quinta-feira, 19/10/2017
Últimas do LeS:
Capa » Resenhas Fora de Série » Resenha: “Louvre-Rivoli: estação partida”, de Fábio Fabato e Vera Marina

Resenha: “Louvre-Rivoli: estação partida”, de Fábio Fabato e Vera Marina

Livro: Louvre-Rivoli: estação partida
Autor: Fábio Fabato, Vera Marina
Editora: Nova Terra
Páginas: 171
Tradução:
Resenha por: Kinina
Comprar: Saraiva Submarino Cultura Americanas Amazon

O livro conta a delicada história de um amor surgido através de um e-mail enviado por engano. Ela, Julia, mulher enigmática e apaixonada por receitas de doces. Ele, Paulo, um editor de livros que busca vida nova após o término inesperado de um relacionamento. Após muitas mensagens recheadas de confissões, a conexão dos dois corações acontece naturalmente. Rio de Janeiro e Paris juntos, como pano de fundo de um enredo que tem na estação de metrô parisiense Louvre-Rivoli um ponto de encontro e de emoções. Será que eles chegam lá?

A trama se passa em 2003 e 2004, antes do boom de redes sociais como o Facebook e o Twitter e, claro, não dispensa uma boa dose de mistério, só desvendado no fim. Como diz Rosa Maria nas primeiras páginas, “o maior trunfo do livro é o golpe de teatro, o elemento surpresa que os autores nos oferecem magistralmente (…). Uma obra digna de Balzac, Eça de Queiroz, Machado de Assis”. Como uma rede, ela conecta, envolve, desafia. E não deixa de emocionar. Embarquem nessa estação!

Meu primeiro contato com a história foi por um e-mail marketing da editora indicando o livro. Li a sinopse e tive a impressão que já tinha lido algo parecido; li de novo e me veio @mor, de Daniel Glattauer, na cabeça. E aí bateu a dúvida: ler ou não ler? Decidi ler com a ideia de que já que eu gostei de @amor, provavelmente vou gostar deste.

Depois sair de uma cafeteria chateada pelo encontro que não aconteceu, Cláudia encontra jogado em uma lixeira um envelope lacrado com os dizeres “Para quem quiser descobrir”. E Cláudia quis descobrir. Dentro do envelope encontrou o longo histórico de trocas de e-mails entre Julia Amora e Paulo Souto que começou sem querer – Julia mandou o primeiro e-mail para o Paulo errado. Entre curiosidades, histórias e confissões Paulo e Julia começam a se interessar um pelo outro. Apesar de trocas de sentimentos por mensagens, por muitas vezes o casal briga por e-mail. Sempre tem a tensão de “será que é agora que eles vão marcar um encontro?” ou “é agora que eles vão brigar de vez e acabar?”.

E é por essa névoa de tensão que a história se arrasta por 142 páginas. Digo que se arrasta não por causa dos conflitos dos personagens, mas a leitura foi difícil. Apesar de estarmos falando de uma história que aconteceu em 2005 pelas datas das mensagens, a escrita parece poética, cansativa. Em certo momento procurei nas informações do livro se eu estava lendo uma história em português do Brasil ou de Portugal.

Página 142: os e-mails acabam e a história não. Apesar de estar cansada fui em frente com a leitura e não me arrependi. De todos os finais que imaginei para a história, nenhum foi tão surpreendente quanto o que li. É um livro para ser lido duas vezes: a primeira vez pela surpresa do desfecho e a segunda vez procurando todos os indícios do desfecho.

Apesar das semelhanças entre as sinopses de @mor e Louvre-Rivoli: estação partida nem de perto as histórias são iguais ou para o mesmo público. Esta é uma história adulta, com uma escrita carregada e ainda com uma reflexão forte sobre sentimentos e sobre a busca do que cada um quer para si.


Aviso Legal: Esse livro foi cedido pela editora responsável pela publicação no Brasil como cortesia para o Livros em Série.

Sobre Kinina

Formada em Hotelaria e Análise de sistema, mas trabalha com Atendimento em uma agência publicitária. Passo o tempo lendo, assistindo seriados, ouvindo música e tendo ideias malucas. Vai que um dia alguma dá certo e ela fica rica e famosa...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*