sábado, 14/10/2017
Últimas do LeS:
Capa » Resenhas de Série » Resenha: “Métrica”, de Colleen Hoover

Resenha: “Métrica”, de Colleen Hoover

Livro: Métrica
Série: Slammed
Autor: Colleen Hoover
Editora: Galera Record
Páginas: 304
Resenha por: Bruna
Comprar: Saraiva Submarino Cultura Travessa Fnac

O romance de estreia de Colleen Hoover, autora que viria a figurar na lista de best sellers do New York Times, apresenta uma família devastada por uma morte repentina. Após a perda inesperada do pai, Layken, de 18 anos, é obrigada a ser o suporte tanto da mãe quanto do irmão mais novo. Por fora, ela parece resiliente e tenaz; por dentro, entretanto, está perdendo as esperanças. Um rapaz transforma tudo isso: o vizinho de 21 anos, que se identifica com a realidade de Layken e parece entendê-la como ninguém. A atração entre os dois é inevitável, mas talvez o destino não esteja pronto para aceitar esse amor.

A frase “Poesia, amor e tragédia.” na quarta capa do livro e a capa simples e minimalista foram os dois fatores que me levaram a querer ler esse livro. Mas no final das contas ele não foi exatamente o que eu esperava… foi além. É um pouco complicado falar dessa história sem deixar um spoiler passar, mas vou fazer meu melhor pra não estragar a leitura de quem ainda não leu o livro.

A protagonista é Layken, ou Lake, uma garota que está de mudança para o Michigan com sua mãe e seu irmão mais novo. Mas essa é apenas uma das mudanças na vida de Lake: seu pai faleceu há 6 meses e ela acabou se tornando o ponto de apoio de sua família e tudo parece estar indo no sentido errado. Eis que surge uma luz no fim do túnel – seu novo vizinho, Will. Ambos dividem muitas coisas em comum: o gosto musical, a paixão pela banda The Avett Brothers (vou falar mais dela depois), ambos têm irmãos mais novos que instantaneamente se tornam melhores amigos e com o tempo descobrimos que as semelhanças na vida de ambos são muito maiores do que eles mesmos imaginam.

Até aqui, tudo bem. Mas depois da primeira reviravolta no relacionamento de Will e Lake eu confesso que fiquei com uma baita preguiça do enredo. Achei clichê demais e não conseguia ver uma saída original para a história a partir desse ponto. Mas a Colleen não me deixou na mão e fez jus a todas as incríveis críticas que estão fazendo sobre seu romance de estreia. A história vai muito mais além do romance adolescente entre Lake e Will. É uma história sobre família, sobre a morte e como as pessoas lidam com ela e sobre superação.

“Amplie seus limites, Lake. É para isso que eles existem.” – p. 226

O enredo é pautado por um tom poético. Will escreve poesias, é a forma que ele encontrou para desabafar seus problemas internos para o mundo e durante a leitura temos a oportunidade de ver vários personagens usarem a poesia para se expressarem por conta de um clube que todas as noites tem uma competição de Slam, que é basicamente uma competição de poesias. A pessoa faz uma contribuição simbólica de 3 dólares e sobre no palco para recitar sua criação. Achei o conceito super interessante e fiquei morrendo de vontade de frequentar um lugar desses.

O desenrolar de Métrica me surpreendeu em vários momentos e uma das coisas que mais me agradou foi o fato dos personagens serem reais, com atitudes palpáveis e sem exageros. Conseguia facilmente imaginar todas as situações, era como se uma amiga estivesse me contando a história de alguém. Outro ponto positivo pra mim foi a personagem de Lake. Ela não é a protagonista chata e pedante que geralmente esses livros do gênero tem. Ela tem seus problemas como qualquer pessoa e tem o seu próprio jeito de lidar com eles sem ser uma coitadinha que fica pelos cantos reclamando da vida.

Além de ter muita poesia, todos os capítulos da história se iniciam com um trecho de alguma música da banda favorita da Layken, The Avett Brothers. A banda realmente existe e aposto que ganhou muitos fãs e admiradores por causa do livro! Outro fato que contou para deixar a história ainda mais real pra mim.

A única coisa que me incomoda é o fato do livro ser parte de uma série. Para mim o desfecho foi super redondo (um pouco clichê, mas belíssimo) e apesar de existir um espaço para uma continuação, ela não se faz realmente necessária. É esperar pra ver o que mais Colleen tem para nos contar e ensinar no próximo livro que, infelizmente, ainda não tem previsão de lançamento por aqui.

Sobre Bru Fernández

Formada em Letras, trabalha como Revisora e Tradutora em uma agência publicitária e preenche suas horas vagas assistindo a seriados, filmes e partidas de futebol, vôlei, basquete e ice hockey, além de ouvir música, ir a shows e, claro, ler. Não curte chick-lits e prefere os thrillers, policiais, YA e fantasia. Nunca sai de casa sem guarda-chuva e um livro na bolsa, afinal nunca se sabe quando irá chover ou surgir uma fila/trânsito em São Paulo.

3 comentários

  1. Tbm me deparei meio torcendo o nariz pra esse livro, mas aos poucos ele foi me ganhando. O prólogo ganhou meu coração. Tbm achei desnecessário uma seqüência, mas vamos ver como a autora vai levar essa historia

  2. gostei muito da resenha, eu ja tava curiosa pra lê-lo, agora estou ainda mais. ^^

  3. Bruna Fernández

    Obrigada, Thaise! :)
    O livro é uma delícia, apesar de ainda não ter tido tempo de terminar de ler a série super recomendo a leitura de Métrica!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*