sábado, 14/10/2017
Últimas do LeS:
Capa » Resenhas Fora de Série » Resenha: “Wayne de Gotham”, de Tracy Hickman

Resenha: “Wayne de Gotham”, de Tracy Hickman

Livro: Wayne de Gotham
Autores: Tracy Hickman
Páginas: 270
Editora: Fantasy/Casa da Palavra
Resenha por: Bruna
Comprar: Saraiva Submarino Cultura Fnac Extra

Por trás de toda máscara existe um homem de verdade. Ainda criança, Bruce Wayne testemunha o assassinato dos pais – e o mistério sobre o motivo o impulsiona a fazer uma busca pelo seu passado.

É quando descobre um diário secreto de seu pai Thomas, um médico rebelde que parece finalmente revelar o seu lado obscuro. Sua identidade é seriamente abalada quando um convidado levanta, inesperadamente, questões sobre o evento que acabou com a vida de sua amada mãe e seu admirável pai – caso que provocou para sempre sua vontade insaciável de proteção e vingança. Para descobrir a história real da família, Batman precisa confrontar o antigo inimigo, como o perverso Coringa, seu próprio mordomo Alfred, além do passado que assombra o asilo Arkham, para assumir o novo fardo de um legado sombrio. Muito mais próximo dos filmes de Burton e Christopher Nolan e das HQs de Frank Miller do que dos seriados de TV dos anos 1960 e dos outros quadrinhos. Um olhar imaginativo sobre o lado humano de um super-herói icônico.

2013 foi um ano literário muito bom para fãs dos heróis da DC. Primeiro a Fantasy lançou um livro que conta a história de “Os últimos dias de Krypton” e depois, um livro sobre o homem morcego. Ambos com um trabalho editorial incrível e super bem feito. Mas isso não é novidade e nem diferente dos outros livros lançados pela editora, não é mesmo? Minha única reclamação quanto a isso foram a quantidades de erros que passaram pela revisão. Com um lançamento por mês, dá pra caprichar mais hein galera!

“Uma pessoa vaga Sr. Grayson. – retrucou Amanda – Duas pessoas estão sempre indo para algum lugar.” – pg. 93

Em Wayne de Gotham nós aprendemos um pouco mais sobre o passado (sombrio) da família Wayne. Não acompanho os quadrinhos, mas assisto a todas adaptações para o cinema e vi muita gente falando que o livro foi super fiel ao mundo do personagem, respeitando regras e linhas temporais. Falando em tempo, o livro tem duas linhas temporais entrelaçadas: alguns momentos estamos no presente, seguindo um não-tão-jovem Bruce Wayne em sua busca pela verdade; e em outros estamos acompanhando acontecimentos passados, registrados em um diário secreto de Thomas Wayne. Esse detalhe dá um toque diferente ao livro que é repleto de cenas rápidas e com muitas lutas. Durante a minha leitura me senti o tempo todo dentro do universo de Batman, o texto de Tracy é sombrio e surreal, instigando a imaginação do leitor.

Ao investigar a morte dos pais, Bruce acaba se enfiando em poço aparentemente sem fundo e a imagem que ele tem dos pais acaba sendo, de certa forma, destruída. Thomas Wayne tem um passado tão sombrio quanto o de seu filho. Outro ponto interessante é ver como cada vez mais Bruce depende da tecnologia, com a idade chegando. O livro está recheado de reviravoltas que pegam o leitor desprevenido, o que deixa a leitura ainda mais prazerosa, nada melhor que uma história com a capacidade de nos surpreender, não é mesmo?

“A verdade pode ser uma fera terrível, jovem Bruce.”

O ponto alto da leitura, pelo menos para mim, foi a participação do meu vilão favorito: Coringa. A lógica maluca que existe na mente perversa, psicopata e sádica do Coringa o transforma num personagem pra lá de curioso e interessante. As cenas em que ele está presente são as melhores, e claro, as mais cheias de ação.

Resumindo: se você é fã do Batman, você PRECISA ler esse livro. Sério, levanta da cadeira agora e vai comprar seu exemplar. Tá esperando o quê?


Aviso Legal: Esse livro foi cedido pela editora responsável pela publicação no Brasil como cortesia para o Livros em Série.

Sobre Bru Fernández

Formada em Letras, trabalha como Revisora e Tradutora em uma agência publicitária e preenche suas horas vagas assistindo a seriados, filmes e partidas de futebol, vôlei, basquete e ice hockey, além de ouvir música, ir a shows e, claro, ler. Não curte chick-lits e prefere os thrillers, policiais, YA e fantasia. Nunca sai de casa sem guarda-chuva e um livro na bolsa, afinal nunca se sabe quando irá chover ou surgir uma fila/trânsito em São Paulo.

Um comentário

  1. Parece ser bom, vou procurar hehe

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*