terça-feira, 17/10/2017
Últimas do LeS:
Capa » Resenhas de Série » Resenha: “O império final”, de Brandon Sanderson

Resenha: “O império final”, de Brandon Sanderson

Livro: O Império Final (#01)
Série: Mistborn: Nascidos das Brumas
Autor: Brandon Sanderson (@BrandSanderson)
Páginas: 608
Editora: LeYa
Tradução: Marcia Blasques
Resenha por: Bruna Fernández
Comprar: Saraiva Submarino Fnac Folha Travessa Amazon

O que acontece se o herói da profecia falhar? Descubra em Mistborn! Certa vez, um herói apareceu para salvar o mundo. Um jovem com uma herança misteriosa, que desafiou corajosamente a escuridão que sufocava a Terra. Ele falhou. Desde então, há mil anos, o mundo é um deserto de cinzas e brumas, governado por um imperador imortal conhecido como Senhor Soberano. Todas as revoltas contra ele falharam miseravelmente. Nessa sociedade onde as pessoas são divididas em nobres e skaa – classe social inferior –, Kelsier, um ladrão bastardo, se torna a única pessoa a sobreviver e escapar da prisão brutal do Senhor Soberano, onde ele descobriu ter os poderes alomânticos de um Nascido da Bruma – uma magia misteriosa e proibida. Agora, Kelsier planeja o seu ataque mais ousado: invadir o centro do palácio para descobrir o segredo do poder do Senhor Soberano e destruí-lo. Para ter sucesso, Kel vai depender também da determinação de uma heroína improvável, uma menina de rua que precisa aprender a confiar em novos amigos e dominar seus poderes.

“Kelsier estava certo novamente. Eu me pergunto se ele não se cansa disso.” – p. 446

Praticamente todas as pessoas com quem eu comentei que estava lendo o primeiro volume de Mistborn se desfizeram em elogios à série. E não sem motivo: esse foi um dos poucos livros que entraram para a minha lista de favoritos esse ano e eu mal posso esperar para saber o que nos aguarda nos próximos livros da série. Mas primeiro, vamos falar de O Império Final.

Me interessei por ele só de olhar a capa e ao dar uma passada de olho pela sinopse me deparei com as seguintes frases: “Certa vez, um herói apareceu para salvar o mundo. (…) Ele falhou”. Senti um quê de originalidade, o que me deixou mais interessada ainda. Só esperava que o livro não fosse maçante, pois aí ficaria difícil encarar as 600 páginas. Entretanto, estou tentando entender até agora como o autor conseguiu criar uma história tão rica em detalhes e personagens com só isso de páginas.

O enredo se passa em um mundo fictício e tem como cenário principal a cidade de Luthadel cujo mapa todo detalhado aparece logo no início do livro. Essa cidade cinzenta, e várias outras, possuem classes sociais que vivem em extremos opostos: de um lado os nobres, divididos em Casas de maior ou menor importância com as suas festas de gala, intrigas e lutas pelo poder e do outro os skaa, plebeus que foram escravizados e dão a sua vida por mais um dia de trabalho, que significa mais um dia de comida – mesmo que miserável – para suas famílias que vivem em constante medo, ou seja, existe um abismo impressionante na sociedade. E todo esse universo criado por Sanderson é liderado pelo Senhor Soberano há anos e anos, uma entidade mega poderosa e temida por todos. Bem, quase todos.

Alguns personagens possuem poderes especiais, os Brumosos ou Nascidos das Brumas, seres alomânticos. Eles têm a habilidade de “queimar” metais, sendo que cada um deles dá acesso a uma habilidade diferente. São poderes bem complexos, confesso que fiquei bem perdida no começo do livro, mas com o tempo o leitor acaba se acostumando com a terminologia e os efeitos de cada metal.

“- Como podem ser tão otimistas? (…)
– Não sei, senhora. (…) Talvez nossas vidas tenham sido mais fáceis do que a da senhora. Ou talvez sejamos simplesmente mais tolos.” – p. 461

O Império Final foi a minha primeira obra do Brandon e eu fiquei impressionada com a riqueza de detalhes criados por ele. Nenhum detalhe é banal, tudo se encaixa perfeitamente no enredo e no cenário criado pelo autor, sempre acrescentando algo. Apesar de todo enredo ser tão interessante, o mais cativante no livro todo são os personagens. Me identifiquei com muitos, torci por praticamente todos, idolatrei alguns e com certeza sofri muito com outros poucos. São tantos personagens que seria impossível falar aqui de todos, mas meus destaques vão para os óbvios: Kelsier, o personagem principal, com seu jeito malandro, confiante sem ser irritante, com um coração maior que o mundo ele já sofreu muito nas mãos do Senhor Soberano, mas conseguiu escapar e agora está planejando derrubar seu enorme Império; Vin, a garota que perdeu todas as pessoas na sua vida e foi criada para desconfiar de tudo e de todos mas encontra na gangue de Kelsier novos amigos; e para os não-tão-óbvios: Brisa, um dos membros da gangue de Kelsier, extremamente inteligente e com tiradas ácidas e sarcásticas; e, claro, o vilão a ser enfrentado, a divindade do Senhor Soberano. E esses são apenas alguns dos meus favoritos…

“- Os melhores mentirosos são aqueles que dizem a verdade na maior parte das vezes.” – p. 265

Outro detalhe intrigante e interessante são os trechos de uma história que aparecem no início de cada capítulo. A princípio eles parecerão desconexos e confusos, mas não os pulem e leiam com atenção, que em certo momento as peças vão começar a se encaixar e tudo fará sentido!

Pra quem curte literatura fantástica repleta de ação – e emoção! – essa é, com absoluta certeza, uma série imperdível. Me senti parte da gangue de Kelsier, fazendo parte do plano maluco – e que tem tudo pra dar errado – para derrubar o Império e o Senhor Soberano e mal vejo a hora de poder ler o segundo volume. Pode comprar e ler sem medo de se arrepender!

“O truque é nunca parar de procurar. Sempre há outro segredo.” – p. 90


Aviso Legal: Esse livro foi cedido pela editora responsável pela publicação no Brasil como cortesia para o Livros em Série.

Sobre Bru Fernández

Formada em Letras, trabalha como Revisora e Tradutora em uma agência publicitária e preenche suas horas vagas assistindo a seriados, filmes e partidas de futebol, vôlei, basquete e ice hockey, além de ouvir música, ir a shows e, claro, ler. Não curte chick-lits e prefere os thrillers, policiais, YA e fantasia. Nunca sai de casa sem guarda-chuva e um livro na bolsa, afinal nunca se sabe quando irá chover ou surgir uma fila/trânsito em São Paulo.

2 comentários

  1. Tiago Santos

    Otima resenha, e expressa exatamente como me sinto, essa série é simplesmente sensacional, devorei o livro e até comprei outra obra do autor (Elantris) pq achei a narrativa e o modo como ele escreve perfeitos e as ideias super originais… Enfim, recomendo a todos tbm… E que venha o próximo *—*

  2. Luis Alexandre Dalposso

    A editora LeYa havia dito no facebook que o segundo livro da série sairia em Fevereiro/15, até agora nada :\

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*