domingo, 15/10/2017
Últimas do LeS:
Capa » Resenhas de Série » Resenha: “Para onde ela foi”, de Gayle Forman

Resenha: “Para onde ela foi”, de Gayle Forman

Livro: Para Onde Ela Foi
Série: Se eu ficar
Autor: Gayle Forman
Páginas: 219
Editora: Novo Conceito
Resenha por: Monique Marie
Comprar: Saraiva Submarino Cultura Folha Travessa Amazon

Meu primeiro impulso não é agarrá-la nem beijá-la. Eu só quero tocar sua bochecha, ainda corada pela apresentação desta noite. Eu quero atravessar o espaço que nos separa, medido em passos não em milhas, não em continentes, não em anos , e acariciar seu rosto com um dedo calejado. Mas eu não posso tocá-la. Esse é um privilégio que me foi tirado.

Com a mesma força dramática de Se Eu Ficar, agora pela voz de Adam, Para Onde Ela Foi expõe o desalento da perda, a promessa da esperança e a chama do amor que renasce.

ATENÇÃO! Esse livro não é o primeiro da série e a resenha pode conter spoilers! Confira nossas resenhas anteriores dessa série, clicando na capa desejada:

Li Se Eu Ficar por pura curiosidade de comentários na internet e me apeguei a história, fiquei feliz em ter esperado pouco para poder ler a continuação. O livro tem o mesmo aspecto fofo do primeiro com as páginas grossas e desenhos de partituras no topo, já que a música está ligada aos personagens do livro.

Se você não leu Se Eu Ficar é melhor não ler essa resenha pois perderá todo o suspense que envolve o primeiro livro.

Temos quase os mesmos personagens em Para Onde Ela Foi acrescido da namorada de Adam, de seu empresário e outros que aparecem em momentos específicos e não precisam ser citados.

A história começa com Adam contando um momento de quase surto pré viagem de turnê, então você entende que a Shooting Star ficou com fama mundial e que Adam estava em uma quase depressão.

Adam acabou por se tornar um menino mimado que precisa ter um empresário babá o tempo todo, faz uso de remédios controlados para ansiedade e tem ataques de rock star descontrolado e prepotente. Um Adam totalmente diferente do apaixonado do primeiro livro.

As páginas passam e você percebe que ele entrou em um relacionamento com uma estrela do cinema não por amor, mas por conveniência e para esquecer sua história com Mia.

Pois bem, Mia! Passamos um tempo do livro sem saber ao certo o que aconteceu depois que ela voltou do coma até que em um capítulo de flashback Adam conta como foi o começo de sua recuperação, a volta com o violoncelo e quando ela decidiu ir para Juiliard e deixar Adam para trás literalmente.

No começo das aulas eles ainda mantinham contato por email até o momento em que Mia simplesmente apagou Adam de sua vida sem dizer uma única palavra e tornando a vida de Adam uma bagunça ainda maior. Ruim por um lado, bom por outro, o rapaz acabou canalizando toda a sua raiva e frustração em letras de músicas criando assim um álbum chamado Collateral Damage e deixando a Shooting Star em todas as rádios, revistas, festivais e claro nas fofocas de Hollywood.

“Fio e agulha, pele e osso
Cuspe e suor, coração no fosso
Suas linhas brilham como diamantes em sua mão
São estrelas iluminando minha vida nesta prisão” Stitch/Collateral Damage/Faixa 7 – p. 29

Três anos se passam e ambos seguem suas vidas sem contato. Até que um dia antes da viagem para a maior turnê européia da Shooting Star e prestes a desistir de tudo, Adam resolve andam por Nova Iorque e ao passar pelo Carnegie Hall vê um poster de Mia com os dizeres “Concertos para jovens apresenta Mia Hall”. Era ali, aquela noite, a deixa perfeita para tudo que ele precisava.

“Eu pago e entro no teatro frio e pouco iluminado. Deslizo para meu assento e fecho os olhos, lembrando-me da última vez que fui a um concerto para violoncelo em algum lugar tão chique. Cinco anos atrás, no nosso primeiro encontro. Assim como aconteceu naquela noite sinto uma grande excitação, mesmo sabendo que, diferentemente daquele dia, hoje eu não vou beijá-la. Ou tocá-la. Ou mesmo vê-la de perto. Esta noite eu vou ouvir. E isso será o suficiente.” – p. 36

Após esse momento Adam reencontra seu grande amor que o surpreende chamando ao seu camarim após o concerto. O que segue é um passeio que levou o nome de “nossa despedida de Nova Iorque” e eu não pretendo contar detalhes para não estragar o que tem de melhor no livro.

Os capítulos alternam entre o passeio de Mia e Adam e flashbacks dos acontecimentos mais importantes desde que Mia voltou do coma. Muitos assuntos pendentes entre os dois são resolvidos de formas que não pensaria que pudessem acontecer.

Será que Mia explica porque abandonou Adam? Será que ela acompanhou a carreira da Shooting Star? Será que Adam realmente abandona a banda? Mia e Adam deixam claro seus pontos e seguem seus rumos opostos?

Acho que Gayle Forman acertou em cheio na condução da história e deu aos personagens o desfecho que cada um merece. Vale a leitura para descobrir o que um passeio pela madrugada de uma Nova Iorque desconhecida dos turistas pode reservar.

“Você cruzou a água, me deixou para trás
Me matou na praia, e queria mais
Você explodiu a ponte, como uma terrorista
Acenou do outro lado, como uma turista
Comecei a seguir e percebi tarde demais
A terra firme você deixou para trás” – Bridge/Collateral Damage/Faixa 4 – p. 151


Aviso Legal: Esse livro foi adquirido pela própria resenhista.

Sobre Monique Marie

Publicitária frustrada com o pouco dinheiro da área e admiradora de tudo que envolve a política. Gosta de seriados que tenham serial killers, filmes infantis, fanática por futebol e F1, além de tentar competir com o Dr. Reid (Criminal Minds) quem lê mais rápido. Geralmente não gosta de ler o que está "na moda", adora indicações e ainda acredita que muitos livros se vendem pela capa. Não se separa de seu amigo rivotril e escreve no mínimo um texto por dia.

5 comentários

  1. Lindo esse livro!!!

  2. Já li ” Se eu ficar ” , confesso que ainda não criei coragem para ler o segundo livro. Devido a essa sinopse que me deixou de coração partido. Pois o Adam e a Mia são um casal e nesse livro a autora simplesmente apaga isso. Mas vou tomar a atitude de ler. E aguentar as fortes consequências

  3. Monique Marie

    Oi Roberto tudo bem?

    Tome coragem e leia, de verdade! Você não vai se arrepender, a autora deu um desfecho sensacional para a história, não vou te contar nada mas se dê essa chance!
    Bjsss

  4. Milena Jacques

    Aiii gente eu olhei o filme. Amei, agora to supercuriosa para ler ambos, espero ter coragem. Ansiedade a mil. Amei a resenha. Simplesmente apaixonada :)

  5. Monique Marie

    Oi Milena tudo bem?
    Eu não vi o filme acredita? Gostei tanto dos livros que fiquei com medo do filme acabar com meu amor pelos livros haha
    Obrigada pelo elogio e boa leitura <3

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*