sexta-feira, 20/10/2017
Últimas do LeS:
Capa » Resenhas Fora de Série » Resenha: “As crônicas marcianas”, de Ray Bradbury

Resenha: “As crônicas marcianas”, de Ray Bradbury

Livro: As Crônicas Marcianas
Autor: Ray Bradbury
Páginas: 296
Editora: Biblioteca Azul
Resenha por: Gui Ferreira
Comprar: Saraiva Cultura Submarino Travessa Folha

As Crônicas Marcianas descrevem a chegada e posterior conquista de Marte pelos colonos terráqueos. Bradbury lançou os contos em separado desde 1942, em forma de pulps. Ao reuni-los nas Crônicas Marcianas, ele faz uma crítica ao grande medo da época (década de 50), a Guerra Nuclear, críticando também as forças políticas antagônicas da época, em plena Guerra Fria.

Contos são complicados. Como alguém que já leu toneladas deles, e escreveu uma meia-dúzia, acho que posso afirmar isso. Eles são como amores de uma noite: breves, conquistam, dizem o que têm para dizer e depois vão embora. Malditos contos apaixonantes.

Eles também são ótimos companheiros de viagem. Os melhores. Você pode sentar na poltrona, relaxar e deixar que eles contem suas histórias, geralmente tão fascinantes que a hora passa num virar de páginas. Por esse motivo, o meu lugar favorito para ler um livro de contos ou crônicas é no ônibus, durante as duas ou três horas da minha cidade natal até São Paulo. Pensei que seria assim com As Crônicas Marcianas, de Ray Bradbury. Bom, eu estava errado.

A culpa – ou melhor: o mérito – é da escrita de Bradbury. Eu nunca tinha lido nada dele, (assisti Fahrenheit 451, mas nunca peguei no livro, admito com vergonha) e me surpreendi. Ao invés de guardar As Crônicas Marcianas como um companheiro para matar as horas de viagem, fiz da obra meu melhor amigo durante os 3 dias que levei para ler tudo.

A narrativa de Bradbury é fascinante. Misteriosa, ela te conquista enquanto enche sua cabeça de pontos de interrogação. Há enigma em cada página, questões a serem respondidas a cada linha, até o clímax. É difícil algum conto não arrancar uma exclamação de surpresa, compreendimento e, algumas vezes, acabar de uma forma que enche sua mente de ainda mais perguntas. Esses últimos são os meus preferidos. Fazem a gente refletir. Num mundo cheio de obras rasas, mergulhar de cabeça numa leitura profunda é um prazer que deve ser aproveitado.

Bradbury usa a ficção científica da viagem à Marte para criar uma crítica à sociedade. Nem todo crescimento tecnológico do mundo – seja na ficção ou na realidade – é capaz de apagar a essência da raça humana. Racista, conflituosa, preconceituosa, a humanidade continua a mesma: tem os pés em outro planeta mas ainda possui os olhos voltados para o próprio umbigo. E não estou falando de uma crítica chata e pesada. Tudo é muito bem entrelaçado, interessante e divertido, além de mostrar a vida alienígena de uma forma inédita e curiosa.

De uma forma geral, As Crônicas Marcianas é uma impressionante. E diferente de tudo o que você já leu. Cada conto passa sua mensagem, sua história, impõe suas perguntas e verdades e ainda consegue deixar espaço para uma grande reflexão. É marcante e vai deixar você acordado à noite, pensando na história. Se esses não são motivos suficientes para você pegar no livro, então leia pela diversão que ele proporciona.

De qualquer forma, é sempre bom quando companheiros de viagem acabam virando melhores amigos. Mesmo que sejam alienígenas.


Aviso Legal: Esse livro foi cedido pela editora responsável pela publicação no Brasil como cortesia para o Livros em Série.

Sobre Guilherme

Nasceu no Condado de Roseira e foi se perder na cidade grande de São Paulo, onde cursa o terceiro ano de Publicidade e Propaganda na Faculdade de Comunicação Cásper Líbero. Viciado em séries, música e livros, prefere passar uma noite de sábado lendo "Sob a Redoma" do que sair para balada. Escreveu um livro que - se tudo sair como deve - será publicado ainda esse ano, talvez em agosto. Vai que dá certo e ele vira um escritor famoso, né.

Um comentário

  1. Larissa Alves

    Olá,boa noite!!!
    Tinha dado uma pausa nas minhas leituras, mas voltei novamente agora no recesso que tive e espero continuar.Li alguns livros e entre eles foi esse de Brad (me sentindo íntima já kkkk),sou muito eclética, mas gosto muito de ficção e essa leitura foi fantástica.Concordo com você,é uma obra que proporciona muitas reflexões, me proporcionou também sonho/pesadelo com esse livro (kkkkk).Espero desfrutar de outras obras dele futuramente (sem pressa).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*