segunda-feira, 23/10/2017
Últimas do LeS:
Capa » Resenhas de Série » Resenha: “O dia em que b apareceu”, de Milu Leite

Resenha: “O dia em que b apareceu”, de Milu Leite

Livro: O dia em que b apareceu (#02)
Série: O dia em que Felipe sumiu
Autor: Milu Leite
Páginas: 108
Editora: Biruta
Tradução:
Resenha por: Bru Fernández
Comprar: Saraiva Cultura Travessa

Bernardo, um adolescente superdotado, vive as descobertas e os conflitos de alguém que não encontra lugar em seu meio e se refugia na literatura, escrevendo uma história cujos personagens são inspirados em um grupo de jovens que ele observa da janela de seu apartamento. Em O dia em que b apareceu, a escritora e jornalista Milu Leite traz uma novela policial que lança mão da metalinguagem para falar da forma como uma obra pode ser escrita: em duas narrativas que ocorrem simultaneamente.

booktourjuhclaro

Tivemos a honra de sermos convidadas para o Book Tour de O dia em que b apareceu, organizado pela Editora Biruta e pelo blog da nossa querida amiga, Juh Claro. Então, vamos à resenha!

O livro é super curtinho, um infantojuvenil que em uma tarde você lê em algumas horas. Ele conta duas histórias em paralelo: a história de Bernardo, que avisa logo de cara que prefere ser chamado apenas de b – na fonte Verdana, por favor! -, e a história que Bernardo, ops, b está escrevendo. O protagonista narra a história principal em primeira pessoa e é o narrador onisciente da história que está escrevendo, sempre tagarelando sobre os pensamentos íntimos de suas personagens.

Na vida real, b é um garoto superdotado e por isso sobre com piadinhas que os colegas fazem com ele, o que acaba o tornando em uma pessoa extremamente solitária, sem nunca sair de casa para interagir com as pessoas. A única pessoa com quem o garoto tem mais contato é a sua avó, que mora com ele. Ao entrar para a faculdade, b acredita que as coisas irão melhorar, e por um tempo elas realmente melhoram, porém b acredita que apesar da aproximação dos colegas, eles ainda o tratam diferente. O que o personagem parece não perceber é que ele mesmo acaba afastando as pessoas quando elas tentam se aproximar.

Em paralelo a isso, há a história contada por b, para o livro que ele precisa escrever para um concurso literário que ele venceu antes de ingressar na faculdade. O enredo de b acompanha os amigos – alguns com nomes bem peculiares – Felipe, Farelo, Hipotenusa e Dora. Eles encontram os documentos de uma pessoa no lixo e acabam descobrindo que pertenciam a um antigo cantor que era famoso, porém, sumiu do mapa do dia pra noite. O grupo de amigos então começa a investigar o que pode ter acontecido com ele e até a Ditadura Militar é abordada.

Apesar de serem duas histórias diferentes, podemos ver como b deposita seus sentimentos mais profundos na sua história. Não se preocupe em confundir as duas narrativas, a escrita é bem marcada e diferente, além da autora utilizar cores diferentes para cada uma delas: a narrativa normal segue em preto e a história de b está em laranja. A ideia foi ótima, porém a cor escolhida para o texto cansou um pouco a minha vista durante a leitura.

Um livro leve e inteligente de se ler ou ainda para ler para algum baixinho que você conheça. Diversão garantida! Ah, vale comentar que existe um outro livro com as mesmas personagens que é anterior a esse, O dia em que Felipe sumiu, porém não há necessidade de ler na ordem para a compreensão da história ;)


Aviso Legal: Esse livro foi cedido pela editora responsável pela publicação no Brasil como cortesia para o Livros em Série.

Sobre Bru Fernández

Formada em Letras, trabalha como Revisora e Tradutora em uma agência publicitária e preenche suas horas vagas assistindo a seriados, filmes e partidas de futebol, vôlei, basquete e ice hockey, além de ouvir música, ir a shows e, claro, ler. Não curte chick-lits e prefere os thrillers, policiais, YA e fantasia. Nunca sai de casa sem guarda-chuva e um livro na bolsa, afinal nunca se sabe quando irá chover ou surgir uma fila/trânsito em São Paulo.

2 comentários

  1. Que resenha fofa <3 Não esperava nada menos de você haha
    Realmente a cor laranja cansa um pouco, mas acho que pelo livro ser curtinho até que dá pra desconsiderar haha

    Espero que tenha gostado e obrigada por participar do BT <3

    Beijo!

  2. Bru Fernández

    Eu amei! Obrigada pelo convite, Juh! <3

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*