quinta-feira, 12/10/2017
Últimas do LeS:
Capa » Resenhas de Série » Resenha: “A maldição do espelho”, de Agatha Christie

Resenha: “A maldição do espelho”, de Agatha Christie

Livro: A Maldição do Espelho (#08)
Série: Miss Marple
Autor: Agatha Christie (Curtir)
Páginas: 260
Editora: Nova Fronteira
Tradução: Ana Maria Mandim
Resenha por: Bru Fernández
Comprar: Saraiva Submarino Cultura Folha Travessa Americanas

O vilarejo de St. Mary Mead está em polvorosa com a chegada de sua mais nova moradora, a linda e famosa atriz de cinema Marina Gregg. Empolgada com a aquisição e a reforma da mansão Gossington Hall, ela não demora a organizar uma festa beneficente que atrai imprensa, admiradores e curiosos, ainda mais quando algo sai terrivelmente errado.

Primeiro, a súbita e transtornada expressão no rosto de Miss Gregg, como se uma maldição voltasse para assombrá-la. Em seguida, a repentina morte de Heather Badcock, sua fã e vizinha, por envenenamento, bem diante de seus olhos. E enquanto Miss Marple e o inspetor Craddock iniciam as investigações, a atriz não consegue afastar a torturante pergunta: e se o assassino apanhou a vítima errada? E se ela for o verdadeiro alvo? Sobre o autor: Agatha Christie é simplesmente a romancista de maior vendagem de títulos da história, atrás apenas da Bíblia e de Shakespeare, razão pela qual é conhecida como a Rainha do Crime. Seus oitenta romances policiais e coletâneas de contos já foram publicados em mais de uma centena de línguas no mundo inteiro. O sucesso de sua obra, ampliado pelas inúmeras adaptações para o cinema e para a tevê, é um tributo ao eterno fascínio de seus personagens e à absoluta engenhosidade de suas tramas.

ATENÇÃO! Essa é uma série que não precisa ser lida na ordem correta. Leia nossas resenhas já feitas da saga desta personagem, clicando na capa desejada:

Apesar desse livro estar na minha sessão de livros não lidos no Skoob quando o peguei para ler, senti uma enorme sensação de dèjá vu quando comecei a minha leitura. Se realmente já tinha lido o livro ou não, eu não sei. Mas que é uma ótima história, não tenho dúvidas. Sou uma grande fã da Agatha, mas não gosto muito dos livros com a senhorinha metida a detetive, Miss Marple. Acho as resoluções dos crimes muito inverossímeis, ela sempre compara as atitudes das pessoas e com isso acaba desvendando os casos, não me agrada. Porém, não tive esse sentimento com o enredo de A maldição do espelho, o que me fez perder um pouco do preconceito com as histórias dessa inteligente senhora.

O enredo do livro nos apresenta a mais nova moradora do pequeno vilarejo – cheio de pessoas fofoqueiras – de St. Mary Mead, cidade onde mora Jane Marple. A “novidade no pedaço” é uma famosa atriz de cinema, Marina Gregg. A atriz recentemente comprou e reformou Gossington Hall, uma mansão que aparece em outro livro da autora – essa mansão também é cenário de Um Corpo na Biblioteca (1942). Existem outras referências à outros livros de Miss Marple como Assassinato na casa do pastor (1930) e Os treze problemas (1932). Eu acredito que essas menções não interferem na leitura, você pode ler os livros da autora fora de ordem, porém, perde esses pequenos detalhes muito interessantes que costuram os livros, justando parte das histórias dos personagens.

O mistério tem início quando Marina Gregg organiza uma festa beneficente em Gossington Hall, e, durante a recepção, uma das convidadas, a falante Heather Badcock, é envenenada e morre. Apesar de não estar presente na festa por conta de uma indisposição, Jane Marple fica sabendo de todos os detalhes do ocorrido através de sua fiel amiga Dolly Bantry, que repassa o que aconteceu e continua a acontecer na cidade em relação ao mistério do envenenamento. Durante as investigações, porém, surge a dúvida: seria Heather o verdadeiro alvo do veneno?

As personagens desse livro são bem marcantes. A atriz Marina Gregg, “suposto” alvo do envenenamento é uma mulher insuportável. Está em seu quarto casamento e parece estar o tempo todo em cima de um palco atuando. Todas as suas falas e atos são dramáticos, como se ela vivesse eternamente em um palco de teatro. Me peguei imaginando se as estrelas da época em que o livro foi escrito eram realmente assim. O atual marido de Marina, Jason Rudd, vive para a mulher, a idolatra e tenta a proteger de tudo e de todos; e esse excesso de zelo não deixa de ser suspeito. Na lista de suspeitos temos também a secretária “faz-tudo” de Marina, Ella Zielinksky. Extremamente eficiente, adora reclamar da chefe e falar mais do que deve, assim como a pobre Heather.

Esse é um enredo muito bem construído, que leva o leitor a questionar os acontecimentos e as mortes (Sim! Mais pessoas morrem além da tagarela Heather), tentando desvendar junto à Miss Marple quem é o verdadeiro assassino. Não é à toa que Christie ganhou o apelido de Rainha do Crime, é impressionante a forma como as pontas todas são amarradas ao final do livro, dessa vez, sem deixar a história com uma resolução sem pé nem cabeça. E, claro, não posso terminar a resenha sem elogiar o belíssimo trabalho editorial da Nova Fronteira vez com as novas edições da Agatha Christie. Fiquei sabendo pelo pessoal da editora que as capas foram todas desenhadas à mão algumas têm easter eggs. Ficou incrível, parabéns ao artista responsável e à editora!

Curiosidade: Um fato interessante é a origem do título do livro que em inglês é The Mirror Crack’d From Side to Side. Ele advém de um poema escrito por Alfred Tennyson, The Lady of Shalott, do qual algumas linhas são frequentemente recitadas ao longo do livro.


Aviso Legal: Esse livro foi adquirido pela própria resenhista.

Sobre Bru Fernández

Formada em Letras, trabalha como Revisora e Tradutora em uma agência publicitária e preenche suas horas vagas assistindo a seriados, filmes e partidas de futebol, vôlei, basquete e ice hockey, além de ouvir música, ir a shows e, claro, ler. Não curte chick-lits e prefere os thrillers, policiais, YA e fantasia. Nunca sai de casa sem guarda-chuva e um livro na bolsa, afinal nunca se sabe quando irá chover ou surgir uma fila/trânsito em São Paulo.

3 comentários

  1. Sou fã da Agatha, mas mais ainda do Poirot, li quase todos os casos dele, que cativaram desde o primeiro O Assassinato de Roger Ackroid.Parabéns por mais uma resenha,acompanho o blog já á mais de meia década, e não sei mais onde acompanharia as novidades literárias sem ele.

  2. Gleison Lima

    Boa noite Bruna!

    Tem como vc me passar por email a sequência aproriada para a leitura, conforme vc sugeriu?!

  3. Bruna Fernández

    Oi Gleison, a ordem apropriada é a ordem de lançamento, que você encontra na nossa página da série: http://livrosemserie.com.br/sagas/m/miss-marple/ ;)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*