segunda-feira, 18/12/2017
Últimas do LeS:
Capa » Resenhas de Série » Resenha: “A ascensão das trevas”, de Morgan Rhodes

Resenha: “A ascensão das trevas”, de Morgan Rhodes

A ascensão das trevasLivro: A ascensão das trevas (#03)
Série: Queda dos reinos, A
Autor: Morgan Rhodes (@MorganRhodesYA)
Editora: Editora Seguinte
Páginas: 426
Tradução: Flávia Souto Maior
Resenha por: Nanda
Comprar: Saraiva Cultura Fnac Folha Amazon

Depois de conquistar Mítica inteira, o rei Gaius ainda não está satisfeito: sua nova missão é encontrar a Tétrade, quatro cristais mágicos perdidos, capazes de conferir poderes indescritíveis a quem os reunir. Para isso, ele conta com os conselhos de Melenia, uma imortal que o visita em seus sonhos e que o instruiu a criar uma estrada ligando todos os reinos.
Gaius acredita que está no caminho certo e que Lucia, sua filha adotiva, será a chave para localizar e despertar os cristais. Para seu deleite, os poderes de Lucia estão cada vez mais fortes, e um vigilante exilado aparece para orientar a feiticeira.
Mas o Rei Sanguinário não é o único que cobiça essa magia milenar: vindos de Kraeshia, um império vizinho muito influente, o príncipe Ashur e a princesa Amara conhecem as lendas de Mítica e desconfiam que a Tétrade não seja apenas um mito. Logo eles entram na disputa e buscam seus próprios aliados nessa corrida pelo poder.
Um período de trevas se abate sobre Mítica, e nesses tempos sombrios Jonas, Cleo, Magnus e Lucia precisam descobrir o quanto antes em quem podem confiar.

ATENÇÃO! Esse livro não é o primeiro da série e a resenha pode conter spoilers! Confira nossas resenhas anteriores dessa série, clicando na capa desejada:

“Quando o sangue da feiticeira for derramado, eles finalmente serão libertados. E o mundo queimará.”

No terceiro livro da série A queda dos reinos, Mítica ainda está a mercê do Rei Gaius. E mesmo com o constante medo dos habitantes e com a ameaça dos rebeldes, o rei continua obcecado pela Tétrade e em obter seus poderes.

No entanto, a busca pela Tétrade não é mais algo exclusivo do Rei. A medida que o tempo passa, novos personagens tomam conhecimento da existência das pedras e as querem para si. Além de Magnus (o filho do Rei) e a princesa Cleo, os irmãos Amara e Ashur vieram de Kraeshia, um reino mais distante, para tentarem a qualquer custo conseguirem a Tétrade. Sem contar o interesse dos vigilantes – as criaturas imortais que visitam sonhos de alguns personagens começaram a deixar o santuário para fazer parte da teia de acontecimentos que antecede o encontro das Tétrades.

Quando Ioannes, o vigilante que aparecia para Lúcia enquanto estava no coma, aparece, tudo começa a andar mais rápido. Lúcia aprende muito mais sobre seus poderes, as localizações das pedras da Tétrade são reveladas e começa uma corrida pelo tesouro mágico.

Tudo isso significa mais intrigas, mais mortes e mais traições – tipo um Game of Thrones infanto-juvenil mesmo.

É bom quando uma série segue um ritmo tão interessante quanto a série A queda dos reinos. A escrita é fluida e dá para acompanhar a história sem muitas dificuldades ou necessidades de pausa – mesmo que no livro haja algumas reviravoltas de tirar o fôlego. As revelações ao longo do livro revelam uma história bem mais complexa do que se podia esperar da série.

Eu também gosto muito de como as diferentes narrações nos mostram o que acontece em lugares diferentes de Mítica e ao mesmo tempo revela lados dos personagens nos fazem simpatizar com cada um deles, mesmo com cada uma de suas falhas. O difícil é ter que lidar com as (muitas) mortes, principalmente quando é de um dos narradores, por serem personagens que tivemos a oportunidade de conhecer melhor.

E diferentemente dos outros livros, A ascensão das trevas traz uma dose de romance maior do que os livros anteriores. Para alguns pode parecer que o livro ficará mais cansativo, mas achei que os romances serviram para aliviar o peso de toda a seriedade que cerca a busca pela Tétrade – dos confrontos até os planos e segredos. Confesso que em alguns momentos me surpreendi com alguns pares formados, mas na grande maioria das vezes fiquei feliz com os casais.

A queda dos reinos se tornou uma das séries que tem mais me agradado nos últimos tempos e sempre fico muito animada pela continuação.


Aviso Legal: Esse livro foi adquirido pela própria resenhista.

Sobre Nanda

Formada em Relações Internacionais e Economia, tem 25 anos, é hiperativa e adora organizar eventos (principalmente de livros). Também adora filmes, livros (principalmente aventuras infanto-juvenis, como Percy Jackson, Harry Potter e The 39 Clues), música, viagens, Disney, desenhos japoneses, maquiagem e coleções.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*