quarta-feira, 18/10/2017
Últimas do LeS:
Capa » Resenhas de Série » Resenha: “Tabuleiro dos Deuses”, de Richelle Mead

Resenha: “Tabuleiro dos Deuses”, de Richelle Mead

Livro: Tabuleiro dos Deuses
Série: Era de X, A
Autor: Richelle Mead
Editora: Paralela
Páginas: 424
Resenha por: Bruna
Comprar: Saraiva Submarino Cultura Travessa Folha

Justin March, um investigador de religiões charmoso e traiçoeiro, volta para a República Unida da América do Norte (RANU), após um misterioso exílio. Sua missão é encontrar os responsáveis por uma série de assassinatos relacionados com seitas clandestinas. Sua guarda-costas, Mae Koskinen, é linda, mas fatal. Membro da tropa de elite do exército, ela irá acompanhar e proteger Justin nessa caçada. Aos poucos, os dois descobrem que humanos são meras peças no tabuleiro de poderes inimagináveis.

Curiosamente eu nunca tinha lido nada da autora até esse livro cair nas minhas mãos. Li umas resenhas de leitores americanos sobre essa obra e as opiniões eram bem distintas: alguns fãs da autora acharam que ela errou terrivelmente ao começar essa série e outros simplesmente amaram. Decidi me livrar de todo e qualquer preconceito e encarar a leitura com imparcialidade; e posso afirmar que a Richelle me conquistou logo nas primeiras páginas dessa intrincada história.

Nesse novo universo criado cuidadosamente pela autora, metade da população da Terra foi dizimada pelo vírus Mefistófeles. Pessoas com ascendência genética mais diversa têm maior resistência ao vírus e à doença por ele causada: o Caim, que causa danos na pele e nos cabelos, baixa fertilidade e asma. Uma vacina foi criada 50 anos depois pela RANU (República da América do Norte Unida) e praticamente erradicou o vírus. Esses 50 anos em que o vírus se espalhou ficou conhecido como a Era do Declínio, o período logo após se tornou a Era da Renovação, com a reconstrução da sociedade gemana.

Os personagens principais dessa história são Mae Koskinen, uma belíssima e fatal pretoriana – supersoldado da RANU, que possui um pequeno implante nos braços que aumenta os neurotransmissores produzidos pelo corpo, aperfeiçoando as capacidades dos soldados – que é designada para ser a guarda-costas de Justin March, um galanteador traiçoeiro que é investigador de grupos religiosos que foi misteriosamente exilado e agora é chamado de volta para a RANU para investigar assassinatos intrigantes que ninguém mais consegue desvendar. O mais legal desse personagem além do seu charme cafajeste? Ele “tem” dois corvos que conversam com ele na sua mente. Claro que Mae e Justin acabam se relacionando, mas não espere cenas melosas, ou que o romance domine de forma derradeira a narrativa; a dinâmica dos dois vai além.

Pela minha resenha já dá pra perceber a quantidade de palavras novas e desconhecidas que a autora usou para criar esse novo universo para a sua série, né? O livro contém uma avalanche de informações – e vem até com um glossário pra ajudar, obrigada editora Paralela! – mas eu não vi isso como um ponto ruim, pelo contrário: a autora conseguiu criar um cenário completo e muito original e esse primeiro volume tem a função de situar o leitor, nos familiarizar com esses jargões e com a forma que esse universo funciona e entender as relações e propósitos dos personagens. Dá para perceber o cuidado que a autora teve com a sua criação em cada detalhe da história e isso, pra mim, foi revigorante. Nada como um enredo bem construído, não é mesmo?

Além da variação genética e os problemas com o Caim, o tema mais abordado no livro são as religiões. Na RANU, a única religião apoiada pelo governo é a Igreja da Humanidade, que possui templos e padres, mas não há nenhuma entidade divina adorada. As outras pequenas religiões espalhadas pelo território da RANU precisam de uma licença para existir – o trabalho de Justin é exatamente esse: licenciar e investigar esses grupos, mas a maioria das pessoas não acredita em nenhum poder superior.

“(…) Você conhece a Constituição Gemana? – Não, claro que não. – A crença em entidades fictícias é uma ameaça à estrutura social e, portanto, deve ser examinada e regulada para o bem de todos os cidadãos.” – p. 24

Se você se sentiu interessado, ou pelo menos curioso, por dê uma chance ao livro. Essa resenha não aborda nem 30% do que é realmente a história de Tabuleiro dos Deuses e com certeza você vai se surpreender com essa história deliciosa cheia de mistérios e deuses tentando manipular pessoas em um mundo que não crê mais neles.


Aviso Legal: Esse livro foi cedido pela editora responsável pela publicação no Brasil como cortesia para o Livros em Série.

Sobre Bru Fernández

Formada em Letras, trabalha como Revisora e Tradutora em uma agência publicitária e preenche suas horas vagas assistindo a seriados, filmes e partidas de futebol, vôlei, basquete e ice hockey, além de ouvir música, ir a shows e, claro, ler. Não curte chick-lits e prefere os thrillers, policiais, YA e fantasia. Nunca sai de casa sem guarda-chuva e um livro na bolsa, afinal nunca se sabe quando irá chover ou surgir uma fila/trânsito em São Paulo.

9 comentários

  1. Sabe quantos livros irão compor essa série, Bruna?

  2. adorei esse livro, estou ansiosa pelo próximo. alguém sabe qdo vai sair?

  3. Regina Nunes

    Meninas eu amo os livros da Richelle Mead; porém não vou comprar porque os livros dela são boicotados aqui no Brasil. Filha da Tempestade somente lançou o 1 vol (total 4) e academia de vampiros quase parou no 5 vol.

  4. Bruna Fernández

    Olha Regina, nunca li as outras séries dela e não sei muito bem o que aconteceu com as editoras que publicaram essas séries. Entretanto, não acredito que a Seguinte ia investir em uma nova série e deixar ela só com metade publicada, não há precedentes na editora e por ser uma série nova (o segundo livro ainda nem saiu lá) acredito que isso não vai ocorrer com essa série. O livro é realmente muito bom, não perca a oportunidade de conhecer essa história!

  5. Bruna, amei a resenha, sou mega fã da Queen Mead, ela lança tantos livros num intervalo curto de tempo e nunca te decepciona. <3 Esse me pegou de surpresa, achei meio complexo no começo, mas amo as personalidades que Richelle cria, o cenário todo é tão fabuloso que só podia sair de uma mente brilhante!

  6. Bruna Fernández

    Obrigada Suzane!!! :)

    Eu nunca tinha lido nada da autora e, realmente, o começo foi um pouco avassalador a quantidade de informações… mas depois que você internaliza o mundo que ela criou, é só felicidade! Gostei muito e estou super ansiosa pela continuação!!!

  7. Gostei da sua review, me deixou curiosa. Eu também já ouvi tantas coisas diferentes sobre esse livro. Uns amam e outros odeiam. Os que odeiam dizem que faltou consistência na história. O que me deixou surpresa pq a Richelle é tão boa nos diferentes mundos que ela cria as histórias dela.
    Eu vou ler pq tb quero tirar a prova dos 9. Mas acho q vou esperar sair o 3º, pra poder mergulhar na história direito e principalmente sem precisar esperar o que é mto chato né!? Apesar de que ela ainda não estabeleceu o número de livros nessa série. Gostaria que fosse menor. As séries dela são mto grandes… A maioria com 6 livros… leva anos pra acabar, sendo que é só 1 por ano. Agora, o 2º livro teve uma impressão geral melhor do que o 1º lá nos EUA. Pelo visto, a série começou a ganhar forma…

  8. Eu tive o imenso prazer de ler este livro, e realmente a história é muito boa. Não sei sobre outras séries da autora, mas este livro é um daqueles que dá vontade de que tenha mais por vir…. aliás, tem continuação?

  9. Bruna Fernández

    Oi Valkiria! Sim, esse livro é o primeiro de uma trilogia ;)

    O segundo livro já saiu lá fora mas ainda não há previsão de lançamento por aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*