segunda-feira, 23/10/2017
Últimas do LeS:
Capa » Resenhas de Série » Resenha: “O enigma do pássaro de ouro”, de H. L. Dennis

Resenha: “O enigma do pássaro de ouro”, de H. L. Dennis

Livro: O enigma do pássaro de fogo (#01)
Série: Decifradores
Autor: H. L. Dennis (@HLDennisauthor)
Páginas: 320
Editora: Rocco
Tradução: Lucas Peterson
Resenha por: Bru Fernández
Comprar: Saraiva Cultura Americanas Amazon

Brodie Bray sempre se sentiu um pouco deslocada, até que um convite com uma mensagem cifrada chega pelo correio. Escolhida para participar de uma equipe de decifradores desafiada a desvendar o ancestral e enigmático Manuscrito Voynich, a garota vai para uma nova escola e ganha novos amigos. Mas também se vê envolvida numa trama de mistério e perigos, afinal, há alguém capaz de tudo para impedir que Brodie e seus amigos decifrem o código. O enigma do pássaro de fogo é o primeiro livro da serie Decifradores, da britânica H. L. Dennis. Repleto de ação e segredos, o romance é perfeito para aqueles que gostam de desafiar a lógica, tanto quanto a imaginação. Uma estreia arrebatadora para uma série que veio para ficar.

“– Está feito – revelou Smithies. – A Operação Veritas foi reativada. Já enviei os convites.” – p. 17

A minha primeira impressão deste livro foi que ele conteria uma história mais juvenil e que talvez não fosse me interessar tanto. Ah, como são terríveis essas primeiras impressões que temos apenas por julgar uma capa! Realmente o conteúdo da narrativa é voltado para um público mais jovem, mas isso não me impediu em momento nenhum de aproveitar a minha leitura ao máximo!

O primeiro livro da série Decifradores conta a história de um grupo chamado Veritas que é especializado em decifrar códigos secretos. Um dos mais “famosos” trabalhos é a tentativa de decifrar o Manuscrito Voynich, descoberto em 1912, e que, até hoje nenhum dos membros conseguiu ‘quebrar’, até que depois de falharem, a operação toda foi desfeita. Como a primeira quote mostra, algumas pessoas não desistiram por completo e novas pistas surgem, e a operação é reativada. Mas como nem tudo nessa vida são flores, obviamente existem outras pessoas que preferem que esse Manuscrito permaneça indecifrável.

“– Ler códigos é como ler pessoas. As primeiras impressões não são importantes. Elas servem apenas aos tolos.” – p. 95

Smithies é o personagem que está por trás dessa reativação e ele decide que desta vez devem juntar um grupo de crianças para tentar quebrar o código do Manuscrito. Ele manda cartas para todos os filhos e netos de antigos membros do Veritas e é então que o time principal se conhece: temos a personagem principal, a jovem Brodie que perdeu os pais muito cedo e vive com seu avô; Hunter, o garoto bom com números; e Tusia, a garota russa que adora por a mão na massa. Os personagens jovens todos têm a inteligência aflorada para um tema em especial, formando uma ótima combinação quando eles conseguem trabalhar juntos. Também adorei e achei super curioso a autora ter introduzido uma personagem russa, apesar de não se aprofundar muito na cultura do país.

As crianças começam então a ter aulas sobre códigos e, claro, ao longo do livro somos levados a tentar ajudá-los a decifrar vários enigmas, sendo um deles, claro, o tão misterioso Manuscrito de Voynich. O livro é repleto de imagens de folhas de caderno com anotações das personagens sobre os códigos, dando um toque realista para a história e um charme todo especial para o livro. Aliás, o trabalho editorial está impecável com os desenhos no início dos capítulos. O que deve ter dado um trabalho enorme foi a tradução do livro, pois os códigos e charadas apresentados tiveram que ser repensados e adaptados para a nossa língua. O tradutor, o preparador e o revisor deste volume estão de parabéns!

Iniciei a minha leitura achando que O enigma do pássaro de fogo seria apenas mais do mesmo e eu não poderia estar mais errada. Essa é uma história repleta de ação e aventura e que trás para as prateleiras um novo tipo de super poder: a capacidade de resolver problemas/charadas. E também me chamou muito a atenção o fato deste Manuscrito ser verdadeiro. Isso mesmo, realmente existe um Manuscrito Voynich que nunca conseguiu ter seu código desvendado até hoje! Depois de várias tentativas fracassadas, o Manuscrito foi registrado como “MS 408” na Biblioteca Beinecke de Livros e Manuscritos Raros, longe dos olhos do público geral. Essa informação é fornecida logo na primeira página do livro e mudou completamente a minha visão sobre o enredo. Simplesmente adoro ler uma boa ficção com um pé na vida real!

Só sei que adorei a leitura e estou super animada para saber quais serão os próximos desafios de Brodie, Hunter e Tusia no próximo volume da série.

“– Temos a chance de ver as coisas como elas são de verdade, e talvez algumas pessoas não concordem com isso. Mas isso não faz com que seja errado fazê-lo.” – p. 208


Aviso Legal: Esse livro foi cedido pela editora responsável pela publicação no Brasil como cortesia para o Livros em Série.

Sobre Bru Fernández

Formada em Letras, trabalha como Revisora e Tradutora em uma agência publicitária e preenche suas horas vagas assistindo a seriados, filmes e partidas de futebol, vôlei, basquete e ice hockey, além de ouvir música, ir a shows e, claro, ler. Não curte chick-lits e prefere os thrillers, policiais, YA e fantasia. Nunca sai de casa sem guarda-chuva e um livro na bolsa, afinal nunca se sabe quando irá chover ou surgir uma fila/trânsito em São Paulo.

2 comentários

  1. Tem previsão de sair o próximo?

  2. Bruna Fernández

    Oi Camila, ainda não. Provavelmente deve sair em 2016, mas confirmaremos quando tivermos notícias concretas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*