sexta-feira, 20/10/2017
Últimas do LeS:
Capa » Resenhas de Série » Resenha: “Requiem”, de Lauren Oliver

Resenha: “Requiem”, de Lauren Oliver


Livro: Réquiem
Série: Delírio
Autora: Lauren Oliver
Editora: Intrínseca
Páginas: 303
Resenha por: Karol
Comprar: Saraiva Cultura Fnac Travessa Folha

Achavam que amar era algo sublime. Mas isso foi antes de encontrarem a cura. Talvez nossos sentimentos nos enlouqueçam. Talvez o amor seja mesmo uma doença, e ficaríamos melhores se ele. Mas escolhemos um caminho diferente. E, no fim das contas, este é o motivo para fugirmos da cura: somos livres para escolher. Somos livres inclusive para escolher o que é errado.

ATENÇÃO! Esse livro não é o primeiro da série e a resenha pode conter spoilers! Confira nossas resenhas anteriores dessa série, clicando na capa desejada:

Vocês estão lembrados da resenha de ‘Pandemônio’, o segundo livro dessa saga?! Se não, não se preocupe, eu lembro aqui o fato importante: eu queria jogar o livro na parede mas, na segunda metade do livro eu resolvi não jogar e amar o livrinho. Pois bem, relembrados seguimos com a resenha do terceiro, e último livro da série, ‘Réquiem’.

O livro começa como o primeiro, comigo querendo tacar ele na parede. A narrativa é intercalada entre Lena, a personagem principal, e Hana, a sua melhor amiga que foi curada e não apareceu quase nada no segundo livro. A história de Lena é realmente bem chatinha a essa altura do campeonato. Ela ama Alex, que por um milagre ainda estava vivo, mas está em um enrolo, daqueles bem enrolados que nem os envolvidos sabem onde estão, com o Julian. O pobre garoto que acabou de perder o pai e que a vida inteira mudou, não pensa em nada, não tem crise nenhuma e só quer saber da Lena, que até corresponde o menino mas não tira da cabeça Alex, mesmo que ele nem ligue para ela.

Já a narrativa da Hana é mais legalzinha. Você descobre que a amiga super bacana da Lena foi curada e irá se casar com o futuro prefeito da cidade mas, apesar de ter se tornado seca para algumas coisas, seu passado volta sempre para atormenta-lá.
A coisa vai indo, você vai lendo, nem dá vontade de dormir no meio do livro, mas nada de muito bacana acontece. E então vem a pior parte, o final.

O final do livro não entendo até hoje, e se eu não tivesse no meio do aeroporto o livro com certeza teria sido jogado na parede, com toda aquela força acumulada do livro dois. De repente, em duas páginas, ela resolve tudo, ou acha que resolve, dá um fim bem meia boca, bem sem graça e então vem aquilo que me pareceu inacreditável, um parágrafo de livro de auto ajuda. A autora simplesmente termina o livro com uma narrativa dela mesma, incentivando os leitores a algo que eu não vou dizer o que é para evitar spoilers mas, é total auto ajuda mesmo, do tipo levante, olhe no espelho e diga palavras positivas.

Não sei o que aconteceu com a Lauren do primeiro livro! Cadê todo aquele amor? Cadê aquelas ideias incríveis? Parece que a apressaram para terminar logo o livro e ela, sem ideias, resolveu escrever qualquer coisa. Fiquei triste com esse final Lauren. Vai ter que escrever outra série e me conquistar novamente.

Gostou da resenha? Se interessou pelo livro? Você pode aproveitar os descontos do site www.picodi.com/br. Lá você consegue cupons de descontos e promoções de várias livrarias, como Saraiva, Livraria da Folha e Livraria Cultura. Aproveite os cupons e descontos.


Aviso Legal: Esse livro foi cedido pela editora responsável pela publicação no Brasil como cortesia para o Livros em Série.

Sobre Karol

Atriz ruiva tão viciada em Shakespeare que foi até parar lá no palco do Globe Theatre de Londres de tanto que encheu o saco! Sem papas na língua,que sempre dá preferência a livros históricos e com culturas diferentes. Não leu Harry Potter ou Senhor dos Anéis, jogou Crepúsculo longe no meio do segundo livro mas é capaz de devorar qualquer livro que contenha um rei, um indiano ou um espírito no meio. Estranha, usa personagens românticos como referencia quando briga com o namorado, transforma tudo em um drama histórico e deseja silenciosamente transformar todos os livros que lê em filme.

5 comentários

  1. Suuuuuper descreveu tudo o que eu senti! Onde tava a história? Onde tava o final maravilhoso? Onde tava a energia do primeiro livro?

  2. Estou na página 170 e seu blog é o segundo que lamenta a conclusão :/
    Delírio é um livro incrível, maravilhoso e prometia bombas de todos os lados na continuação. Você acredita que levei um ano (1 anooooo) até conseguir terminar Pandemônio? Demorou muitooo para engatar.
    Estou mais empenhada em Requiem, esta bem morno e sinto falta de diálogos que não tenham a ver com a guerra. Sinto falta do Julian, sinto falta do Alex, estão parecendo figurantes… Mas vamos continuar rss

  3. To decepcionada! Eu acabei de ler Delírio hoje, mas estou menos mal por você, Karen, ter me dito o final. Só pra eu estar preparada, mas estou com um ódio mortal da Lauren por ter feito esse final tão sem base pelo o que você está falando. To até com uma dorzinha por Delírio, esse livro tão maravilhoso ter acabado assim. ;( To bem chateada.

  4. Pior final de livro que já li. Pior que Crepúsculo. E, realmente, os personagens secundários meio que deixam de existir fora do radar da Lena… Aff

  5. Acabei de ler Réquiem e estou revoltada com o final do livro… Achei a primeira parte de Delírio muito chata, mas depois fui gostando, mas a autora simplesmente “cagou” o final da Trilogia :´(

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*