sábado, 28/05/2022
Últimas do LeS:
Capa » Resenhas Fora de Série » Crítica de filme: “Divergente”

Crítica de filme: “Divergente”

Vou ser sincera com vocês, não li os livros da série e quando vi o trailer pela primeira vez não me empolguei muito. Eu sei, você está me xingando agora mas fazer o que? É a realidade. Confesso que estava tão vidrada com Em Chamas que achei que nada que ao menos lembrasse um pouco ele pudesse ser mais legal. Eu sei, eu sei, agora percebi que fui cabeça dura e que uma coisa não tem nada a ver com a outra, mas fazer o quê? O que posso falar para melhor a minha situação com vocês é: ainda bem que me mandaram ver esse filme! Eu fiquei completamente apaixonada por ele.

Eu já deveria imaginar, era só parar para pensar um pouco. Quando que Kate Winslet faz um filme ruim? Nunca! Ela é diva, não ia errar logo nesse, né?! E não errou! Ela estava brilhante e pela primeira vez na vida eu tive vontade de pegar ela pelos cabelos e esfregar a cara dela no asfalto. Esse Jeanine é muito irritante, né?! Fora a Kate, não conhecia quase nenhum dos outros atores e fiquei feliz com o nível da interpretação deles. Inclusive o da filha do Lenny Kravitz que bombou que nem o papai em Jogos Vorazes.

Vou reservar um paragrafo inteiro, porém, à Shailene que ganhou meu coração como Tris. Todo livro que tem como personagem principal uma garota que se mete em uma enrascada deveria ser assim, com uma personagem tão incrível como a Tris é. E todo filme que é adaptação deveria selecionar uma atriz tão incrível quanto a Shailene para esse papel, afinal, elas que acabam tornando o filme um sucesso ou um fracasso, você não concordam? Consigo pensar aqui em duas adaptações que tinham até que tudo para dar certo mas que a personagem principal não segura as pontas e aquele personagem que você ama tanto ler nos livros acaba virando a pessoa mais irritante da universo. Isso não acontece em Divergente. Mesmo sem ter conhecido a Tris dos livros, posso garantir que essa das telonas é fantástica e você vai querer entrar para o grupo de amigos dela de tão legal que ela é.

Tá, tá… a mulherada quer saber do galã?! Ok, eu falo dele vai! Quando vi o Quatro pela primeira vez eu pensei: ‘Oi? Esse é o galã da história? Que meia boca!’, e quando apareceu o Eric eu pensei: ‘Ai sim!’. Mas, como todo bom ator deveria fazer, acabei mudando de ideia rapidinho. Em questão de segundos o irritante, porém bonitão, começou a me tirar do sério, e o galã meia boca ganhou meu coração. Já quero um Quatro na minha vida, pode encomendar Paris Filmes!

O filme é muito legal, de verdade. Já fiz a maior propaganda dele para todos os amigos que leram os livros, assim como para todos que não fazem ideia do que seja Divergente. As cenas vão acontecendo rápido, o que prende a sua atenção, porém, você não se perde na história se, mesmo como eu, não a conhece direito. E se, ao contrário, você conhece a história de cabo a rabo, não se preocupe! Alguns fãs fanáticos que dividiram comigo essa experiência disseram que apesar dos fatos acontecerem super rápido, o filme é muito fiel ao livro. Todos saem ganhando assim, né?! Nota 10 para a adaptação se depender de mim e de quem estava lá comigo. Ela tem que ser fiel ao livro mas também tem que se encaixar aos moldes do cinema, ser um filme vendável e interessante para os que não leram os livros.

A Paris Filmes ainda trouxe de lambuja as roupas usadas pelos personagens! Amorzinho mil para eles né?! Até mesmo porque as roupas do filme são incríveis.

Conclusão, corre para ir assistir! Ah… e Hollywood, já pode fazer um filme com Jennifer Lawrence e Shailene Woodley juntas.

Sobre Karol

Atriz ruiva tão viciada em Shakespeare que foi até parar lá no palco do Globe Theatre de Londres de tanto que encheu o saco! Sem papas na língua,que sempre dá preferência a livros históricos e com culturas diferentes. Não leu Harry Potter ou Senhor dos Anéis, jogou Crepúsculo longe no meio do segundo livro mas é capaz de devorar qualquer livro que contenha um rei, um indiano ou um espírito no meio. Estranha, usa personagens românticos como referencia quando briga com o namorado, transforma tudo em um drama histórico e deseja silenciosamente transformar todos os livros que lê em filme.

3 comentários

  1. Oi flor,
    Li o livro e realmente estou com um pouco de medo de assistir ao filme mas espero que como você eu não me decepcione. rsrs
    Beijos

  2. ana clayde xaviHAer

    Eu gosto muito de divergente, li o primeiro livro e gosto de outras séries também mas nenhuma nunca vai ganhar de Harry Potter.
    Argumentos: 1- Magia -> Simplesmente a joane (somos íntimas ;p) criou um universo com suas letras e sua criatividade, com monstros, seres diferente, feitiços etc.
    2- Amor-> Ela invés de de criar as besteiras de Shakespeare de amor pra vida toda, criou um laço muito mais bonito: amor de mãe, capaz de salvar uma criança da morte.
    3- Criatividade: essa mulher simplesmente, pra mim, criou 6 histórias diferentes mas com um tema central e todas essas histórias tem muita criatividade e além de ser ligadas ao tema central elas são interligadas entra si.

    Então eu recomento você (Karol) a ler Harry Potter até o fim. Não vai se arrepender.

  3. Olá!
    Eu li todos os três livros da trilogia e posso dizer que amei, pois foi uma leitura surpreendente e eletrizante a cada página, eu cheguei a sonhar com a continuação do que estava lendo… rs
    Eu ainda não vi o filme, mas estou muito ansiosa pra ver, sou muito fã da Kate Winslet, amo os filmes que ela faz. Os outros personagens eu também não conheço, mas quando li a estória, principalmente o Quatro e o Eric se encaixaram bem no que imaginei, somente a Tris pra mim ficou um pouco fora, imaginei ela mais loira e mais franzina, mas apesar disso a Shailene me parece uma Tris muito fiel a personalidade do livro, pelo menos é o que me pareceu nos trailers que eu vi.
    Beijos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Livros em Série