quinta-feira, 12/10/2017
Últimas do LeS:
Capa » Resenhas de Série » Resenha: “Mr. Mercedes”, de Stephen King

Resenha: “Mr. Mercedes”, de Stephen King

Livro: Mr. Mercedes (#01)
Série: Trilogia Bill Hodges
Autor: Stephen King (@stephenking)
Editora: Suma de Letras
Páginas: 400
Tradução: Regiane Winarski
Resenha por: Kinina
Comprar: Saraiva Submarino Cultura Amazon + ofertas

‘Ainda é madrugada e, em uma falida cidade do Meio-Oeste, centenas de pessoas fazem fila em uma feira de empregos, desesperadas para conseguir trabalho. De repente, um único carro surge, avançando para a multidão. O Mercedes atropela vários inocentes, antes de recuar e fazer outra investida. Oito pessoas são mortas e várias ficam feridas. O assassino escapa.

Meses depois, o detetive Bill Hodges ainda é atormentado pelo fracasso na resolução do caso, e passa os dias em frente à TV, contemplando a ideia de se matar. Ao receber uma carta de alguém que se autodenomina o Assassino do Mercedes, Hodges desperta da aposentadoria deprimida, decidido a encontrar o culpado.

Mr. Mercedes narra uma guerra entre o bem e o mal, e o mergulho de Stephen King na mente obsessiva e psicótica desse assassino é tão arrepiante quanto inesquecível.

Bill Hodges se aposentou da polícia a alguns meses e deixou alguns casos não solucionados, entre eles o caso do Mr. Mercedes: um maluco que roubou uma Mercedes e matou algumas pessoas atropeladas enquanto elas estavam esperando numa fila uma oportunidade numa feira de empregos. O crime foi perfeito, o carro não era do assassino, ele não deixou nenhuma amostra de DNA, ninguém viu o rosto dele porque ele usava uma máscara.

“O rosto da máscara era bem parecido com o de Pennywise, o palhaço do filme.”

Mas o assassino, Brady Hartsfield, é um maluco e não para por aí, ele vai atrás de Hodges para atormentá-lo e tentar fazer ele se suicide assim como o maluco fez a dona do Mercedes se suicidar de culpa. O primeiro contato de Brady e Hodges é através de uma carta.

A carta faz com que Hodges deixe suas tardes em frente a tv de lado e vá atrás de Brady sozinho. O detetive aposentado não imagina que é o assassino, mas Stephen King que apresenta a Brady logo no início da história, e aos poucos vai te dando detalhes que como o cara é fodido da cabeça. Você vai acompanhar uma caçada insana de gato e rato, por algumas vezes vai ter dúvida se torce para o bandido ou para o mocinho.

Diferente dos últimos lançamentos do Stephen King, que a história demorava um pouco para ter conquistar, Mr. Mercedes já te prende na introdução. Você passa por uma história dramática, com uma leve pitada de romance sensual e com um final aterrorizante, porque é isso que King escreve: TERROR! O último capítulo do livro é uma promessa de que a história entre Hodges e Bill ainda não terminou e que tudo pode e vai piorar no segundo livro.

Muitas capas têm a intenção de contar a história do livro e você só consegue sacar tudo depois que terminou de ler, é claro. A capa de Mr. Mercedes, apesar de ser simples e bonita, não conta nada, na verdade é a descrição exata do assassino: seu apelido, seu trabalho, como se comunica com Hodges e sua assinatura.

Se a sinopse e essa resenha ainda não te convenceram a ler Mr. Mercedes, talvez você deva ler a carta. Dá uma espiada aqui e depois nos conte o que achou da história ;)


Aviso Legal: Esse livro foi cedido pelo autor como cortesia para o Livros em Série.

Sobre Kinina

Formada em Hotelaria e Análise de sistema, mas trabalha com Atendimento em uma agência publicitária. Passo o tempo lendo, assistindo seriados, ouvindo música e tendo ideias malucas. Vai que um dia alguma dá certo e ela fica rica e famosa...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*