sábado, 21/01/2017
Últimas do LeS:
Capa » Resenhas de Série » Resenha: “Coroa cruel”, de Victoria Aveyard

Resenha: “Coroa cruel”, de Victoria Aveyard

Livro: Coroa cruel
Série: A rainha vermelha
Autor: Victoria Aveyard | (@VictoriaAveyard)
Editora: Seguinte
Páginas: 232
Tradução: Renato Potenza Rodriues, Larissa Lino Barbosa
Resenha por: Kinina
Comprar: Saraiva Submarino Cultura Americanas Amazon

Duas mulheres — uma vermelha e uma prateada — contam sua história e revelam seus segredos.

Em Canção da Rainha, você terá acesso ao diário da nobre prateada Coriane Jacos, que se torna a primeira esposa do rei Tiberias VI e dá à luz o príncipe herdeiro, Cal — tudo isso enquanto luta para sobreviver em meio às intrigas da corte.

Já em Cicatrizes de Aço, você terá uma visão de dentro da Guarda Escarlate a partir da perspectiva de Diana Farley, uma das líderes da rebelião vermelha, que tenta expandir o movimento para Norta — e acaba encontrando Mare Barrow pelo caminho.

Esta edição traz, ainda, um mapa de Norta e um trecho exclusivo de ‘Espada de Vidro, o aguardado segundo volume da série A Rainha Vermelha.

ATENÇÃO! Esse livro não é o primeiro da série e a resenha pode conter spoilers! Confira nossas resenhas anteriores dessa série, clicando na capa desejada:

01 - A rainha vermelha

“Não existe nada tão terrível quanto uma história não contada.”

Estou com os e-books dos contos no meu Kindle desde que foram lançados, mas só comecei a ler quando o livro chegou aqui em casa. Uma das coisas mais legais nessa série são as capas do livros; assim como em A rainha vermelha, a capa da Coroa cruel é brilhante e texturizada, a cor azul acinzentada lembre bem a descrição da pele dos prateados, bonita e fria. Na segunda contra capa ainda vem um marcador, que é só recortar e usar.

O conto Coroa cruel conta a história da rainha Coriane, mãe do príncipe herdeiro Cal. No primeiro livro da série ela é bastante citada. Nessa história você a conhece resumidamente, porém de verdade, sem a visão romantizada do filho: sua família, como ela era uma moça mimada, porém muito inteligente, e como, sem maldade, conseguiu chegar trono.

Cicatrizes de aço tem o foco nos vermelhos, mais especificamente em Diana Farley. Narra sua trajetória na Guarda Escarlate desde sua primeira missão como capitã até seu encontro com Mare Barrow e, principalmente, sua visão sobre os prateados, sobre a guerra e sua crença na guarda.

“A guerra não é guerra. É um extermínio. (…) É doentio.”

Nenhum dos dois contos são essenciais que quem está lendo a série; são duas ótimas histórias complementares e que só fazem sentido depois de você ter lido pelo menos A rainha vermelha, onde os detalhes são explicados e você não corre o risco de ler algum spoiler ;)

O melhor do livro fica no final: os primeiros 4 capítulos de A espada de vidro, segundo livro da série que será lançado esse mês. Para quem está esperando a meses essa continuação já é alguma coisa né?!


Aviso Legal: Esse livro foi cedido pela editora responsável pela publicação no Brasil como cortesia para o Livros em Série.

Sobre Kinina

Formada em Hotelaria e Análise de sistema, mas trabalha com Atendimento em uma agência publicitária. Passo o tempo lendo, assistindo seriados, ouvindo música e tendo ideias malucas. Vai que um dia alguma dá certo e ela fica rica e famosa...

Um comentário

  1. eu quero!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!1

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*