terça-feira, 25/04/2017
Últimas do LeS:
Capa » Resenhas de Série » Resenha: “Vida e morte”, de Stephenie Meyer

Resenha: “Vida e morte”, de Stephenie Meyer

Livro: Vida e morte (#05)
Série: Crepúsculo
Autor: Stephenie Meyer
Editora: Intrínseca
Páginas: 391
Tradução: Regiane Winarski e Ryta Vinagre
Resenha por: Bru Fernández
Comprar: Saraiva Submarino Cultura Americanas Amazon

O clássico de Stephenie Meyer revisitado 10 anos depois.

Novamente, os leitores vão se apaixonar pela arrebatadora história de amor de Bella e Edward… ou, quem sabe, será uma primeira vez. A edição especial de aniversário inclui um conteúdo extra e exclusivo: Vida e morte, nova versão em que autora inverte o gênero dos principais personagens.

Em Vida e morte os leitores vão se maravilhar com a experiência de ler a icônica saga de amor agora pelos olhos de um adolescente que se apaixona por uma sedutora vampira. Numa publicação ao estilo “vira-vira”, a edição comemorativa traz mais de 400 páginas de conteúdo extra, além da nova capa, com Crepúsculo de um lado e Vida e morte de outro. Os milhares de fãs de Bella e Edward não vão querer perder a oportunidade de ver seus tão queridos personagens em novos papéis.

“— E então, o leão se apaixonou pelo cordeiro — murmurou ela. A palavra foi como outro choque elétrico no meu corpo.
Tentei disfarçar minha reação.
— Que cordeiro imbecil.
Ela suspirou.
— Que leão masoquista e doentio.” – p. 220

O mundo foi pego de surpresa com o anúncio da publicação de Vida e morte e apesar da premissa do livro me parecer interessante eu tinha lá as minhas dúvidas se o projeto iria realmente vingar. Uma mesma história com apenas uma troca de gênero não me pareceu forte o suficiente para valer a leitura, mas arrisquei de qualquer maneira por pura curiosidade.

A primeira surpresa já veio no prefácio, onde a autora pede desculpas, mais uma vez, por esse novo livro não ser Midnight Sun, a versão de Crepúsculo contada pela perspectiva de Edward Cullen e explica um pouco mais sobre o projeto de Vida e morte, que comemora 10 anos do primeiro livro da série. A autora explica que não foi somente uma simples troca de gêneros, mas também uma troca de personalidade – Beau é MUITO mais legal que Bella! -, pequenas mudanças na história, como palavras, diálogos e trechos. Achei ótimo, todas as minhas inseguranças sobre o livro foram embora e fiquei animada para começar a leitura.

E ah, que revigorante foi encontrar um protagonista tão mais interessante e engraçado que Bella Swan! A versão feminina de Edward, Edythe, também me pareceu uma personagem diferente. Ah, sim, vale comentar que todos os personagens foram trocados, não apenas os principais. Um dos poucos que não trocaram de gênero foram o querido Charlie – que sim, continua incrível! – e Reneé.

Apesar de se tratar de uma mesma história com apenas algumas mudanças, por vezes senti que estava lendo uma narrativa inteiramente nova. Todas as alterações feitas por Meyer realmente melhoraram a história, e se você está com medo de ler mais do mesmo, pode ficar tranquilo. Vida e morte vai te surpreender de várias formas, todas elas muito positivas, até o final. A única coisa que atrapalhou mesmo a leitura foi a enorme quantidade de erros que encontrei no livro, além de erros na troca de gênero, algumas palavras digitadas com erros gritantes. Uma quantidade de falhas absurda para um livro que teve seis revisores.

Fãs de Crepúsculo, não tenham medo de se decepcionar e parem de ser tão duros com a Stephenie por esse não ser Midnight Sun. Ela criou um mundo ainda mais interessante e bem delineado. E se você não gostou de Crepúsculo, bem, pode ser que Beau e Edythe te conquistem. Dê uma chance a eles. ;)

“Venho olhando a cara da eternidade há um século, e esta noite é a primeira vez em que me pareceu bonita.” – p. 373


Aviso Legal: Esse livro foi cedido pela editora responsável pela publicação no Brasil como cortesia para o Livros em Série.

Sobre Bru Fernández

Formada em Letras, trabalha como Revisora e Tradutora em uma agência publicitária e preenche suas horas vagas assistindo a seriados, filmes e partidas de futebol, vôlei, basquete e ice hockey, além de ouvir música, ir a shows e, claro, ler. Não curte chick-lits e prefere os thrillers, policiais, YA e fantasia. Nunca sai de casa sem guarda-chuva e um livro na bolsa, afinal nunca se sabe quando irá chover ou surgir uma fila/trânsito em São Paulo.

2 comentários

  1. Eu estava achando que o novo livro seria muito ruim porque já era “invenção de moda”, mas sua resenha me animou bastante! Eu amo Crepúsculo apesar de todas as críticas e espero não me decepcionar com o novo livro da autora! <3

  2. Fabrício Reis

    Seria mt bom se rolasse uma série sobre Beau e Edythe (que nao sei pq mas nao consigo deixar de visualiza-la como a Alice da história original–na verdade a atriz Ashley Greene, sua interprete) Hahaha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*