segunda-feira, 29/05/2017
Últimas do LeS:
Capa » Resenhas de Série » Resenha: “Dama da meia-noite”, de Cassandra Clare

Resenha: “Dama da meia-noite”, de Cassandra Clare

Dama da meia-noiteLivro: Dama da meia-noite (#01)
Série: Os artifícios das trevas
Autor: Cassandra Clare (@cassieclare)
Editora: Galera Record
Páginas: 560
Tradução: Rita Sussekind
Resenha por: Monique Marie
Comprar: Saraiva Submarino Cultura Amazon + ofertas

Em um mundo secreto onde guerreiros meio-anjo juraram lutar contra demônios, parabatai é uma palavra sagrada.

O parabatai é o seu parceiro na batalha. O parabatai é seu melhor amigo. Parabatai pode ser tudo para o outro – mas eles nunca podem se apaixonar.

Emma Carstairs é uma Caçadora de Sombras, uma em uma longa linhagem de Caçadores de Sombras encarregados de protegerem o mundo de demônios. Com seu parabatai Julian Blackthorn, ela patrulha as ruas de uma Los Angeles escondida onde os vampiros fazem festa na Sunset Strip, e fadas estão à beira de uma guerra aberta com os Caçadores de Sombras. Quando corpos de seres humanos e fadas começam a aparecer mortos da mesma forma que os pais de Emma foram assassinados anos atrás, uma aliança é formada. Esta é a chance de Emma de vingança – e a possibilidade de Julian ter de volta seu meio-irmão fada, Mark, que foi sequestrado há cinco anos. Tudo que Emma, Mark e Julian tem a fazer é resolver os assassinatos dentro de duas semanas … antes que o assassino coloque eles na mira.

Suas buscas levam Emma de cavernas no mar cheias de magia para uma loteria sombria onde a morte é dispensada. Enquanto ela vai descobrindo seu passado, ela começa a confrontar os segredos do presente: O que Julian vem escondendo dela todos esses anos? Por que a Lei Shadowhunter proíbe parabatais de se apaixonarem? Quem realmente matou seus pais – e ela pode suportar saber a verdade?

A magia e aventura das Crônicas dos Caçadres de Sombras tem capturado a imaginação de milhões de leitores em todo o mundo. Apaixone-se com Emma e seus amigos neste emocionante e de cortar o coração no volume que pretende deliciar tantos novos leitores como os fãs de longa data.

“A Clave era o governo dos Caçadores de Sombras. Pela experiência de Kit, eles não gostavam de nada.”

Cassie é uma das minhas autoras preferidas da atualidade, mas devido a expectativa que criei em Magisterium eu estava realmente com medo de que essa nova série também me deixasse frustrada. Para minha total felicidade estava errada, quando Cassie escreve sozinha e são histórias sobre esse universo tão familiar ela não decepciona.

Pensei em mil formas de escrever a resenha sem contar spoilers, acho quase impossível depois da sinopse. Não é impossível de ler esse livro sem ter contato com os outros dez da duas séries (incluo nessa lista os contos do Bane), mas seria interessante que você fosse familiarizado com o universo shadowhunter ou você terá algumas dúvidas em sua cabeça, mas é como disse, nada impossível de ser resolvido.

O tipo de escrita é o mesmo, a profundidade e quantidade de personagens segue o mesmo padrão, mas deixo aqui minha felicidade em um ponto: a personagem central que conta a história não é chata como a Clary (fãs de Clary, mil desculpas). Emma é uma heroína sem poderes especiais, ela é uma shadowhunter dedicada ao máximo em ser a melhor e acreditem, ela é!

Temos mais uma vez um casal de amor impossível, mas não me parece que terá o mesmo fim de “Clace”. Outro ponto legal é que Cassie explicou perfeitamente o que são os parabatais e porque eles não podem se envolver. Acredite, é muito mais legal do que vocês podem imaginar.

Achei a sacada desses personagens serem o centro dessa série muito boa, já que eles foram apresentados no primeiro capítulo do último livro de Os instrumentos mortais e a maioria dos leitores não entendeu muito o porquê disso. Cassie mais uma vez genial. Como em todos os livros vocês não devem se prender apenas nos personagens mais citados ou nos que aparecem nas batalhas e nas confusões (alguém já viu algum shadowhunter não se meter onde não devia?), personagens secundários têm importância sim, fiquem espertos em relação a algumas crianças que não citarei nomes para não estragar a surpresa.

Leiam Dama da meia-noite mas tentem se afastar um pouco dos personagens que aprendemos a amar, se você ainda está muito ligado a Jace e companhia é bom esperar mais um pouco para conhecer essa nova linhagem de caçadores das sombras. Para quem conseguiu ler com aquela leve dor no coração de saudades da turma antiga não se desesperem, Cassie é um amor em pessoa e nos brinda com uma leve participação de alguns personagens em alguma parte do livro, o mais incrível é que ela conseguiu dar importância para essa participação especial. Já citei que Cassie é incrível né?

Antes de terminar a resenha queria deixar um recadinho para quem é muito fã da série, vocês não vão se arrepender em assistir os vídeos mais recentes do Canal Pandemonium, eles fazem análises incríveis sobre a série e sobre cada personagem, incluindo entrevistas dadas pela Cassie e curiosidades que vocês vão amar, fica a dica: assistam a esse vídeo que não tem spoilers e é muito bom (okay, tem um pouquinho mas é bem pouco)-.

Leiam, leiam e leiam. Quero o segundo livro – Lord of Shadows – para ontem!


Aviso Legal: Esse livro foi adquirido pela própria resenhista.

Sobre Monique Marie

Publicitária frustrada com o pouco dinheiro da área e admiradora de tudo que envolve a política. Gosta de seriados que tenham serial killers, filmes infantis, fanática por futebol e F1, além de tentar competir com o Dr. Reid (Criminal Minds) quem lê mais rápido. Geralmente não gosta de ler o que está "na moda", adora indicações e ainda acredita que muitos livros se vendem pela capa. Não se separa de seu amigo rivotril e escreve no mínimo um texto por dia.

3 comentários

  1. Hyla Fabiana

    Olá Monique.
    Eu sou apaixonada pelo universo dos caçadores de sombras. Mas cnfesso que prefiro os personagens de Intrumentos mortais e Peças infernais. E aqui deixo uma observação que fico impressionada de só ter incomodado a mim. O excesso de Blackthorns! Eu demorei capitulos para contar e ver se era isso mesmo. Em um universo onde caçadores de sombras vivem para lutar e morrer cedo. Sete filhos? Eu achei simplesmente demais . Não consegui me apegar a ninguém pois tem crianças sobrando. Achei chato esse momento baby boom da Cassandra. O Julian cuidando dessas “crianças” incansavelmente …. nao sei se incomodou so a mim…. mas enfim. É isso.
    Ah…. também nunca gostei da Clary rsrsrsrsr Prefiro a Emma ;)

  2. Monique Marie

    Hey baby tudo bem?
    To contigo nesse incômodo baby boom, mas isso já me incomodou no sexto livro de TMI quando a Cassie introduziu a “turminha” pra gente. A única parte que não fiquei tão brava é que ela deu importância para algumas crianças de uma forma inteligente, nem tão gênio e nem tão criança, não sei se você concorda comigo. Em relação a Clary fico feliz em saber que não sou a única a achar esse personagem o mais sonso possível, ô menina chata rs.
    Beijão ;)

  3. Amy Capelari

    Quando Emma e Julian foram apresentados no último volume de instrumentos mortais fiquei curiosa em saber mais sobre a história deles. Não só deles mas de todos os Blackthorns. Estou lendo Contos da Academia dos Caçadores de Sombra e adorando. Ansiosa para começar a ler a Dama da meia noite. E desculpem​ quem não gosta da Clary gosto muito dela.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*