02 de abril de 2016
Postado por: Karol @ Arquivado em: Resenhas Fora de Série

Shakespeare

 

Shakespeare: Romeu e JulietaLivro: Romeu e Julieta
Autor: William Shakespeare
Editora: Saraiva
Páginas: 143
Tradução: Bárbara Heliodora
Resenha por: Karol Garrett
Comprar: Saraiva + ofertas

Julieta, a bela Capuleto, se apaixona por Romeu sem saber que o rapaz é um Montéquio. Apesar dos problemas que certamente teriam de enfrentar, pois suas famílias eram inimigas, os jovens escolhem viver a intensidade do sentimento que nutrem um pelo outro, decidindo se casar em segredo. As disputas das duas famílias, contudo, não deixam espaço para que o amor impossível do jovem casal possa florescer.

Em 2016 completam-se 400 anos de morte do dramaturgo William Shakespeare. Como alguns podem saber, venho me especializando no trabalho do Bardo faz algum tempo. Agora imaginem a minha felicidade quando o Livros em Série resolveu fazer um especial sobre Shakespeare?! Acho que um mês ainda é pouco para tudo que gostaria de dividir com vocês sobre o assunto mas, como sei que também não posso abusar da boa vontade das coleguinhas de site, vamos manter o nosso básico: as boas e velhas resenhas!

Resolvi começar pela peça mais famosa do autor, e ouso dizer, do mundo: Romeu e Julieta. Tá, tá, vocês sabem como é essa história e principalmente, não tem nenhuma novidade em como ela termina mas, deixo aqui a pergunta no ar, vocês já leram a peça?

Existem inúmeras versões cinematográficas dessa história, algumas fiéis ao enredo de Shakespeare, outras nem tanto, mas a essência do amor de Romeu e Julieta sempre é o mesmo.

A versão que recomendo nesse post é da maior especialista em Shakespeare que o Brasil já teve, Bárbara Heliodora. Ela era uma grande conhecedora da obra do Bardo e fez um trabalho maravilhoso nas suas traduções. Existe mais de uma edição da sua tradução da peça, não há diferença entre elas e todas contém um texto explicativo da Bárbara que ajuda muito na hora de ler a peça então, a que você encontrar na livraria mais próxima já está de bom tamanho. Não tem desculpinha, hein?!

Mas vamos à peça…

Duas famílias vivem em uma eterna briga, os Montéquios e os Capuletos. Ninguém sabe ao certo qual a origem dessa rivalidade, o que a gente sabe é que ela dura anos e que essas famílias não podem se ver na rua que já sai uma briga. É assim que começamos a peça, com uma briga entre eles e um mandado do Príncipe da cidade de Verona de que se houvesse outra briga entre eles, quem a começasse estaria encrencado com as autoridades.

Sabemos que Romeu e Julieta se conhecem em um baile de máscaras dado pela família da moça e que Romeu está lá de bicão. Agora pergunto, alguém lembra o motivo dele ter entrado de bicão na festa do seu maior inimigo? Esse é o tipo de detalhe que a gente não se recorda e não presta atenção. O que fica na nossa mente é o romance que acaba em tragédia mas, convido você a reler a peça pensando nesse detalhe, e em outros que você vai descobrir ao longo da história.

Comece daí a tentar enxergar um Romeu e uma Julieta diferente, finja que não faz ideia como a história termina e faça com os personagens o que você faz quando lê um livro novo, entenda a motivação e a emoção de cada um deles em cada momento do livro.

Deixo essa dica aqui e tenho certeza que a tão famosa cena do balcão vai ganhar um sentido novo para você. Aposto que a nova Julieta vai ser menos romântica e mais esperta e inteligente. Uma nova versão da peça vai aparecer na sua frente, uma versão que você não conhecia por já ler a peça pensando ‘ai, como é lindo! Ai, como é romântico! Ai, que tragédia!’.

Tenho certeza que vocês vão adorar ainda mais essa história, e os seus personagens, quando fizerem isso. Quando fui convidada, em outubro, para interpretar a Julieta, fiquei meio irritada, confesso. Assim como a maioria das pessoas, achava a história linda mas, não queria viver aquele ‘mi mi mi’ apaixonado da Julieta, para ser sincera, achava ela meio bobinha e esperava pegar um papel diferente. A dica que eu dei para vocês agora foi a mesma que eu recebi: releia sem pensar no final. E então eu percebi que a minha ideia da história e principalmente da Julieta, estava completamente embaçada e ter sido convidada para interpretar a Julieta foi a melhor coisa que já me aconteceu na vida.

Outra dica que deixo aqui é que se tudo parecer muito complicado, ainda mais quando Romeu e Julieta estão se declarando, pare, respire e entre no clima. Shakespeare usa muitas figuras de linguagem, principalmente nessa peça. É algo bem poético, que dá um toque muito mais romântico ao casal apaixonado, mas que pode parecer difícil para quem a lê e não está acostumado com isso. Tente entender cada uma das palavras quando estiver achando alguma frase confusa, pare e pense o que talvez tenha sido a sua intenção ao escrever aquilo. Spoiler, se é que é possível, para a cena do encontro: as mãos quando rezam, se unem, palma com palma. O safadinho do Romeu quer que os lábios façam o que as mãos fazem quando rezam, ou seja, palma com palma, boca com boca. São coisas que podem parecer meio complicadas mas, que se você parar para pensar, deixa o texto ainda mais bonito.

Depois disso espero você aqui nos comentários para trocarmos figurinhas e conversar sobre as novidades que descobrimos ao reler a tão famosa obra de William Shakespeare. E mais importante que reler, quando puder, não deixe de assistir a peça montada. Shakespeare não escreveu as suas peças para serem lidas, e sim escutadas. Ouvir as palavras saídas da boca de um ator bem treinado vai te emocionar muito mais!


Aviso Legal: Esse livro foi adquirido pela própria resenhista.




1 comentário



1. Nathália Cristina
5-6-2018 - 18:45:12

o livro e muito legal que pena queacaba no final triste asssim,deveria ter outro final pelo menos para mim.


Deixe um comentário

Os campos marcados com * são obrigatórios.





Comentário *