sexta-feira, 15/12/2017
Últimas do LeS:
Capa » Resenhas de Série » Resenha: “Felizes para sempre”, de Kiera Cass

Resenha: “Felizes para sempre”, de Kiera Cass

Livro: Felizes para sempre (#04.5)
Série: Seleção, A
Autor: Kiera Cass (@kieracass)
Editora: Seguinte
Páginas: 464
Tradução: Cristian Clemente
Resenha por: Lais
Comprar: Saraiva Cultura Amazon

Esta coletânea traz os contos A rainha, O príncipe, O guarda e A favorita ilustrados e com introduções inéditas de Kiera Cass. Conheça o príncipe Maxon antes de ele se apaixonar por America, e a rainha Amberly antes de ser escolhida por Clarkson. Veja a Seleção através dos olhos de um guarda que perdeu seu primeiro amor e de uma Selecionada que se apaixonou pelo garoto errado.

Você encontrará, ainda, cenas inéditas da série narradas pelos pontos de vista de Celeste e Lucy, um texto contando o que aconteceu com as outras Selecionadas depois do fim da competição e um trecho exclusivo de A sereia, o novo romance de Kiera Cass. Este é um livro essencial para os fãs de A Seleção, que poderão se aprofundar mais nesse universo tão apaixonante.

ATENÇÃO! Esse livro não é o primeiro da série e a resenha pode conter spoilers! Confira nossas resenhas anteriores dessa série, clicando na capa desejada:

“É estranho descobrir o quanto você é importante para pessoas que não sabia que se importavam tanto. Ou descobrir que a sua lenta desintegração pode se refletir em outras pessoas numa escala menor.” – p. 75

Como parte desse livro já foi resenhada antes aqui, essa resenha vai se concentrar no material novo de Felizes para sempre.

Primeiro, quero dizer que achei fofo que antes de cada sessão do livro tem uma notinha da Kiera, é quase como se ela estivesse mostrando esses textos pra nós pessoalmente. As ilustrações estão muito bonitas e dão um toque bem legal ao livro, achei o máximo poder ver alguns dos vestidos descritos.

O primeiro conto novo é A rainha, contando um pouco sobre a seleção do Rei Clarkson e da Rainha Amberly. Logo na introdução, a Kiera comenta que não queria que esse conto fosse uma justificativa para um relacionamento abusivo, mas eu acho que acabou soando um pouco assim. Foi interessante ver os pais dele pelos olhos da Amberly, mas o comportamento deles para mim não justifica o comportamento que vemos dele na trilogia original. Claro que psicologia humana é algo muito complexo, mas, esse conto não me agradou tanto. A Amberly se diminui muito para ficar com o Clarkson e, depois de ter visto o relacionamento do Maxon e da America onde (na maior parte do tempo) eles se tratam como iguais, é um pouco triste ver um casal assim.

Em compensação, o conto A favorita se tornou o meu favorito (hehehehe, piada horrível, eu sei). Foi o primeiro dos contos que trouxe muito material novo, não só um ponto de vista diferente de cenas já conhecidas. Isso pra mim acrescenta muito mais ao universo. Marlee é um amor, uma pessoa super corajosa e a sua história de amor é, se bobear, tão épica quando a de Maxon e America. Quando ela é descoberta na trilogia original, lembro de ter pensado “de onde veio isso?” e ter achado um pouco forçação de barra os dois se casarem, mas, considerando a escritora, o mundo que ela criou e a história do casal que a gente conheceu agora, faz até sentido! De qualquer forma, shippei muito.

Eu já tinha começado a gostar da Celeste, mas essas cenas dela me fizeram ficar de luto de novo pela morte prematura dela, que ainda acho desnecessária. Eu gosto de personagens femininas que não pedem desculpas por lutarem pelo que querem e Celeste é exatamente assim. Com o despertar de sororidade que ela teve em A escolha, ela ganhou várias estrelinhas comigo. Essas cenas extras fizeram ela subir ainda mais algumas posições no pódio do meu coração.

Em A criada, mais uma vez eu tenho motivos para não gostar do Aspen. A Lucy é um doce de pessoa que merece muito mais que o egoísta do Aspen. Sinto que esse romance foi uma tentativa muito mal feita de “todos ficaram felizes no final”, porque mesmo vendo os detalhes pelas perspectivas dos envolvidos, ainda acho nada realista. E como as cenas da Lucy focam somente nisso, fiquei sem saber mais sobre ela e gostando menos do Aspen.

Eu não lembro com certeza se já tinha lido a cena extra pós A escolha, mas achei fofa. Gostei que deu uma ideia boa da diferença de idade do Kile e dos gêmeos e mostrou um pouco do relacionamento da America e Maxon como casal, algo que eu queria muito ver em A herdeira. Também gostei muito das mini-biografias das outras meninas da Seleção, algumas tiveram vidas muito interessantes depois de saírem do castelo.

No geral é um livro bem legal. Se não sair mais nenhum conto ou cena extra, vale muito a pena ter para completar a trilogia-que-virou-quintologia. E deu pra dar um gostinho do mundo da Kiera enquanto esperamos pelo último livro.

“Sabemos que você é forte, mas aceitar ajuda também é um tipo de força.” – p. 266


Aviso Legal: Esse livro foi cedido pela editora responsável pela publicação no Brasil como cortesia para o Livros em Série.

Sobre Lais

Uma biomédica que ama livros, cupcakes e gatinhos. Pottermaníaca confessa, divide seu tempo entre internet, séries, cozinhar doces, eventuais atividades de geneticista e ficar espiando pelo canto do olho se sua carta de Hogwarts finalmente chegou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*