sábado, 25/03/2017
Últimas do LeS:
Capa » Resenhas Fora de Série » Resenha: “O amor nos tempos do ouro”, de Marina Carvalho

Resenha: “O amor nos tempos do ouro”, de Marina Carvalho

O amor nos tempos do ouroLivro: O amor nos tempos do ouro
Autor: Marina Carvalho (@MariCarvalho_01)
Editora: GloboAlt
Páginas: 328
Tradução:
Resenha por: Bru Fernández
Comprar: Saraiva Submarino Cultura Amazon + ofertas

Cécile Lavigne perdeu todos os que amava e agora está sozinha no mundo. Ela, uma franco-portuguesa que ainda não completou vinte anos, está sendo trazida ao Brasil pelo único parente que lhe restou, o ambicioso tio Euzébio, para casar-se com o mais poderoso dono de terras de Minas Gerais, homem por quem Cécile sente profundo desprezo. Após desembarcar no Rio de Janeiro, Cécile ainda precisará fazer mais uma difícil viagem. O trajeto até Minas Gerais lhe reserva provações e surpresas que ela jamais imaginaria. O explorador Fernão, contratado por seu futuro marido para guiá-la na jornada, despertará nela sentimentos contraditórios de repulsa e de desejo. Antes de enfim consolidar o temido casamento, Cécile descobrirá todos os encantos e perigos que existem nessa nova terra, assim como os que habitam o coração de todos nós. Com o passar dos dias, crescerá dentro dela a coragem para confrontar todas as imposições da sociedade e também o seu próprio destino.

“Sabes que nunca me apaixonei, maman, mas se porventura o tivesse feito, seria por alguém como ele?”

Acreditem, a editora não estava exagerando quando comparou o novo livro da Marina Carvalho aos romances de Philippa Gregory! Já adianto aqui no começo da resenha que se você gosta de ler romances históricos, esse livro é presença obrigatória na sua estante. Dito isso, vamos à resenha!

Antes de iniciar a narrativa, a autora conta um pouco sobre a sua extensiva pesquisa sobre a rica história do nosso país, mais precisamente sobre o Brasil do século 18, época em que se passa a história criada por Marina, mais precisamente na cidade de Vila Rica, a atual Ouro Preto, em Minas Gerais. Prepare-se para mergulhar no tempo, pois a ambientalização de Marina foi fantástica! Desde a descrição dos lugares a, principalmente, variação da linguagem utilizada pelos nobres, escravos e índios nativos. Porém, não se preocupe que não é somente de História que se sustenta o enredo! Como todo romance histórico que se preze, a parte do romance não decepciona.

Acompanhamos a trajetória de Cécile, uma jovem francesa de uma família abastada e feliz que perdeu seus pais e irmão mais novo em um terrível acidente. A jovem, que sempre foi criada com uma certa liberdade para a época, acaba indo morar com o tio e a esposa, que não são tão liberais, pelo contrário, e a partir daí começa o grande calvário de Cécile. O tio arranja um casamento por interesses monetários com um velho e rico brasileiro e a francesa é então enviada para cá, contra a sua vontade. Entretanto ela não imaginava que estava prestes a viver grandes aventuras e encontrar pessoas tão queridas ao longo do caminho. E algumas bem infelizes também como o velho Euclides a quem Cécile foi “vendida”, o tipo de personagem que nos dá nojo do início ao fim, que tratava seus escravos da forma mais desumana possível.

Cécile é a mocinha da história, mas não é nenhuma donzela à espera de um cavaleiro para lhe salvar dos perigos. Apesar de ter um toque de inocência, a francesa é uma personagem forte, de personalidade marcante, justa e muito “avançada” para sua época, com ideias feministas enraizadas na sua criação. Uma verdadeira heroína que sofre na mão de diversos homens depois de perder a sua família, mas que nunca se entrega, não desiste de seus ideais e mantém a cabeça erguida. Achei incrível a forma como Marina retratou a protagonista, uma jovem que já naquela época não fazia distinção de raças, era dona de seu destino e não se deixava abalar pelos percalços da vida.

Marina criou muito bem o pano de fundo da história, retratando muito bem a realidade o Brasil Colônia, da escravidão e da busca pelo ouro. Mas o ponto alto de sua narrativa com certeza é a forma como ela construiu seus personagens. Todos são muito redondos e profundos, até mesmo personagens secundárias como os escravos Malikah, Akin e Hasan e o jovem filho de Euclides, Henrique. Outra personagem que merece seu destaque é Fernão, homem contratado por Euclides a levar Cécile até a sua fazenda em segurança e que se torna o objeto de afeto da jovem. Fernão enriqueceu às custas de Euclides, realizando trabalhos – alguns bem sujos e cruéis – para o velho. Apesar de ter manchas em seu passado, Fernão é um homem bom e que tem a consciência pesada, ele sabe que já errou muito nessa vida. Sua repentina paixão por Cécile faz com que ele decida mudar de vez a sua vida.

O amor nos tempos do ouro é uma história envolvente até a última página. Não conhecia o trabalho da autora, mas essa obra de Marina veio para me comprovar, mais uma vez, que a literatura nacional não fica devendo em nenhum gênero para a literatura estrangeira. Ansiosa pelos próximos livros da autora.

“Minha filha, tu decides o que se eternizará em teu coração.”


Aviso Legal: Esse livro foi cedido pela editora responsável pela publicação no Brasil como cortesia para o Livros em Série.

Sobre Bru Fernández

Formada em Letras, trabalha como Revisora e Tradutora em uma agência publicitária e preenche suas horas vagas assistindo a seriados, filmes e partidas de futebol, vôlei, basquete e ice hockey, além de ouvir música, ir a shows e, claro, ler. Não curte chick-lits e prefere os thrillers, policiais, YA e fantasia. Nunca sai de casa sem guarda-chuva e um livro na bolsa, afinal nunca se sabe quando irá chover ou surgir uma fila/trânsito em São Paulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*