sábado, 14/10/2017
Últimas do LeS:
Capa » Resenhas de Série » Resenha: “Laços de sangue”, de Richelle Mead

Resenha: “Laços de sangue”, de Richelle Mead

Laços de SangueLivro: Laços de Sangue
Série: Bloodlines
Autora: Richelle Mead
Editora: Seguinte
Páginas: 430
Resenha por: Nina
Comprar: Saraiva Submarino Fnac Folha Cultura Travessa

Sydney estava encrencada. Em sua última missão, ela tinha ajudado a dampira Rose Hathaway a escapar da prisão, e essa aliança foi considerada uma traição grave, já que vampiros e dampiros são criaturas terríveis e antinaturais, ameaças àqueles que os alquimistas devem proteger – os humanos. Com sua lealdade colocada em questão, Sydney se sente obrigada a voluntariar-se para uma tarefa nada agradável – ajudar a esconder Jill Dragomir, uma princesa vampira que está sendo perseguida por rebeldes que querem o poder. Caso ela seja capturada e assassinada, a rainha Lissa ficará sem nenhum parente vivo e, como manda a lei, terá de abdicar do trono – o que culminará numa guerra civil tão sangrenta no mundo dos vampiros que certamente afetará a humanidade.

Assim, pelo bem dos humanos, Sydney aceita se disfarçar de estudante e passa a conviver diariamente com Jill e seu guardião Eddie, quando os três são matriculados como irmãos no último lugar em que qualquer um procuraria a realeza dos vampiros – a Escola Preparatória Amberwood, em Palm Springs, na Califórnia. Mas entre uma pizza e outra, entre um jogo de minigolfe e uma conversa sobre garotos, ela começa a ter a sensação de que talvez esses seres estranhos não sejam tão maus assim, principalmente Adrian, um vampiro muito próximo de Jill que desperta os sentimentos mais contraditórios – e proibidos – em Sydney…

O problema é que além de refletir sobre suas convicções e se preocupar com o seu coração, que anda acelerando mais do que deveria, a garota terá de encarar outros inconvenientes um pouco mais graves, como as tatuagens que viraram febre entre os alunos da escola e que parecem conferir poderes sobrenaturais a quem as usa. De que ingredientes elas eram feitas? Quem estaria por trás disso? Será que havia algum alquimista traidor entre eles? Caberá a Sidney resolver todos esses mistérios e garantir a paz entre os humanos antes que seja tarde demais.

Antes de começar a resenha, já leu a série Academia de Vampiros? Não? Então corre pra ler antes de ler a resenha desse livro, porque senão, vai ficar bem perdido na história!

A vida de Sydney Sage está bem complicada:para provar que é leal aos alquimistas (entidade designada a proteger os humanos dos vampiros), ela tem que cuidar nada menos que de uma vampira adolescente da realeza dos Moroi. Pouco? Melhora ao dizer que, apesar de ser sim leal aos seus princípios, ela acredita que alguns vampiros não são tão ruins assim.

Alguns dos personagens são velhos conhecidos dos fãs de Academia de Vampiros, e por isso, dispensam apresentações. O fato é que quem nunca leu a série e se aventura no spin-off, acaba ficando perdido ao tentar entender a dinâmica que envolve os Moroi e a família real; seus protetores, os dampiros; e seus inimigos, os Strigoi. Acredito que o objetivo da autora fosse mesmo buscar os mesmos leitores de Academia de Vampiros, caso contrário, o livro traria mais explicações sobre os fatos que culminam na ida de Sydney à Palm Strings e sua missão de proteger Jill.

O enredo assim tem mil aventuras. Não se trata apenas de proteger Jill de todos os seus possíveis inimigos e proteger sua identidade dos demais humanos da Escola Preparatória Amberwood. Sydney ainda tem que descobrir o esquema por trás das tatuagens prateadas e acobreadas de alguns estudantes, além da denúncia de um Moroi sobre o fato de sua sobrinha ter sido assassinada por caçadores de vampiro. Demais para uma heroína? Acho que não, porque Sydney ainda se oferece como assistente de pesquisa para sua professora de história – em troca de créditos, que ela queria muito conseguir usar para cursar uma universidade.

Entre os conflitos sobre a forma como foi criada e costurada torna a trama extremamente dinâmica. A maioria das resenhas que eu li antes de ler o livro dizia que era impossível parar de ler. E eu posso afirmar pra vocês que a leitura é fácil, descomplicada e a autora consegue ser muito clara, concisa. E quando você para pra respirar, o livro já acabou e você fica pedindo mais.

Ainda que você não tenha lido a série que originou esse spin-off, não precisa ter medo de boiar. Algumas coisas você acaba pegando com o desenvolvimento, algumas explicações pela metade – e você consegue fazer o resto ter um sentido. Se aventurem, e esperem grandes coisas de Sydney Sage.


Aviso Legal: Esse livro foi cedido pela editora responsável pela publicação no Brasil como cortesia para o Livros em Série.

Sobre Nina Lima

Poderia ser qualquer outra coisa, mas resolveu ser turismóloga e apaixonada pela Inglaterra e pelo McFLY. Leu a trilogia Jogos Vorazes em três dias e amou; considera Harry Potter a melhor série do mundo, adora a escrita da Meg Cabot e topa qualquer YA Book.

5 comentários

  1. Juliana de Oliveira silva

    Richelle é muito dia! AMo VA e Bloodlines foi um presente para os fãs!

    http://loucasporlivros.blogspot.com.br/

  2. mayara barcelos

    Já li os três que consegui traduzidos, adorei mas ainda prefiro V.A.

  3. Gostei, parece que é um livro sobre vampiros diferente dos que vemos atualmente, né? Interessante. Adoro vampiros Vou procurar a série pra começar a ler.

  4. Kris Monneska,o livro é bem diferente dos que se veem hoje,é muito interessante,pode apostar!!!!!!!!

  5. S2hhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*