sexta-feira, 20/10/2017
Últimas do LeS:
Capa » Resenhas de Série » Resenha: “Uma jornada no inverno”, de Toby Clements

Resenha: “Uma jornada no inverno”, de Toby Clements

Livro: Uma jornada no inverno (#01)
Série: Kingmaker
Autor: Toby Clements (Site)
Páginas: 576
Editora: Rocco
Tradução: Geni Hirata
Resenha por: Nina
Comprar: Saraiva Submarino Cultura Americanas Amazon

Primeiro de uma série épica assinada pelo britânico Toby Clements, Uma jornada no inverno é um hino à coragem e à resistência humanas urdido com rigor e paixão. Ambientado durante a sangrenta Guerra das Rosas, o livro mescla uma precisa reconstrução histórica com o ritmo ágil dos melhores romances, ao acompanhar os desdobramentos da brutal disputa de poder entre duas famílias pela perspectiva de pessoas comuns, homens e mulheres tentando sobreviver numa Inglaterra dominada pelo medo e pela violência. Um romance histórico vívido e brilhante, perfeito para fãs de clássicos como Os pilares da Terra, de relatos históricos e de séries como Game of Thrones.

A resenha de Kingmaker foi um leve “parto” para elaborar. Não porque seja uma leitura ruim, mas é uma leitura um tanto complicada. Se você já tem costume de ler romances históricos, é familiarizado com a história da Inglaterra, legal, você vai ler sem problemas. Agora, se você não entende muito das motivações das guerras travadas entre Reino Unido e França, bom, dá pra ficar perdido nas páginas, correr os olhos nas letras e não entender nada.

Fazendo uma leve contextualização, a história narrada no livro se passa a partir de 1460, pouco depois do fim da Guerra dos Cem Anos, entre Inglaterra e França. A guerra aconteceu pois o Rei Eduardo III, da Inglaterra, reinvindicou o direito de unificar as coroas inglesa e francesa, por ser neto de um monarca francês. O trono francês estava “vago”, porque não tinha nenhum herdeiro direto. Resumindo a história, a intenção era que a Inglaterra exercesse domínio sobre cidades comerciais na França e isso deu certo por muito tempo, até a chegada de Joana D’Arc, que virou a balança para o lado francês e fez com que a Inglaterra não só fosse derrotada, mas humilhada e destruída.

Pois bem, a Guerra das Rosas foi a consequência da derrota da Inglaterra, pois além dos graves problemas financeiros, ainda havia o fato de que o Rei Henrique VI não fosse lá muito certo das ideias.

No meio de toda essa trama, Toby Clements conta a história de Thomas e Katherine, um irmão ordenado e uma freira, que por um acaso do destino, acabam se metendo no caminho das pessoas erradas, e fazem de sir Giles Riven seu inimigo mais mortal. Desde que conseguiram milagrosamente escapar da primeira emboscada armada pelo nobre, passam a se esconder e fugir. Em seu primeiro encontro com um homem que os oferece ajuda, Katherine se transforma em Kit – afinal, eles estão procurando por um irmão e uma freira, e não um homem e um garoto. Eles partem em uma jornada para ver o prior de todos e conseguir absolvição pelo pecado de terem desertado e desonrado sua ordem.

Eles se infiltram em uma companhia de arqueiros, que está indo para uma batalha em Calais, na França, em favor do Rei Henrique VI, e vão vivendo camuflados nessa companhia, onde Thomas se torna um arqueiro e Katherine vai, aos poucos, de escudeiro a cirurgião. E eles vão vivendo e sobrevivendo às batalhas, buscando se esconder e não chamar atenção – até encontrar sir Giles Riven. A certa altura, eles já acreditam que esta é a vontade de Deus, e que devem enfrentá-lo, para o bem e para o mal.

Os personagens são bem difíceis de descrever, porque pouco se sabe sobre eles, sobre sua história e como foram parar ali, o que eu acredito que vai ser desenrolado nos próximos livros, e em doses homeopáticas. A amizade entre eles vai sendo forjada aos poucos, de acordo com os problemas que vão superando, a cada obstáculo vencido. É uma narrativa bem conflitante sobre o valor das amizades e das alianças, dos seus credos e convicções.

Eu, particularmente, fiquei bem cansada de ler o livro. Mas como já expliquei, não é que seja uma história ruim, mas é uma história pesada, e querendo ou não, exige um pouco do seu conhecimento prévio sobre o assunto. Eu tive que ler algumas vezes os resumos das Guerras, voltar no prólogo e lembrar quem era quem, e fazer uma imagem mental de cada personagem (ainda que não acompanhe muita descrição física deles) pra não me perder. Quem gosta de história, não vai querer perder. E quem não gosta… bem, talvez até passe a gostar um pouquinho, porque é bem educativo e interessante. :)


Aviso Legal: Esse livro foi cedido pela editora responsável pela publicação no Brasil como cortesia para o Livros em Série.

Sobre Nina Lima

Poderia ser qualquer outra coisa, mas resolveu ser turismóloga e apaixonada pela Inglaterra e pelo McFLY. Leu a trilogia Jogos Vorazes em três dias e amou; considera Harry Potter a melhor série do mundo, adora a escrita da Meg Cabot e topa qualquer YA Book.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*