quarta-feira, 18/10/2017
Últimas do LeS:
Capa » Resenhas de Série » Resenha: “Gelo Negro”, de Andrew Lane

Resenha: “Gelo Negro”, de Andrew Lane

Livro: Gelo Negro
Série: Jovem Sherlock Holmes, O
Autor: Andrew Lane
Editora: Intrínseca
Páginas: 320
Resenha por: Bruna
Compre: Saraiva Submarino Cultura Americanas Travessa

Quando o irmão de Sherlock é surpreendido com uma faca nas mãos, debruçado sobre um cadáver, todas as evidências indicam que se trata de um assassinato. Mas o garoto não acredita nisso, e sua natureza inquieta não o permitirá deixar de lado a oportunidade de investigar o caso a fundo — especialmente porque dessa vez não é apenas a solução de um mistério que está em jogo. Caso a verdade não venha à tona, Mycroft será condenado à forca. Em uma eletrizante busca por provas, Sherlock irá mais longe do que jamais foi, até a distante Moscou. Para salvar Mycroft, ele precisa deduzir a identidade do verdadeiro criminoso, mas as dúvidas são muitas. E os perigos também.

Com uma ideia mirabolantemente original, Andrew Lane dá continuação às aventuras do jovem Sherlock Holmes. O terceiro livro da série, Gelo Negro, começa com o irmão mais velho de Sherlock, Mycroft, em maus lençóis. Ele é encontrado em uma sala completamente fechada fora a porta de entrada, segurando uma faca ensanguentada nas mãos, com um cadáver. Mycroft não se lembra de nada do que aconteceu após receber o homem que agora jaz morto. Sherlock se recusa a acreditar que seu irmão é o culpado do crime e, para poder inocentá-lo, ele e o irmão viajam para Moscou, na Rússia.

“Viajar engrandece a mente.” – pg. 148

O aprendizado com seu tutor Amyus Crowe continua. Sherlock está a cada livro com a sua percepção e sua inteligência mais afiadas do que no anterior. Gelo Negro, inclusive, é um livro muito mais voltado ao raciocínio do que ao esforço físico. Claro, ainda existem cenas de fuga e ação que dão ritmo ao livro, mas em uma dose menor do que nas histórias anteriores.

O que mais me impressiona nos livros de Andrew Lane é quantidade maciça de pesquisas realizadas pelo autor para criar as suas histórias. Ao final de cada livro há uma relação de notas históricas em que o autor descreve o que realmente foi pautado em fatos reais e o que é puramente ficção. Lane se mostra, mais uma vez, um ótimo escritor fazendo juz ao personagem icônico de Sherlock Holmes, e, felizmente não acaba caindo no clichê dos americanos ao abordar o povo russo.

Uma curiosa e agradável supresa foi o retorno do personagem de Rufus Stone, o professor de violino que o jovem conheceu no navio quando estava indo para a América. O elenco jovem da série, Matt Arnatt e Virginia Crowe, também aparecem, porém mais brevemente do que nos outros livros. Esse volume foca muito mais em Mycroft Holmes.

“Confesso que quero saber qual é o real estado da situação. Não gosto de incerteza. É como ter uma dor de dente irritante.” – pg. 145

Sobre Bru Fernández

Formada em Letras, trabalha como Revisora e Tradutora em uma agência publicitária e preenche suas horas vagas assistindo a seriados, filmes e partidas de futebol, vôlei, basquete e ice hockey, além de ouvir música, ir a shows e, claro, ler. Não curte chick-lits e prefere os thrillers, policiais, YA e fantasia. Nunca sai de casa sem guarda-chuva e um livro na bolsa, afinal nunca se sabe quando irá chover ou surgir uma fila/trânsito em São Paulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*