quinta-feira, 12/10/2017
Últimas do LeS:
Capa » Resenhas de Série » Resenha: “De repente, o amor”, de Susan Fox

Resenha: “De repente, o amor”, de Susan Fox

Livro: De repente, o amor
Série: Wild Ride To Love
Autora: Susan Fox
Páginas: 366
Editora: Única
Resenha por: Bruna Fernández
Comprar: Saraiva Submarino Cultura Americanas

Aos trinta e um anos, a sorte de Kat Fallon com os homens já se mostrou longe de ser algo positivo. Mas quando ela convida seu melhor amigo e vizinho Nav Bharani para ser seu par no casamento de sua irmã mais nova em Vancouver, ela não imagina que está para embarcar na maior surpresa de sua vida…

Nav é apaixonado por Kat desde que ela se tornou sua vizinha, e quando ela diz para ele que adora viagens de trem, principalmente pela possibilidade de “conhecer” estranhos, Nav bola um plano para ganhar o coração de Kat. Em cada parada do trem durante a viagem ele aparecerá disfarçado como “um desconhecido sexy”. Kat cai nesta brincadeira sensual, mas o que começa como uma simples diversão transforma-se em algo mais denso e Kat se vê em dúvida se permanece em suas fantasias sexuais de solteira ou investe no seu par perfeito. Sexy, divertido, intrigante…

Não sabia muito bem o que esperar de De repente, o amor quando o livro caiu nas minhas mãos para resenhá-lo. Não li muitos livros do gênero e confesso que foi uma agradável supresa topar com uma história bem escrita e fluída da qual facilmente conseguia ler páginas e páginas sem me importar com o tempo passado.

Esse é o primeiro livro da série Wild Ride To Love e centra sua história nos personagens de Kat Fallon e Naveen Bharani. Eles são vizinhos há um bom tempo no começo do livro e Kat trabalha como diretora de relações públicas de um hotel, tem 31 anos, e está sempre se “apaixonando” pelo cara errado. E ela tem um padrão: geralmente são homens com posições sociais super interessantes (roteirista, ator, atleta…) e isso me incomodou um pouco. Ficou meio óbvio que mesmo no auge dos seus 30 anos a personagem estava apenas procurando relacionamentos que seriam bem vistos pela sociedade/sua família. Já o seu vizinho Nav é indiano, fotógrafo e filho único. Tem um jeitão todo despojado de ser, não liga pra dinheiro e se afastou da família por não querer seguir a carreira que os pais queriam e também por não querer um casamento arranjado. Ah claro, ele é completamente apaixonado pela vizinha Kat, mas ela nunca lhe deu bola, simplesmente por achar que ele é um garanhão.

Mas eis que surge a oportunidade perfeita: a irmã mais nova de Kat vai se casar e ela pede a Nav que seja seu par no casamento, que será realizado em Vancouver. Ele, claro, aceita e decide surpreender a vizinha durante a viagem de trem que ela faz para ir até a cidade. Nessa parte que o livro tomou um rumo interessante e saiu do clichê: Nav decide mudar radicalmente sua aparência e agir como um desconhecido, já que Kat parece tão encantada com a ideia de conhecer estranhos incríveis em uma viagem sob trilhos.

Kat se surpreende com o “jogo” do amigo e acaba entrando na brincadeira, a fim de conhecer melhor Naveen através de seus alter-egos. Com o passar das páginas aprendemos mais sobre ele e, incrivelmente, Kat também. Apesar de terem uma amizade de mais de 3 anos, ela praticamente não sabe nada sobre o amigo/vizinho. A autora consegue mesclar a história com as cenas de sexo muito bem e com coerência, sem deixar o livro com cenas picantes jogadas ao vento.

Pra quem gosta ou tem curiosidade sobre a cultura indiana, o livro é um prato cheio, pois Naveen fala muito sobre a cultura de seu país o tempo todo. Só achei a história muito bem fechada nesse livro para se tratar de uma série e não conseguia imaginar o que a autora tinha preparado para o segundo, até descobrir que cada volume conta a história de uma das irmãs Fallon. Então, com a história de Kat contada, é a vez de sabermos mais sobre uma de suas irmãs, Jenna, no segundo volume da série: De repente, é ele.


Aviso Legal: Esse livro foi cedido pela editora responsável pela publicação no Brasil como cortesia para o Livros em Série.

Sobre Bru Fernández

Formada em Letras, trabalha como Revisora e Tradutora em uma agência publicitária e preenche suas horas vagas assistindo a seriados, filmes e partidas de futebol, vôlei, basquete e ice hockey, além de ouvir música, ir a shows e, claro, ler. Não curte chick-lits e prefere os thrillers, policiais, YA e fantasia. Nunca sai de casa sem guarda-chuva e um livro na bolsa, afinal nunca se sabe quando irá chover ou surgir uma fila/trânsito em São Paulo.

5 comentários

  1. MARYNHA DANTAS

    ótima sua resenha , vou dar de presente a uma amiga e não sabia se valeria a pena. Acho que é uma boa serie então. Nao gosto que exagerem e depois a gente se decepciona. Parabéns.

  2. Bruna Fernández

    Obrigada, Marynha!

    Espero que sua amiga curta o presente ;)
    Bjs

  3. Achei a narrativa do livro péssima!
    Continuo lendo, espero que a impressão passe!

  4. Talilta Andrade

    Achei mto enrolado para 364 páginas. O livro todo trata de uma semana dentro de um trem. Mesmo cenário… Mto monótono!

  5. Oiie Bruna
    esse livro é na verdade o segundo volume!!!
    A sequência da serie é:
    De repente, o destino
    De repente, o amor
    De repente, é ele
    De repente, o desejo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*