias sem a terceira parte dessa saga? Intrínseca, socorro!!!

Sobre Karol

Atriz ruiva tão viciada em Shakespeare que foi até parar lá no palco do Globe Theatre de Londres de tanto que encheu o saco! Sem papas na língua,que sempre dá preferência a livros históricos e com culturas diferentes. Não leu Harry Potter ou Senhor dos Anéis, jogou Crepúsculo longe no meio do segundo livro mas é capaz de devorar qualquer livro que contenha um rei, um indiano ou um espírito no meio. Estranha, usa personagens românticos como referencia quando briga com o namorado, transforma tudo em um drama histórico e deseja silenciosamente transformar todos os livros que lê em filme.

11 comentários

  1. SIM a ultima pagina contem O MAIOR SPOILER que um livro poderia ter, faz você começar a arrancar os cabelos pela sequencia.
    Não achei tao errada a primeira parte e a falta de emoçao da Lena com a perda do amor da vida dela. Acho que a autora queria mostrar que a Lena ficou entorpecida com a perda e sem saber lidar com ela.
    Como acompanho a serie em ingles posso dizer que vc meio que nao vai gostar do final do livro. mas é digno.

  2. AH, pra entender como a ultima frase do livro é possivel, tem que ver se a intrinseca vai lançar o livro extra Alex que vem com o Requiem.

  3. AI, me deixou tensa agora Thami! hahhaha Não leio em inglês pra não estragar o momento de lançar no Brasil e fazer resenha, mas dá mta curiosidade… depois do seu comentário, ainda mais! hahahaha

    Bem que a intrínseca podia lançar esses extras, né?!

  4. Também fiquei louca pela continuação!! Rs
    Eu entendi a primeira parte do livro como se a Lena não soubesse como lidar com a perda do amor, mas concordo que foi meio chatinha. O engraçado é que eu fiz a mesma coisa de olhar o final antes, embora a minha motivação tenha partido de eu ter pensado “Caramba, imagina se…” lá pelo meio. Quando soube que realmente ia acontecer, aí sim que eu li o livro com mais afinco rs

  5. A Intrínseca costuma lançar esses extras/spin-off da vida. Tomara que lancem dessa série também =)

  6. É, tbm é um ponto de vista interessante o dela não saber lidar com essa perda… mas, pra mim não foi o que passou.
    Eu pensei tbm algumas vezes ‘imagina se…’ mas do jeito que foi, ah… isso não imaginava! ahhahaha

  7. Sim seria muito bom se a intrinseca lança-se todos os livros extras. Se você ler o Raven antes de Requiem torna um evento do livro mil vezes pior.
    É uma pena nao lançarem os livros extras. acontece o mesmo na serie os legados de lorien, os livros extras sao um complemento dos livros da serie.

  8. Também estou achando a primeira parte um pouco chata, mas agora que vocês falaram estou morrendo de curiosidade

  9. Pandemônio foi um dos livros que mais me deu raiva na vida. Eu ficava tipo ‘NÃO NÃO NÃO, NÃO É ASSIM, VOCÊ AMA O ALEX LENA’ -quem leu sabe do que eu estou falando- e xingava ela demais, e tinha certeza que ia acontecer o que aconteceu na ultima pagina. Quando li, tive vontade de socar a Lena e gritar pra ela falando ‘viu? eu disse, toma babaca, quero ver o que tu faz agora’. Eu quase chorei de raiva nesse livro, falo sério. E sabe o pior? Mesmo morrendo de raiva e desejando não ter lido, eu daria tudo pra poder ter a continuação logo k

  10. Vou seguir a sua dica, Thami, e ler o Raven antes do Requiem chegar pra resenha!

    Mia, isso ai!! Não desanima não que fica bom! hahaha

    Thais, verdade! Dá uma raivinha! Tipo ‘sua traidora!!’ hahaha

  11. Vou ler pandemônio hoje, acabei delírio ontem e estou em criseeeee !

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*