sábado, 14/10/2017
Últimas do LeS:
Capa » Resenhas de Série » Resenha: “A Lição de Anatomia do Temível Dr. Louison”, de Enéias Tavares

Resenha: “A Lição de Anatomia do Temível Dr. Louison”, de Enéias Tavares

Livro: A Lição de Anatomia do Temível Dr. Louison
Série: Brasiliana Steampunk
Autor: Enéias Tavares
Páginas: 320
Editora: Fantasy/Casa da Palavra
Resenha por: Monique Marie
Comprar: Saraiva Submarino Cultura Amazon + ofertas

Porto Alegre. Dirigíveis gigantescos dominam o céu. Abaixo, o vapor cinzento dos bondes, das fábricas e dos estaleiros ao redor soma-se à fumaça dos charutos, dos cachimbos e das cigarrilhas. Vozes robóticas, barulho de hélices e maquinários misturam-se ao alarido do povo. De um Zepelin, desembarca Isaías Caminha, um jornalista carioca enviado à cidade para escrever uma matéria sobre o assassino em série Antoine Louison, que há poucos dias assombrava o local com um verdadeiro show de horrores – a exposição dos órgãos de suas vítimas. A aventura começa depois que o Dr. Louison, finalmente capturado e preso no hospício, desaparece misteriosamente de sua cela de segurança máxima sem deixar vestígios. Nesta busca pelo paradeiro do assassino, Isaías e um grupo de investigadores ainda vão topar com conhecidos do Dr. Louison, pertencentes a uma sociedade secreta de intelectuais, chamada Parthenon Místico, que estão dispostos a tudo para defendê-lo e desmascarar os criminosos. Esses amigos de Louison são alguns aclamados personagens da literatura brasileira, em reinvenção – Rita Baiana e Pombinha, de Aluísio Azevedo, Simão Bacamarte, de Machado de Assis, Solfieri, Álvares de Azevedo, entre outros.

Começo a resenha não falando da história, mas do livro em si. Acho legal deixar aqui nosso agradecimento especial ao autor desta série que gentilmente nos cedeu um exemplar de sua obra. Para quem não se lembra, o selo Fantasy fez um concurso para autores de literatura fantástica que já tinham um livro pronto porém não publicado. A Lição de Anatomia do Temível Dr. Louison foi o grande vencedor e abaixo vocês entenderão que foi uma escolha certeira da Fantasy.

O trabalho gráfico é impecável. O mapa, os desenhos, a qualidade do papel e até o cuidado com os desenhos em marca d ́água no marcador mostram o carinho que o livro foi feito. Dito isto, vamos ao que realmente interessa, a história.

A narrativa é dividida em 8 partes, algumas são como cartas, bilhetes e diários e outras como uma dissertação comum em livros. No começo você pode estranhar essa divisão, principalmente na parte “Aventureiros Místicos & Cafetinas de Luxo”, mas acreditem, essa divisão deixa a leitura mais leve e faz com que o livro flua perfeitamente.

A história se passa no Brasil, mais exatamente em Porto Alegre dos Amantes, no começo do século XIX, fato este que é notado na linguagem usada (não tenham medo, não é aquele rebuscado que fica chato e cansativo de ler), na descrição dos lugares e de seus personagens. Esse ar antigo é quebrado com o uso de robôs incríveis que faziam a vez dos homens para muitos trabalhos, incluindo guardas de manicômio e empregadas dos grandes casarões.

Isaías Caminha é um jornalista que sai de sua cidade (Rio de Janeiro de Todos os Orixás) para Porto Alegre dos Amantes com a incumbência de descobrir todos os detalhes do caso mais comentado dos últimos tempos: um assassinato em série de pessoas poderosas que fora cometido pelo célebre médico Dr. Antoine Louison. Logo no começo da narrativa Caminha é levado para conhecer o Dr. Louison que está preso no asilo São Pedro para Psicóticos e Histéricas a espera de sua execução por asfixia.

O jornalista tenta descobrir o que levou um famoso Dr. a cometer tal absurdo e porque essas pessoas foram escolhidas. Existiria ligação entre elas? Seria o Dr. um louco como achavam? Um serial killer que precisaria ser morto o mais rápido possível ou seria Louison um herói que tirou das ruas pessoas execráveis? Isaías foi um dos poucos que teve contato com o Dr. e conseguiu arrancar algumas palavras daquele que era considerado um monstro, palavras essas que não ajudaram a esclarecer os fatos mas sim complicaram ainda mais o caso.

Sem perceber como, Isaías já estava dentro do plano do Parthenon Místico (grupo de uma seita ‘estranha’ criado por amigos de Dr. Louison) para resgatar o médico e mostrar à sociedade o real motivo das mortes e como elas aconteceram. Ao conseguir fugir do asilo São Pedro é decretada uma caça ao Dr. Louison, que deveria ser encontrado vivo ou morto. Esta é a maior parte do livro, em que todos os personagens são apresentados e explicados. Nenhum personagem é raso, conhecemos todos em suas maiores fraquezas que são ligadas entre si e nos ajudam a entender o que levou Antoine Louison a cometer tais atos.

Alguns personagens ganham nossa simpatia, como por exemplo o casal Sergio Pompeu e Bento Alves e o trio que comandava o Palacete dos Prazeres: Rita Baiana, Pombinha e Léoni. Já outros criam uma profunda irritação como aquele que comandava o asilo São Pedro, Simão Bacamarte, um terrível senhor racista que em nome de sua loucura fazia experimentos com aqueles que considerava necessário.

O grande momento da narrativa fica por conta do momento em que o investigador do caso, Pedro Britto Cândido, recebe Beatriz de Almeida & Souza que era de uma família de ex-escravos, atualmente escritora e amante de Dr Louison. O que ela tem a revelar sobre seu passado é de extremo terror e importância para o caso. Neste momento tudo é compreendido e algo realmente inesperado acontece. Será que descobrem onde Louison se encontrava?

O caso tem um fim e cada personagem é devidamente encaminhado para o seu destino. Com um belo poema o livro se encerra deixando o leitor na vontade de ter logo o segundo volume em mãos para saber o que vai acontecer com esses personagens, com a saída de uma das damas do Palacete dos Prazeres e a chegada surpresa de uma nova moça.

Fico triste que terei que esperar um certo tempo para ter o segundo livro em mãos, já que este acabou de ser lançado. Comprem este primeiro volume e dividam comigo a alegria de ter um livro de um autor nacional tão bem escrito e com uma história que nos prende do começo ao fim.


Aviso Legal: Esse livro foi cedido pelo autor como cortesia para o Livros em Série.

Sobre Monique Marie

Publicitária frustrada com o pouco dinheiro da área e admiradora de tudo que envolve a política. Gosta de seriados que tenham serial killers, filmes infantis, fanática por futebol e F1, além de tentar competir com o Dr. Reid (Criminal Minds) quem lê mais rápido. Geralmente não gosta de ler o que está "na moda", adora indicações e ainda acredita que muitos livros se vendem pela capa. Não se separa de seu amigo rivotril e escreve no mínimo um texto por dia.

4 comentários

  1. Enéias Tavares

    Adorei a resenha, Monique! Em especial o elogio que fez ao casal Bento Alves & Sergio Pompeu, bem como às poderosas damas do Palacete dos Prazeres. Um grande abraço!

  2. Também adorei esse livro, e compartilho com você o forte interesse pela parte em que Beatriz conta sua história, que é fascinante. Inclusive gostei muito da justificativa do autor para a presença de robôs na história, dizendo que estes teriam substituído a mão de obra escrava.
    Também resenhei esse livro no meu blog, se quiser dá uma passadinha lá!

  3. Não conhecia o livro, mas a resenha me deixou com muita vontade de lê-lo! Gosto quando os autores nacionais saem um pouco das mesmices da nossa literatura e conseguem construir livros desse nível. Descrever todas as personagens é algo que ultimamente não tenho encontrado nos livros – acho muito chato quando você só sabe uma parte de uma personagem e não toda a complexidade dela. Um ponto positivo aí!
    Vou colocar na listinha de próximas leituras com certeza!

    Beijo.

  4. Luan Rodrigo

    Putz, a capa desse livro me lembrou Connan, não sei por quê. Ainda não tinha visto esse livro, mas já havia lido outros livros de autores nacionais. Esse parece muito bom. vou buscar mais sobre ele… o/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*